“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


5 de jul de 2012

Tudo é tão simbólico...já percebeu?





Você já viu uma marreta descer sobre uma parede e, após cada golpe desferido, abrir buracos no que um dia foi tão sólido?
Eu vi...os pedaços atirados longe levantaram poeira, e o barulho se misturou quando batia e quando caía...onde havia parede, agora há aberturas para portas grandes, e onde estava aberto, fechado agora ficou! Tão simbólico tudo isso...
Antigos azulejos foram trocados por modernas cerâmicas, a casa já mudou antes mesmo de ficar pronta! A escolha das cores e formas vem acompanhada da segurança de quem decidiu mudar e sabe o que quer, e não há sugestão externa que influencie no gosto que o olhar atento procura atender nessa busca. As opções são tantas, mas não interferem no seletivo observar das infindáveis fileiras de pedras e cores variadas. O encontro do desejo com a oferta rapidinho se casa e resolve essa parada. A semelhança na vida não é mera coincidência!!
Cada mudança efetuada fica concreta nos detalhes mínimos que foram pensados, e em tudo que está sendo substituído - mais o re-arranjo dos cômodos antigos - dando características novas ao que sempre existiu. Nada mais é como antes, nem jamais será. Como ocorre em toda mudança, olhar para as portas abertas é saber que representam uma passagem, e como se fosse um aceno, um último olhar varre os aposentos, como quem se despede e se volta para a saída. Ou seria entrada?
Igual as mudanças que vejo na minha casa, as minhas acontecem de dentro pra fora, e estas que tenho vivido na construção, bem representam a mais íntima - e mais importantes de todas, a que acontece dentro de mim!

Há quem veja portas como obstáculos, outros, as vêm como passagem.
Há quem construa seu castelo e more dentro, há quem habite o vazio dos sonhos que deixou pelo caminho.

18 comentários:

Milene Lima disse...

As mudanças internas, as de dentro pra fora, são tão contundentes quanto essas, das paredes destruídas? Talvez nem gritem, mas marcam bem mais, né?

Lá na frente a gente olha o resultado, da parede e da alma, e percebe que tudo se deu bacaninha.

Beijo...

Denise disse...

Depende de cada um a intensidade das mudanças - e seus efeitos - mas pra mim são, até mais que estas, Mi...e não vejo as paredes destruídas, percebo que podem ser afastadas, diminuídas, abertas...a gente pode flexibilizar...o que acontece mais, entretanto, é esse barulho e essa demolição...basta desconstruir...o processo do novo nada mais é do que a desconstrução do antigo...lei da físisca, não cabem dois corpos no mesmo espaço...rsrrs

Mas lá na frente tudo fica bacaninha, sem poeira, arranhões ou marcas feias!
Beijos, querida!

R. R. Barcellos disse...

Uma Fênix renascida
Um novo ninho requer
Como abrigo e guarida
Para uma nova mulher.
As cinzas, levou o vento;
Na brisa foi-se o lamento
De quem bem sabe o que quer.


E assim, do casulo renovado sairá uma renovada borboleta para alegres voos em busca do néctar que lhe é vida.
Seca bem tuas asas, borboleta. Beijos!

Denise disse...

Não sei como cabem essas imensas e generosas lindezas em versos e rimas...mas sei apreciar-lhes a delicadeza e ver-te naquilo que dizes...

Desde que me lembraste de secar as asas, elas estão ao sol...na brisa e no calor de meus afetos!

Bjos, Poeta querido!

She disse...

Oi Dê, quanto tempo, tudo bem querida? Menina eu amei esse seu post e ele me levou a lembrar de um sonho recorrente que tive em um momento de minha vida... ;)
Adorei!
Beijo, beijooooo
She

Regina Rozenbaum disse...

Ah como tudo isso é misturado e ao mesmo tempo organizado. À primeira vista parece um caos de tanta confusão...e com o tempo, fundamentado nesse seu desejo genuíno tudo se ajeita. É isso irmiga, está com as portas da alma escancarada para esse novo voo...e não como não ser belo, como não agregar novos afetos de viagem. Ontem, lá na Casa, fizemos a Consagração do Aposento (coincidência?!)...LINDA LINDA LINDA (irei postá-la, completa, no divã) deixo aqui pra vc a Oração (vá fazendo nessa nova casa, ok?)
"Agradeço-te, ò D'us, porque este recinto está cheio de Tua presença.
Agradeço-te, porque vivo e me movo por Ti.
Agradeço-te porque vivo em Tua vida, verdade, saúde, prosperidade, paz, sabedoria, alegria e amor.
Agradeço-Te, porque todos os que entrarem aqui, sentirão a Tua presença.
Agradeço-te, porque estou em Harmonia, Amor, Verdade e Justiça com todos os seres."

Beijuuss, lindona, n.a.

Liz - Como as Cerejas da Minha Janela... disse...

Ah, hoje bateu uma saudade de voce e vim te ver... e leio este texto lindo...

Acho tão bom quando estamos em pleno momento de manifestações de mudanças, porque isto é tão difícil... somos tão acomodados, que quando isto acontece, para mim, é uma benção...

Desejo para voce uma coisa só: Liberdade, em todos os sentidos...
porque é o desejo profundo dela que nos faz e traz momentos de grandes metamorfoses...

Beijos querida!!! um dia lindo!! sempre bom estar ao seu lado, pode ter certeza...

Denise disse...

Verdade She...mó tempão...rsrrss

Sonhos são o combustível pra vida, né queridona?
Tenha muitos, tenha todos que quiser, realiza-los depende principalmente do teu querer!!

Bjão procê!!!

Denise disse...

Amada minha, que lindeza de oração!!!!!!!!

Vou transcrever pra seguir tua recomendação...hj ainda fiquei lá bastante tempo fotografando a evolução da obra...só mesmo vc pra lembrar e compartilhar...obrigada, irmiga!!!

Essa organização ja começa a ser vista pelos cômodos que passam pelo recolhimento dos materiais diversos espalhados pelo chão...em soncronia com aquela que acontece aqui dentro....rsrrss...tudo certinho...rs

Bom demais...bjãozão, Rê_zinha!

Denise disse...

Oi, Liz....a-do-rei a visita, é sempre muuuuuito bom compartilhar com quem está em sintonia, tem afinidade de ideias, carinho pela gente...ô coisa boa!!!!

Concordo com vc, a acomodação tira o brilho da vida, a festa que é acordar e ter muuuitos motivos pra viver!!

Né???...rsrs

Bjos, querida, adorável tua visita!!!

Bloguinho da Zizi disse...

Por vezes precisamos descer amarreta nos muros e paredes que construímos, para poder vislumbrar o outro lado.
Toda mudança gera uma situação estranha, mesmo quando ela é muito desejada.
Viver é adaptar-se!

Então VIVA A VIDA!

Oh Deus, mas prá quem eu estou dizendo isso?
rsrsrs

Beijinhos

Toninhobira disse...

Somos uma casa Denise, que deve sempre passar por uma reforma.Que estejamos sempre nesta mutação para o bem.Lindo texto.
Meu abraço carinhoso.
Beijo.

Leonel disse...

É preciso coragem e certeza do que se quer para mudar alguma coisa...
O que foi mudado jamais voltará...
E, as vezes, é este o bom da história...
Abraços, Denise!

Denise disse...

Pois ouvi os ecos, Zi...servem tb para mim..rsrsrs

Toda mudança gera a necessidade de adaptação, uma verdade...mesmo sendo boa e trazendo modificações boas...isso é o que merece atenção...a desconstrução acontece dentro da gente e se manifesta nas atitudes...

...ouviste daí os ecos desta minha conversa íntima, tb?...rsrsrs

Bjos, amada!

Denise disse...

Pois é Toninho, essa obra não tem fim...e isso é o que nos faz melhores, pq nos oferece as oportunidades dos recomeços...que bom, né??

Abraço forte!

Denise disse...

Verdade Leonel, uma vez acontecida a transformação, nada mais ;e o que j'foi um dia...e isso não é necessariamente ruim como parece!!

Um grande abraço, meu amigo!

Sueli Gallacci disse...

Denise, as mudanças são uma constante na vida e inevitáveis. Com o passar dos anos vamos fazendo reformas em nós mesmos, nos revestindo de uma nova aparência, novos interesses, novas metas, tudo é novo. Mas o velho ainda está lá por baixo de tudo que fomos um dia... Lindo seu texto, me pego a pensar em tudo isso e chego à conclusão que é bom que seja assim... Encontro-me atualmente em plena faze de mudança, em meio a reformas, quebrando o 'velho revestimento'.

Parabéns amiga!

Bjo grande.

Denise disse...

Pois é, Sueli, essa impermanência é o que nos faz crescer, superar, aprender, mudar...acho válido a gente olhar para a desconstrução que fazemos não como escombros, e sim como pedaços que não se encaixam mais no velho quebra-cabeças...mas respeitar-lhes o lugar que já ocuparam e preencheram um dia.

Boas mudanças, minha amiga, que sejam boas as etapas e resultados!
Beijos!!