“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


11 de jan de 2013

O precioso tempo...


Às vezes, tudo que precisamos é de um tempo...



Quando fica inverno dentro da gente, pode acontecer daquele sorriso bonito de que lembramos ficar congelado na retina da memória. É como se aquele gelo que sentimos na alma ao ouvir alguma coisa que machuca, nos faça encolher num canto que cura feridas, mas só acontece se houver silêncio em volta, e uma aparente solidão que nos pede para que, por um tempo, se recolham os abraços, os telefonemas, os encontros divertidos. No lugar do riso, nesse tempo, existe o pranto. A gente só precisa escoar a tristeza, lavar as sensações de abandono, rejeição, apagar a decepção, e silenciar.

Não é um tempo ruim, é um tempo necessário, que empresta da esperança a coragem para nos devolver mais inteiros, para que possamos voltar a caminhar lado a lado com quem amamos, escrever todo dia no roteiro da vida a escolha do cenário, o repertório renovado, observando a platéia que dá vida ao espetáculo. 

Muitas das vezes, tudo que precisamos é fechar os olhos e evocar a paz, pedir a sabedoria, entender que para perdoar precisamos antes acertar as contas conosco mesmos. Esse tempo é aprendizado, é sair de cena sem abandonar o palco. É acender sem temor as luzes da ribalta interna, ver com clareza e sem pressa cada elemento que está em descompasso com a estação da vida, e encontrar uma forma de reorganizar a paisagem que vai compor o retrato. Quase sempre parece que esse milagre não tem como acontecer, mas se a gente mergulhar no tempo, com vontade, vai encontrar outros momentos semelhantes e descobrir que a alma sabe qual caminho escolher. Mas tem que silenciar pra ouvir o sussurro que indica qual porta abrir, os sinais claros para seguir, onde assoprar, qual canto limpar, por onde não voltar. 

Muitas vezes precisamos é apertar o passo, afrouxar o laço, espiar ao longe, tapar os ouvidos, emudecer. Se dermos tempo ao tempo, depois de arrancar as raízes, regar novas sementes, esperar pelo orvalho de cada amanhecer, veremos brotar os frutos da esperança, sentindo a brisa que refresca o nascer do novo dia. Precisamos de um tempo pra plantar, e outro para colher.

Às vezes é questão corriqueira que ficou prisioneira de outras tantas tentativas de mudança, viagens rápidas que traçaram mal o caminho e devolveram ao tráfego da vida condutor perdido, desatento, sofrido. Tromba em quem cruza pelo caminho, enxerga na esquina o inimigo invisível, desce aos tombos a ladeira e se cansa demasiado na subida. Só o tempo cura a ressaca, tira o gosto ruim da garganta, elimina da face a noite escura que a alma atravessou.

Às vezes, precisamos ainda entender o tempo das outras pessoas, que precisam, como nós, afastarem-se da multidão de pensamentos, ideias, pessoas infelizes, dramas coletivos, carecem viver apenas as tragédias pessoais. Se soubermos esperar, elas voltam mais felizes, sorridentes, serenas. No seu tempo, com as cicatrizes que ensinaram sobre gratidão, renúncia, humildade, perdão, tolerância, amizade.

Quantas vezes vemos o machucado cicatrizando, e cutucamos a ferida até sangrar tudo outra vez? Nessa hora é preciso depor as armas e parar de lutar. Levantar a bandeira da paz e, simplesmente, entregar-se. Inspirar profunda e demoradamente. Abandonar o medo, recusar a facilidade oferecida pelas ilusões. 

É isso, muitas vezes, a gente só precisa de tempo. Tempo de soltar, tempo de (a)prender. O tempo de renascer!

34 comentários:

Milene Lima disse...

O sorriso há de sempre estar além do mover dos lábios. O sorriso é lindo e sentido, alegremente sentido.

Por que se esperarmos um novo dia, é possível florir outra vez, né? E virá um jardim tão lindo e especial.

Sou assim dessas que não compreende muito o tempo dos outros. Nem morro de orgulho disso e até já evoluí. Enquanto se vive, se aprende... Estou viva? Belisquei-me e concluí que sim.

Quando você pensa alto assim é tão lindo e leve, ainda que o tema carregue feridinhas mal curadas sob letras de sentimento forte.

Beijos, galêga companheira de porão.

Maria Izabel Viégas disse...

Minha amiga linda,
ando precisando não de um só tempo
ando precisando não de olhar para dentro de mim
ando precisando de curar-me da perplexidade do momento que vivo.
Preciso de paz, de solidão, não sei...
Consigo estar numa multidão ficar sozinha.
Dê, ando precisando de me ajudar, entende.
De gostar de mim, nossa, como gosto! Gosto com terna e doce alegria. Gosto da minha solidão, que não é solitária pois que tenho corações que comigo batem.
Ando precisando talvez de ser mais paciente, eu assumo. Ando impaciente com pessoas. Ando sentindo as mesmas pelo cheiro, piro instinto, acho, amiga, que estou mudando de categoria, virando bicho-gente.
Ando não gostando e gostando muito ao mesmo tempo, uau!!!
Isso é normal, minha Dê?
Ando esquisita...
Beijos, querida, nesta pessoa linda que tem cheiro de flor no amanhecer.

R. R. Barcellos disse...

Música para meditar:
TRÊS APITOS
(especial para tecelãs de ideias)

Beijos.

manuel marques Arroz disse...

O tempo tudo consome, só o tempo é que dura.

Beijinhos.

Regina Rozenbaum disse...

Que beleza de texto Dê!!! Desses que a gente se identifica e até crê que foi escrito pra gente...e não foi?rsrs
Só ando meio cansada desse tempo - moroso - de espera de maturação, da tal hora certa...mas não tenho outra saída mesmo, então...es-pe-ro!
Beijuuss lindona

RESILIÊNCIA disse...

cara amiga

Lindo... minha alma aquietou-se com tamanha singeleza.
Hoje, o passado inadvertidamente bateu em minha porta...
E suas palavras, trouxe-me quietude, leveza.

abraços ...abraços...

MARILENE disse...

O tempo que reservamos para nós, em determinados momentos da vida, é de grande valia. Como você mencionou, "sair de cena sem sair do palco". O espetáculo continua, mas sentimos necessidade de meditar sobre o enredo e encontrar as pequenas alterações que sentimos estar ele nos pedindo. Bjs.

Vera Lúcia disse...


Olá Denise,

Belo texto reflexivo.
Há tempos assim, quando o recolhimento se impõe, facilitando o saturamento da dor e o reencontro com nós mesmos. Assim como este tempo é importante para nós, também há de ser respeito no nosso próximo.

Beijo.

pensandoemfamilia disse...

Muito bem colocado a presença do tempo em mossas vidas. È esperar a distância necessária para o recomeçar.
Saudades.
bjs

Luma Rosa disse...

Como bem escreveu Mário Quintana:
"O tempo não pára! Só a saudade é que faz as coisas pararem no tempo..."
Sempre exisitirá uma saudade, mas essa não nos motiva a recomeçar. Ficar preso no passado só nos faz não ter olhos para o futuro. Melhor mesmo "evocar a paz, pedir a sabedoria".
Boa semana!! Beijus,

Toninho disse...

Verdades amiga Denise.
Que o tempo seja nosso mestre e amigo.
Linda semana de paz e luz com alegrias.
Saudades de voce nesta familia.
Desejo que esteja bem.
Um abração carinhoso.
Bjo na alma amiga.

Zilani Célia disse...

OI DENISE!
VENHO LÁ DO "SETE RAMOS DE OLIVEIRA" DO BARCELOS E VI TODOS EFUSIVAMENTE BRINDANDO A VINDA DO "NÍCOLAS", TEU NETINHO E RESOLVI VIR TE PARABENIZAR.
OLHEI EM TEU QUADRO DE SEGUIDORES E JÁ O SOU A BASTANTE TEMPO, ENTÃO ESTIVE AQUI E TE SEGUI,MAS A GENTE SE PERDEU E TALVEZ TAMBÉM JÁ SE FOSTE AO MEU BLOG.
ENTÃO, COMO SOU VOVÓ TAMBÉM, TE DESEJO MUITAS FELICIDADES E QUE ESTE TEU NETINHO TE TRAGA MUITA ALEGRIA, POIS É ISTO QUE OS NETOS REPRESENTAM EM NOSSAS VIDAS.
PARABÉNS A MAMÃE DO NÍCOLAS,QUE PELO QUE VI É TUA FILHA, QUE ELA SEJA MUITO FELIZ COM ESTE ANJINHO QUE "DEUS" AMOROSAMENTE COLOCOU EM SEUS BRAÇOS.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

manuela barroso disse...

Maravilhoso filosofar divagando por dentro da alma como se percoresse todos os corredores que se perdem no labirinto desse eu.
E eu que vinha perguntar se o Nicolas já tinha crescido, eis que me deparo com um delicioso comentário em resposta a uma simplicíssima estrofe que nasceu alí mesmo! E cheguei aqui onde encontrei um EU muito especial!
Denise, obrigada, parabéns
e que apesar dos invernos saibamos fazer o verão dentro de nós e se puder ser, dentro dos que nos são próximos!
Beijinho.Felicidades para o Nicolas

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

Há no entender
o tempo,
todas as respostas
e perguntas,
todas as tempestades
e as brisas...

Que todos os dias
os sonhos nasçam em ti,
como nasce o sol pela manhã...

Zezinha Lins disse...

Olá, querida! Tanto tempo afastada dos blogs, mas estou voltando. Muito bom voltar aqui e tecer um pouquinho com vc. Beijo!

pensandoemfamilia disse...

Adorei encontrar por aqui este texto, os motivos....
Grata por esta forma simples de tratar de algo tão complexo, nossas dores.

bjs
saudades

Jeanne Geyer disse...

ilusões nunca mais, prefiro a palavra esperança, mas parece que tá em falta! refleti muito lendo o teu texto e certamente levo aprendizados valiosos para a minha vida...
bjs
http://eubipolarbuscandoapaz.blogspot.com.br/

Denise disse...

Mi, moça querida e companheira de porão...rsrs...evoluída e querida, cheia de vida e boa observadora que é, tuas palavras são como alguns raios de sol aquecendo este tear...rs

Pensarei em voz alta muitas vezes, pra que ouça-me daí... ;)
Beijos, com a saudade que o tempo traz em meu coração que te quer bem!!

Denise disse...

Tanto tempo já se passou, Iza, minha amiga querida, que deves já ter-se ajudado, melhorado, sarado, até sentir-se curada...acertei??? ;)

Tão normal essa mistura de sentimentos e quereres, tão profundas são as dores, tão pesado é o cansaço...mas tudo, absolutamente tudo, passa, não é assim? Fica o aprendizado que amplia a visão de mundo, de si mesmo...na minha modesta opinião, viver é uma complexidade que pode ser simplificada, mas entre a teoria e a prática, vc sabe, tem anos luz de distância...rsrs

Beijos, Iza, com o carinho de sempre e o afeto renovado para mais este ano de amizade!

Denise disse...

Tendenciosa tua indicação, Poeta querido, mas bela, muito bela...os apitos tocam, mas ninguém toca um coração com versos, como vc!!!

Beijos, para um FELIZ 2013!

Denise disse...

O tempo dura o suficiente para nos mostrar o que precisamos ver, Manuel, amigo querido...assim como teu carinho e afeição!

Beijos, com o desejo de um ano FELIZ pra vc, vovô!

;)

Denise disse...

Esperar, Rê, é parte indispensável do aprendizado...e isso o tempo não mensura, propicia...e (a)morosamente Ele nos dá a paciência das espera...o tal tempo dEle que não é o nosso...aff...como demora, não?... ;)

Esperemos, irmiga minha, esperemos, confiantes, irmanadas no tempo e nos resultados...rs

Bjãozão, queridona!!

Denise disse...

Ari, meu querido Ari, fico feliz demais por ter, indiretamente, contribuído para esse sentimento de leveza, a sensação de quietude necessária - que perdure e seja companheira neste ano todo!

Um forte e carinhoso abraço!

Denise disse...

Pois é Marilene, considero, como vc, que parar para pensar sobre a vida, os fatos, os objetivos, as palavras ditas, os sonhos adormecidos, as ações, as omissões, os planos para o futuro, o presente que nos toma tempo...é necessário, saudável e importante. Foi o que fiz, é o que faço, desde que aprendi a rever a vida para mudar o que precisa...acho fundamental!

Feliz por te-la aqui no meu Tecer!
Beijos!

Denise disse...

Tua síntese, Vera Lúcia, é perfeita!
Concordo, endosso e convido a todos para esse exercício que é VIVER!!

Tua carinhosa presença traz imensa alegria ao meu ser!
Bjos!

Denise disse...

Esse tempo que antecede o recomeço, pra mim, passa pelo repensar, Norma.
Saudade tb...bjos!

Denise disse...

Pedindo sempre pela sabedoria, buscando sempre a paz, feliz sempre com tua presença amiga, Luma!!!

Feliz carnaval, querida!

Denise disse...

Oi Toninho, grata pelo carinho, estou bem sim, e fiquei afastada pelo período em que atendi bem de pertinho de minha filha, seu bebê recém nascido, do genro...um período dedicado ao amor!

Estou de volta aos poucos, com muita saudade tb, de todos vcs, amigos queridos!
Bjos, boa folia de carnaval pra vc! ;)

Denise disse...

Oi Vovó Zilani, que bom te receber aqui, receber esse carinho e poder retribuir, agradecendo teus votos e te contando que Nicolas é um doce de bebê, e que estou apaixonada por ele!...rs

Estou voltando devagar pq o tempo anda curtinho pra mim, mas feliz em encontrar aqui tanto carinho na minha ausência...OBRIGADA!!!

Abraço forte e carinhoso pra vc!

Denise disse...

Manuela, a simplicidade é o tesouro precioso que a gente muitas vezes deixa de valorizar, obrigada pelo teu interesse carinhoso, Nicolas está crescendo forte, saudável, lindo...adorável!

Beijo grande!

Denise disse...

Aluizio, que assim seja, que hajam muitos amanheceres cheios de sonhos - e que eu possa realizar todos eles!

Obrigada pelo carinho e presença!
Bjos

Denise disse...

Bom te rever por aqui tb, Zezinha, além do face, que teçamos a vida na amizade que sentimos!

Beijos!

Denise disse...

Compartilhar ideias pode ser interessante, dividir sentimentos, uma ousadia...

Beijos, Norma, retomando aos poucos o tempo que passo por aqui, com vcs...e adoro!

Denise disse...

Que bom Jeanne, saber que uma simples leitura permite boas e importantes reflexões, fico feliz por compartilhar com vc minhas ideias, os sentimentos, as aflições...em conjunto, a gente pensa melhor, né?...rs

Beijos, minha amigaúcha!