“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


30 de jun de 2012

A escolha é sempre minha...




Eu tenho no peito uma agitação que não me deixa desistir!
Não consegui encontrar outra expressão mais fiel ao que sinto!
No terreno sem flores eu posso pintar as que eu quiser, da cor que imaginar, enquanto canto alto o brado valente daquela que persegue os sonhos - verto as dificuldades que encontro, mas invento maneiras novas de viver. Me refaço a cada breve interrupção, respiro fundo e retomo a caminhada.
Quando o sol abre meu dia, como hoje, tudo flui muito melhor, mas também há chuvas e trovoadas no céu da minha vida, e são o cinza e o frio desses indesejáveis dias que desfocam os passos em direção ao traçado feito pra mim...me impedem de ver o caminho!
Temporariamente, uma trégua proponho ao ego que persiste na tarefa de controlar-me, e o equilibro energético que restabelece minha relação com meu mundo particular, espana essa névoa traiçoeira e me põe a caminho, mais uma vez. E num crescente recomeçar, venço novas etapas, redesenho o caminhar, me recosto à sombra enquanto me delicio com a paisagem inédita.
Não é da responsabilidade de ninguém os obstáculos ou as belezas que encontro pelo caminho, sou eu quem escolho por onde ir, e se há equívoco, ele acontece nessa hora, não na direção tomada - esta é mera conseqüência.
Estes recomeços são as lições aprendidas, as novas tentativas, a esperança que me impulsiona, frutos de um leve cansaço que não me derrota!


8 comentários:

manuel marques Arroz disse...

Ser é escolher-se...

Beijinhos e bom fim de semana.

Denise disse...

Pois é Manuel, não existe ninguém lá fora, tudo acontece em nós!

Ótimo fds pra vc tb, amigo querido!
Bjo

Vivi... disse...

Oi Denise,
Lindas palavras, senti como se fosse eu a escrever, remeteu-me ao mais profundo do meu eu que luta, busca e nunca desiste dos sonhos...e tudo supera...
Amei cada palavra...

Um ótimo final de semana!!!

bjs

Vivi

Milene Lima disse...

É por isso que eu me privo de cantar mágoas e tentar inventar culpados... Amei essa frase do Manuel... "Ser é escolher-se". Que massa! Roubarei, claro.

Lôra, você sabe o quanto admiro essa tua serenidade, o quanto esmiuça os sentimentos e sabe exatamente como cada um funciona, mesmo que não consiga, de imediato, fazer os mal-comportados agirem diferente.

Bacaninha mesmo.
Beijão!

Regina Rozenbaum disse...

O inverno chegou e eu vi. Vi pelos brotos que despontaram na minha orquídea, vi pelos ipês cor-de-rosa nas ruas da cidade, vi pela árvore de flores escarlates. E fiquei feliz. O inverno é a minha primavera. E não é só pelas flores que eu digo, inverno e estação boa, é disposição, elegância, amadurecimento e apetite. Algo sutil acontece no inverno e eu começo a perceber a sutileza. Ao contrário das árvores frutíferas – que são podadas nesta época – no inverno, a gente cresce. Deve ser porque ficamos mais quietos, mais introspectos. No inverno, as pessoas não hibernam, mas vão para dentro, e é aí que as grandes mudanças acontecem. Boa invernada procê irmiga!
Beijuuss n.a.

Denise disse...

Olá Vivi, tua gentil visita trouxe esse carinho, que agradeço e retribuo, feliz por tua presença.


E isso, né? super_ação....

Um beijo!

Denise disse...

Sei que vc me MI_ma, isso é massa...rsrs

Eu não sei se conheço cada sentimento, ocorre que os meus são tão fiéis que os conheço de cor...rsrsrrss

A serenidade é uma mansidão que tento alargar no peito...tento!

Beijos, adorável surrupiadora confessa!

Denise disse...

Rê?....adivinha o que vai acontecer com "No inverno, as pessoas não hibernam, mas vão para dentro, e é aí que as grandes mudanças acontecem"....???

Te vi refletida nesse inverno maduro de ser...incrível como a gente mergulha e sai inteira, né irmiga???

Bjãozão no core, bem grandão!