“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


30 de nov de 2008

As lentes


Nossos olhos pensam que sabem ver. Mas eles podem enxergar o acréscimo que não existe ou a falta que é o coração que sente. Podem estar acostumados aos tons dos dias nublados do outono, seguidos pelas sombrias nuances do inverno, e esquecem de colorir a vida com as majestosas cores primaveris, vigorosas e alvissareiras. A imagem também pode estar sufocada pelo calor do sol abrasivo de um verão intenso. E assim, distorcida, necessita do ajuste de uma lente que a traduza com maior fidelidade. Esta, a imagem real, é o que é, não uma criação de nosso desejo ou necessidade expectante. Nem melhor do que a imagem construída, ou pior, apenas real.


A lente com que vemos o mundo e as pessoas pode ser trocada, dependendo da disponibilidade e dos objetivos envolvidos. Recomenda-se que seja colorida, para mudar o aspecto nebuloso tingido pelas decepções ou nossas frustrações. Talvez côncava, para aproximarmo-nos do fruto de nossos sagrados desejos, ou convexa, para diluir na distância do coração aquilo que não importa mais...


Os nossos olhos traem e atraem. Não se cansam de projetar ou copiar imagens amadas que ficaram seqüestradas na retina, numa eterna reprodução que parece recente, e muitas vezes, é quase póstuma. Atraem para si o que vai festejar o coração sedento, explicando assim sua repetição, evocando as belezas e expulsando as dores do mundo interno. A gente age assim, chama e expulsa...suplica e exila a presença adorada.


As lentes...elas protegem a gente. Se eu escureço o fulgor de um sonho, afasto a possibilidade do sofrimento iminente. Se dou o tom colorido da imersão completa no sonho, arrisco vivê-lo...fugaz! A escolha da lente deve estar no compasso do caminhar, não na perigosa e veloz vontade de acertar. Quero ver estrelas ou na noite de luar a tua ausência chorar???


♥ Denise

28 de nov de 2008

Sentido...






Sensação esquisita essa...de um vazio tão cheio!!!

♥ Denise

26 de nov de 2008

Era novembro...




Um ano!!

De novo, o tempo na pauta.

Na busca...ou na falta?


♥Denise

25 de nov de 2008

22:22



Horário? É invenção do tempo.
Tempo? É o momento que se vive.
Esse, com ele mesmo, o tempo, se desfaz!!
O vento o leva e, de volta, não traz...
Num coração desabitado, o momento jaz!!

Números? Lógica e exatidão.
Ambos não rimam com o tempo,
fazem conta, não cabem no coração!
Mas somam oito, que é par.
E par são 2!

No tempo que atravessa a vida,
os pares dão as mãos...ou não!
mudam de estado, de estação,
e nus da alegria, mas ardendo de emoção...
se despedem da estação já morrida!

♥ Denise

24 de nov de 2008

Atribuído a Sidarta


“A dor é inevitável,

Mas o sofrimento é opcional

Aquele que não sabe a que coisas atender

E quais ignorar,

Atende ao que não tem importância,

E ignora o essencial”


Autoria não divulgada...



"
Intensidade é tudo, meio termo é nada.
Ou quente ou frio, o morno é abominável!
Eu gosto do risco. Na verdade, das pessoas que arriscam.

Admiro quem segue o coração mesmo quando sabe que, talvez, não seja a coisa mais certa a fazer. Isso porque me vejo neles.

Acredito que amar pode dar certo, acredito na felicidade acima de tudo, e, principalmente, acredito na vida e no que ela é capaz de me proporcionar.
Quero viver cada dia como se fosse o último.
Dar a cara à tapa mesmo!

Tenho milhões de defeitos...
Me provoque, me desafie, me tire do sério.
Mas, por favor, me faça sentir...

Eu quero amar, como se ninguém nunca me houvesse feito sofrer.
Dançar, como se ninguém estivesse olhando.
Cantar, como se ninguém estivesse ouvindo.
Viver, como se fosse no paraíso!

Eu quero rir até a barriga doer
Quem sabe chorar até dormir.
Adoro o pôr-do-sol, e a lua me encanta.

Eu sou quem dorme para o amanhã chegar mais rápido;
quem liga só pra escutar uma voz;
quem corre pra chegar mais rápido;
quem espera sem lembrar quanto tempo;
quem sonha acordada ou dormindo.

Bem ou mal eu sou assim...
Nem tão complicada demais, mas nem tão simples assim!"

20 de nov de 2008

20 de novembro


MONO

Sou a celebração de uma conquista,
sou um momento importante da vida...
Uma parcela que sorri,
uma mulher que realiza!

Denise

16 de nov de 2008

Dia de comemoração



São 10 meses sem tabaco!!!

Livre desse mal pela ação que veio através de um imenso bem...bem querer imenso...

Obrigada!!!

♥ Denise

12 de nov de 2008

Estrada Nova


Eu conheço o medo de ir embora

Não saber o que fazer com a mão

Gritar pro mundo e saber

Que o mundo não presta atenção

Eu conheço o medo de ir embora

Embora não pareça, a dor vai passar

Lembra se puder

Se não der, esqueça

De algum jeito vai passar

O sol já nasceu na estrada nova

E mesmo que eu impeça, ele vai brilhar

Lembra se puder

Se não der esqueça

De algum jeito vai passar

Eu conheço o medo de ir embora

O futuro agarra a sua mão

Será que é o trem que passou

Ou passou quem fica na estação?

Eu conheço o medo de ir embora

E nada que interessa se pode guardar

Lembra se puder

Se não der esqueça

De algum jeito vai passar


Oswaldo Montenegro




11 de nov de 2008

Reverência


São pequenas as palavras que falam sobre pessoas.

Grandes são elas, as pessoas. Algumas nem sabem o quanto te ferem, outras, nem sonham o quanto te importam....ou te encantam!

♥ Denise

10 de nov de 2008

Acredito nas pessoas...



Acredito nas pessoas.
Especialmente naquelas em que habita algo mais que a humanidade.
Aquelas que, às vezes, a gente confunde com anjos e outras entidades divinas...
Falo daquelas pessoas que existem em nossas vidas e enchem nosso espaço com pequenas alegrias e grandes atitudes...
Daquelas que te olham nos olhos quando precisam ser verdadeiras, que tecem elogios, agradecem e pedem desculpas com a mesma simplicidade de uma criança...
Pessoas que não precisam fazer jogos para conseguir o que buscam, porque seus desejos são realizados por suas ações e reações, não por seus caprichos...
Pessoas que fazem o bem e se protegem do mal, apenas com um sorriso, uma palavra, um beijo, um abraço, uma oração...
Pessoas que atravessam as ruas, sem medo da luz que existe nelas, caminham firmes e levantam a cabeça em momentos de puro desespero...
Pessoas que erram mais do que acertam, aprendem mais do que ensinam e vivem mais do que sonham...
Pessoas que cuidam do seu corpo, porque este os acompanhará até o fim. Não ficam julgando gordos ou magros, negros ou brancos...
Pessoas, simplesmente pessoas, que nem sempre têm certeza de tudo, mas acreditam sempre. Transparentes, amigas, espontâneas, até mesmo ingênuas...
Prefiro acreditar em relacionamentos baseados em confiança, serenidade, humildade e sinceridade...
Prefiro acreditar naqueles encontros, que nos transmitem paz e um pouco de gratidão...
Prefiro acreditar em homens e mulheres, que reverenciam a vida com a mesma intensidade de um grande amor...
Que passam pela Terra e deixam suas marcas, suas lembranças, que deixam saudades e não apenas rastros...
Homens e mulheres que habitam o perfeito universo e a perfeita ordem nele existente...
Homens e mulheres de alma limpa e puros de coração.

♥ Breno Angellis

* Conheço poucas assim, mas essas, aprendi a admirar, respeitar e me afeiçoar verdadeiramente...com elas dividi prazeres inconfessáveis, aprendi e continuo aprendendo valores incontestáveis e a dividir alegrias multiplicadas...

9 de nov de 2008

A dor e a delícia de ser o que é...



Conversando com minhas memórias, ouvi risos e senti saudade. Fechei os olhos pra ver o tempo...e ao perpassá-lo pelas estranhas andanças das recordações, dei de cara com rostos abandonados, esquecidos e desfigurados pela ação inconseqüente de gestos impensados. Resgatei-os de imediato!

O encontro com a juventude trouxe o amargor dos dissabores e o frenesi das descobertas, a inquietude do que não foi vivido e a deliciosa sensação da transgressão. A vida adulta se misturou no emaranhado das dificuldades e não encontrou mais o esconderijo das traquinagens juvenis. Essa fenda estreita se abre e se fecha, num jogo interessante que pune e premia. Causa dor e alegria.

Um lampejo do resgate de algumas imagens por uma fração de segundos suspendeu a respiração e pos em agonia a traidora construção mental desses momentos distantes. Embora desbotadas, certas lembranças persistem e não se apagam, ao contrário, se multiplicam e revezam a presença. No entanto, se fazem replay dos melhores momentos, dão logo um stop na tristeza. Deve ser a defesa inconsciente construída pela decisão de manter a escolha de ser feliz!

Por isso hoje, só quero por companheira a magia do retorno da viagem que me compôs. Nesse caminho por onde andei tem os rostos que vi e que jamais serão esquecidos, porque não dá pra deslembrar quem se ama, impossível desfigurar uma imagem querida ou abandonar uma história de vida.

Há dias e noites que são longos demais, esse tempo eu uso para construir impérios dentro de mim para abrigar para sempre os meus amores. É esse o lugar que visito quando conversar com minhas memórias necessito.

♥ Denise

Only Time



Quem pode dizer aonde vai a estrada?
Para onde vão os dias?
Só o tempo
E quem pode dizer se o seu amor crescerá conforme seu coração quiser?
Só o tempo
Quem pode dizer porque seu coração suspira conforme seu coração flutua?
Só o tempo
E quem pode dizer porque seu coração chora quando seu amor morre?
Só o tempo
Quem pode dizer quando os caminhos se cruzam que o amor deve estar em seu coração?
E quem pode dizer quando o dia termina se a noite guarda todo o seu coração?
...se a noite guarda todo o seu coração
Quem pode dizer se o seu amor crescerá conforme seu coração quiser?
Só o tempo
E quem pode dizer aonde vai a estrada?
Para onde vão os dias?
Só o tempo
Quem sabe
Só o tempo

♥ Enya

A . D . E . U . S



Uma deu a mão à outra e, saltitantes, as cinco foram brincar.

Nas muitas voltas que a vida dá, tem dores que freqüentam as salas escuras da alma. Acontece quando o sonho desfaz as malas e abre a porta dos fundos para a tristeza entrar. Uma vez dentro, ela olha para o quintal verdejante da esperança e vê a ciranda rodopiando de mãos dadas.

Tremulo e nervoso, ele, incrédulo, tarda na própria existência a acreditar...

♥ Denise

8 de nov de 2008

O dia do Amor!



Há dia para tudo, ou quase tudo.

Dia da mulher, da criança, dos pais, das mães, do índio, do professor, do psicólogo, do publicitário, do médico...

Alguém já ouviu falar do dia do Amor??

Decidi que hoje é o dia do Amor.

Se ele, no seu desassossego, implora alguma atenção,
Me instiga e desafia, cobrando logo a renovação,
Abro a guarda e ouço seu pulsar na mais pura emoção
Ele está vivo lá dentro, bem fundo no coração!

Definitivamente, para mim, este é o dia do Amor!

♥ Denise

7 de nov de 2008

Mareando...



Ah! preciso te ver!
os pés tua areia tocar...
em tua imensidão me perder...
tuas águas minhas dores lavar...

De ti necessito pra ser...
preciso em ti mergulhar...
Em sonho costumo te ter,
no gozo que é te a-mar!

♥ Denise

Conjugando vida:



Eu sofro
Tu sofres
Ele sofre
Nós crescemos!




♥ Denise

6 de nov de 2008

Silêncio



O silêncio dói,
mas não fere.
Machuca,
mas não ataca.

♥ Denise

Eclesiastes 3:1



"Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu...''

Necessária Esperança



Você se considera alguém esperançoso?
Você acha importante ter esperança na vida?
Em que você tem esperança?

Curiosamente, alguns pensadores consideram-na uma ameaça.

André Comte Sponville, filósofo moderno, afirma que a esperança deseja e teme um futuro que ainda não é, que talvez nunca seja, mas que a tortura com sua ausência.

Para ele, nessa esperança que dizemos cultivar, há ainda muita incerteza e angústia, pois não se sabe realmente se aquilo vai ou não acontecer, se vamos ou não conseguir alcançar o que intentamos. É como se nos auto-enganássemos, querendo revestir de um sentimento de prazer, de alegria, um esperar que, no fundo, é totalmente incerto.

Nietzsche é categórico, nesse sentido, dizendo que a esperança prolonga o sofrimento, por isso seria o pior dos males.
Desconsiderando a dose extra de pessimismo nas palavras do filósofo alemão, verificaremos que há muita verdade em seu dizer. Se colocarmos sob observação o que entendemos por esperança, e a forma com que muitos ainda a cultivamos no mundo, veremos que todos estão certos em combatê-la.

A esperança vulgar, do simples esperar comodista, estático, engessado, quase sempre é grande mal para o Espírito nas vias do progresso.
Quantos dizem: Tenho esperança de conseguir uma vida melhor!... Mas não movem um dedo sequer na direção desse sonho.
Quantos afirmam, suspirando: Tenho esperança de que o mundo vai tomar jeito... Mas não são capazes de enxergar que está na sua modificação íntima o tal jeito do mundo.
Quantos têm esperança de conseguir isto ou aquilo, mas não entendem que precisam fazer por merecer tais conquistas.

Ter esperança não é esperar, simplesmente, pois a esperança verdadeira é virtude, é perfeição da alma. Por ser virtude, é força ativa, atuante, e não desejo vago paralisante.
Na verdadeira esperança não há insegurança, e sim, apenas a confiança plena de que tudo acabará bem, independente do que for acontecer.Essa segurança é dada pela confiança nas Leis Divinas, perfeitas, que regem o Universo de forma magnificamente precisa.
Na verdadeira esperança não há a angústia da expectativa. Ela é substituída pela alegria, pela tranqüilidade de quem espera com confiança.


* * *

Quando o indivíduo se encontra na encruzilhada de decisões importantes, é a esperança que o estimula à seleção do caminho a seguir.


♥ Redação do Momento Espírita


2 de nov de 2008

Os olhos do poeta...



Os olhos do poeta
colorem a vida nas cores que deseja vivê-la.
Abençoada conveniência!

Pintam a tristeza sem sombras,
mas seu riso é triste,
quase sem som.

Não é mentirosa sua fantasia,
nem falsa a descrição...
dela vive sua esperança
a andar na contra mão!

♥ Denise


Espasmo...



Fria e escura madrugada.
Quieta.
Vazia.
No silêncio tem ruído...
É a dor chorando baixinho.

♥ Denise

Raio de sol!


Tem um raio de sol na minha vida...me aquece, ilumina, tira da escuridão.

♥ Denise