“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


27 de jan de 2011

Amor extra



“Dentro de você há oito armas espirituais. Conforme a situação escolha a arma apropriada e use-a no momento certo. Experimente e veja como seus limites se ampliam.

(1) Interiorizar-se: busque o que você é realmente, não se perca no que você não é.

(2) Desprender-se: sinta que o passado é uma mochila pesada e desconfortável, solte-a.

(3) Tolerar: deixe de lutar contra o vento e passe a amá-lo.

(4) Ajustar-se: veja que a vida é elástica e seja elástico também.

(5) Discernir: escute sua consciência e entenda que tudo que vem é para o seu bem.

(6) Julgar: seja juiz de si e advogado dos outros, não o contrário.

(7) Enfrentar: faça as coisas pelas quais tem medo e o medo desaparecerá.

(8) Cooperar: trabalhe com outros e transforme o difícil em fácil.”


2 comentários:

JOE ANT disse...

Já utilizei alguns desses conselhos.
Mas, contudo tenho de impôr alguns limites a mim próprio e, não exarcebar as experiências. Já estou em idade avançada e certas experiências têm que ser suavizadas,
para não entrar no ridículo.

Denise disse...

Penso, Joe, que limites são necessários para conter o indesejável, mas viver implica na minha percepção) numa aceitação interna que inclui a suavidade em diferentes épocas da vida - vivemos algumas em que a própria vida pede pausas.
Abraço.