“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


12 de nov de 2011

O amor...


E o amor, quando se agiganta, fica [muito] maior do que as tristezas porque já superou as decepções, então, toma conta do corpo, da mente, invade os recantos da gente e chega onde se escondeu a saudade - e dela vem a precisa informação: que sente falta do abraço quente, do sussurro no ouvido, sente o cheiro e o calor das mãos.
Esse amor, quando aparece, desafia o medo, enlouquece os sentidos até que, cativos, confessem a falta que sentem do arrepio na nuca, da pressão das mãos no corpo entregue sem medida, do beijo terno em cada despedida.
Esse amor que faz desejar, sem rodeios, estar com quem ama e cobrir esse alguém de carinho, é aquele que incendeia cada parte adormecida quando desperta as mais profundas emoções. O amor quando cresce, encolhe as desavenças, é como água fresca num dia escaldante, é a brisa que reanima o riso fácil e com a voz mansa repete que ama, enquanto olha dentro dos olhos que exalam o carinho que a alma acolhe enquanto se inflama.
Esse amor que tem urgência é a mistura da saudade com a vontade de fechar os olhos e descansar a cabeça no ombro, aninhar-se no colo e ouvir as palavras mágicas que curam todas as feridas.
Esse amor se parece com fazer uma viagem sem roteiro e não querer voltar antes do amanhecer, é não esgotar jamais o imenso bem-querer, é olhar pro céu e ver estrelas cadentes pra terra descer.
O amor que se avoluma e preenche, rouba todo o espaço das inquietações e pinta de branco os buracos negros das amarguras, enquanto as mágoas desbotam ao desfilar no tapete dos sonhos lindos do amanhã.
Esse amor é vida que lateja quando nos ronda, é maior que tudo, é verso das cantigas pra ninar e prosa alegre nas noites de luar.
Esse amor tão grande quanto o assombro que nos toma, transforma em dia a noite que há no coração, é como música que embala a saudade, não escapa nada, nenhuma emoção - dançam todas ao som dessa linda canção!



* Atendendo ao pedido Rê, imortalizado está!

4 comentários:

pensandoemfamilia disse...

Ah! esse AMOR é tudo de bom. Bonita sua inspiração.
bjs
Bom final de semana

Regina Rozenbaum disse...

Ah minha irmiga, como é bom numa manhã de domingo ler esse amor que "aquece a alma". Sei bem dessa saudade e a falta que ele faz. Mas, passarinho me contou, que ele já ronda a porta desse coração. E, pelo que senti, ele está preparadíssimo para recebê-lo! Lindo:o amor quando cresce encolhe as desavenças! Imortaliza aí numa imagem e coloque-a ilustrando-a essa postagem amorosa, linda de viverrrr!
Beijuuss, amaaaada, n.a.

Denise disse...

Bom dia Norma!
O amor inspira, quando é ele que a gente respira...

Bom domingo!
Beijos

Denise disse...

Passarinho danado esse...rsrs...fofoqueiro...rsrsrs

Teu desejo é uma ordem, 'bora providenciar, moça!!
O amor é assim, transforma, purifica, contagia, ilumina...ai ai ...rsrs

Beijo grandão, mana amada!