“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


8 de fev de 2012

Operação bem sucedida!





Para atualizar as notícias sobre o novo colchão, preciso contar sobre o desfecho...
Como me propus, passei pelo critério da loja, aceitei a semana de forçada adaptação - o que não ocorreu.
Esta manhã preparei-me para o pior, e fui - disposta a voltar com uma solução!
Enquanto me arrumava, preparei um discurso, onde, claramente exporia minha condição e levaria duas perguntas, apenas: este fabricante considera a satisfação do cliente como um critério importante quando vende seu produto? Diante de uma resposta positiva, perguntaria quando iriam substituir meu colchão.
Trouxe pra compartilhar com vocês, alguns ensinamentos...
Primeiro, eu queria resolver em paz, mas, percebam, armei-me para buscar a solução pacífica. Incongruente, ainda que estivesse agindo levada pelo atendimento completamente inadequado de uma semana atrás. Sobre isto, nada foi mencionado - e eu não queria uma retratação ou pedido de desculpas, queria um colchão, e queria que isso fosse resolvido sem brigas. Queria o tratamento respeitoso e eficiente do dia em que comprei duas camas!
Quando entrei na loja, a vendedora, sorridente, me saudou dizendo que iria me ligar hoje - independente de ser verdade ou não, acolheu-me com educação e foi cortês. Eu fui logo retribuindo o sorriso (guardei as armas ao perceber que a munição era uma estupidez!) e contei a ela que voltava depois de cumprir as normas da loja, muito triste por não ter conseguido adaptar-me à minha cama nova, que já ganhou enxoval completo e está linda - apesar de desconfortável.
De pronto ela me disse que a ordem para substituir a mercadoria já estava liberada, e enquanto preenchia os papéis necessários, ganhei uma massagem na cadeira maravilhosa que vendem lá, depois assinei o que pediram e paguei o referente ao transporte de retirada e entrega do meu novo colchão. Ah, e agradeci a vendedora pela pronta (?) solução, claro!
Saí da loja satisfeita com três coisas: tive meu problema resolvido - espero amar o novo colchão, pois será este o meu companheiro de jornada noturna, e pronto! - e isso aconteceu com a tranqüilidade que desejei. Terceiro ponto e o mais importante, talvez, foi a lição: se desejo a paz, não devo usar armas. Eu era a outra parte dessa relação, a que sairia beneficiada e tinha o interesse em resolve-la sem estresse. Desfiz-me das armas e melhorei a intolerância.
Dentro de alguns dias, meu sono vai ser como no sonho que tive quando resolvi trocar meu amor velho por um novo - e aqui cabe outro aprendizado: queremos ganhar com o novo, muitas vezes, comparando-o ou não largando o velho, e isso também compromete o resultado.
Estou feliz por tudo ter caminhado para um desfecho bom e em harmonia.

Aguardem o champagne em celebração do resultado final!!

22 comentários:

manuel marques disse...

A importância de ouvir os clientes…

No aeroporto, o pessoal estava na sala de espera a aguardar a chamada para embarcar… Nisto aparece o co-piloto todo fardado, de oculos escuros, de bengala e bué de velho. A funcionária encaminha-o até ao avião e assim que regressa explica aos passageiros que apesar dele ser cego, é o melhor co-piloto da companhia.

Alguns minutos depois chega o piloto, de bengala, oculos escuros, amparado por duas funcionárias. Nisto, elas voltam, passam pelos passageiros já alarmados com o que estavam a ver, e dizem que apesar dele ser cego é o melhor piloto da companhia.

Todos embarcam no avião preocupados com os pilotos…

O comandante avisa que a avião vai levantar voo e começa a correr pista cada vez com mais velocidade…

O avião vai a aumentar de velocidade e nada de levantar voo… a pista está quase no fim e nada do avião sair do chão…

O desespero toma conta de todos os passageiros e começa uma gritaria histérica. Nesse momento a avião descola…

O piloto vira-se para o co-piloto e diz: ” Se algum dia o pessoal não gritar, nós estamos lixados…”

Beijinho e dorme bem.

Leonel disse...

Não creio que você tenha errado ao preparar-se para o pior...
Como diziam os antigos, "Si vis pacem, para bellum".
Se queres a paz, estejas pronta para a guerra, pois assim, ela (a guerra) não virá!
Tenha bons sonhos no seu novo colchão!
Abraços, Denise!

pensandoemfamilia disse...

Espero que possa nos dar o resultado que espera: boas noites de sono.
bjs

Cida disse...

Que ótimo, que afinal tudo deu certo!
:)

Te desejo agora, lindos sonhos!

Sonhe com os anjos, mas não caia da cama!

Hehehehehe

É muito bom, quando no final, tudo acaba bem, e em harmonia!

Beijão pra você, e Deus abençoe.

Cid@

Milene Lima disse...

Quem dera esse seu jeito diplomático, educado, se manifestasse por aí, né? Por que mesmo tendo ido "armada", você facilmente as deixou de lado e outras pessoas na mesma situação, desnecessariamente teriam dito desaforos a pobre vendedora que só estava ali ganhando o seu pão.

Admirável, és admirável, lôra.
Que esse colchão seja bacaninha contigo.

Beijo!!!

Ivana disse...

Denise, bom dia!
Que bom que tudo terminou bem pra você! Quantas e quantas vezes, nós consumidores saímos prejudicados! Você disse bem, a paz é o melhor caminho para todos, um ótimo dia pra você, bjs

Xipan Zéca disse...

Deny minha frô..
Hehehe...

"Trata-se de sermos tratados como devemos ser tratados e não tão somente como os manuais que eles usam ensinam que queremos daquela maneira tratados sermos..." ( ou maiomeno isso ) .. rss

Beijo
E Xucessssssu na nova empreitada.
Tatto/Xipan

R. R. Barcellos disse...

Entre amores (novos ou velhos) e colchões (velhos, novos ou rejeitados) você nos oferece uma bela lição de vida.
PS: Naquela poltrona massageadora há lugar para dois?
Beijo.

Regina Rozenbaum disse...

Li abaixo para entender esse caso amoroso. Então foi assim: o colchão berrou, o corpicho de minha irmiga registrou e a proprietária solucionou "diplomaticamente" numa guerra fria?! Sabe meu desejo? Mais que você ame seu novo colchão, seja muiiiiito AMADA nele!!! E tenho dito.
Beijuuss, lindona minha, n.a.

Dja disse...

Oie lindona


Tão bom quando tudo consegue ser resolvido sem estresse,espero que tenha lindos sonhos,nesse seu novo
companheiro de todas as noites.


beijos no seu coração

Denise disse...

rsrsrsrs...essa é conhecida, muito boa...eu, quando entro num avião, olho bem pra cara do comandante...pra ver se é bonito e tem horas suficiente de vôo...rsrsrs

Beijos, queridão!

Denise disse...

Ah, Leonel, eu acho que a gente despende uma energia enorme - e mal qualificada - quando se "arma"...e isso tudo volta pra gente mesmo....entretanto, concordo que neste caso, estar preparada para argumentar, era uma boa estratégia, mas, ainda assim, pode ser com boa vontade. Coisa que eu acho, a vendedora aprendeu.

Terei os sonhos bons voltando assim que a cama estiver aqui...
Bjos, meu amigo!

Denise disse...

Norma, eu tenho certeza que assim será!
Em breve, notícias!...rs

Bjos

Denise disse...

Oi Cida, eu penso que toda adversidade trás o aspecto do aprendizado, e toda solução, o alívio que buscamos.
Me sinto duplamente satisfeita!

Beijos, amigavó! Terei lindos sonhos, e, mesmo que eu tenho f
diminuído o tamanho da cama, ainda assim cabem dois sem cair....rsrsrsrs

Denise disse...

Mi, disconcordo de tu....rsrs
Acho que outras pessoas já passaram por constrangimentos - tu entende bem dessa palavrinha, moça arteira.....rs - e conduziram mal as negociações, outras, conduziram melhor. Aposto que os melhores resultados obtiveram os que optaram pela paz...e aí incluo o resultado positivo da conversa e o aprendizado, visse!

Beijos, Mi_nha querida...tu é muito, mas muito especial!

Denise disse...

Ivana, amiga que já me conhece de outros carnavais....rs...eu vivo e aprendo, e acho que partilhar contribui para que novos olhares aconteçam sobre coisas da vida. Eu prefiro por em uso o que aprendo, senão, de que vale, não é assim??

Beijos, minha amiga - retribuo o carinho, desejando que tenhas uma noite perfeita!

Denise disse...

Tattooooooo...vc aqui!!!

Nem vô dizê que tava cum sôdadis, tu não mereci...kkkkkk

Eu tendi, é máiomenus assim, rsrsrs...vô durmi quinem quilança...rsrs

Que bom ter vc aqui, a-mico!
Bjão grande como tu!

Denise disse...

Rodolfo, eu entendo que compartilhar é importante, e, neste caso, trouxe apenas outra visão de uma mesma coisa.

A cadeira massageadoratudodebom não é de casal...nem comporta pilha de gente....rsrsrs (mas se custasse um preço razoável, bem tinprestava a minha....rsrs)

Beijos, querido!

Denise disse...

Eitaaaaaa Rêzininha minha floooorrrrrr....AMEI esse teu desejo...vem cá mô bein, abaixa aqui preu ti falá...rsrsrsrs


Ai ai...tu é tão querida e faz tanta festa em meu coração, irmiga, que mandei foi pra longe qq vestígio que não fosse de alegria pura...amo-te!

Bjãozão, amada!

Denise disse...

Terei Dja...acordada e dormindo...rsrs

Bom ter vc aqui...teu Dja tocando em frente é um lugarzinho muito gostoso pra ficar, ficar, ficar curtindo teus garimpos, as imagens lindas, adoro!
Bjos, querida!

Toninhobira disse...

Nossa que beleza de ensinamento Denise, a vida pede este parar e pensar,desarmar.Linda sua cabeça fria diante da dificil relação com estas empresas, que só querem vender.
Adorei saber no final que tudo vai bem.Que assim seja mesmo amiga.
Um abraço carinhoso de paz e luz.
Bju.
Linda esta foto ao lado com uma flor.

Denise disse...

Neste caso Toninho, quando a gente experimenta as camas expostas na loja, parecem mais confortáveis - eu imagino que os colchões sofreram mudança pela quantidade de deita/levanta dos clientes. Eu me sentei no colchão que provei pra comprar a minha, e a cama me pareceu mais macia do que a minha...mas existe uma versão que o bloco de látex é mais macio, e foi por este colchão que troquei. Se não for como o da loja - macio na medida que quero! - chamo meu neto e pulamos a tarde inteira, amaciando....ou recorro a recursos outros igualmente amaciantes....rsrsrs

Brincadeiras a parte, não imagino que a vendedora mantenha o comportamento descrito anteriormente - talvez estivesse num mau dia, ou já tenha enfrentado clientes "armados"e bons de pontaria....rs. O que não justifica em absoluto sua descortesia, claro. No final, penso que aprendemos todos, e que o fabricante faz seu papel, se houver pouca disposição do cliente para reivindicar, ele se poupa. Comigo, não colou...rsrs

A foto é das férias...um flagrante gostoso!
Beijos, meu amigo atento....rs