“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


4 de mar de 2011



"Nostalgia: nevralgia das recordações."

R. Gómez de la Serna

4 comentários:

Adriana M. disse...

Olá querida! Obrigada pela a visita,sóagora estou vendo teu recadinho. Eu ainda não estava acompanhando teu blog,por isto que minha foto não aparecia,mesmo pq não vejo o pq de acompanhar um blog anônimamente se é de imensa felicidade nossa ver que alguem entrou em nosso espaço,gostou e ficou! Sobre o texto de perfil, não foi do teu blog que eu compartilhei,foi de outro onde tbm não tinha a autoria de Clarice Lispector. Sobre o outro texto que vc mencionou,assim que eu tiver um tempinho farei a correção.Embaixo no meu rodapé,está escrito que qualquer coisa ali postada sem autoria,que me comuniquem,pra vc ver que não sou inexperiente,pode ser que esqueci de colocar a autoria ou realmente não tinha.. qdo entro,faço muito rápido,meu tempo é curto,sou assistente social e resolvi fazer este blog, somente para levar descontração e não com intuiuto de compartilhar minha vida particular,nos dias de hoje,tenho receio,pois neste mundo virtual,vemos de tudo,infelizmente! Obrigada querida,me perdoe qualquer mal entendido.Bom fds..bjs de luz

Jeanne disse...

Relembrar eventualmente o passado é bom, em excesso penso que é porque algo está faltando no presente.
Melhor aproveitar o hoje...
Beijos

Denise disse...

Adriana, não vou responder a vc por aqui. Uma vez que vc prefere apagar o que é escrito, deduzo que este teu coment vá "sumir" daqui - e esta dedução foi vc quem me ofereceu ao apagar meu comentário lá no seu blog. Mas tenho cópia dele, na íntegra, não há problema.

Que pena que uma coisa tão pequena tenha evoluído para isso. Tão desnecessário...

Denise disse...

Jeanne, querida, refeita da correria da volta, vejo que permanece com teus senso crítico elevado, com uma observação aparentemente simples, mas profunda demais!
Tem um traço saudosista que pode estar denunciando uma possível falta, concordo contigo, mas tb existem atitudes provenientes de um estado mais significativo um pouco doentio, que acorrenta a pessoa num ciclo/período da vida que ela não consegue se desvencilhar, beirando o patológico. É mais do que apego, é mais do que saudade...

Adorei teu comentário, como sempre é uma alegria tua presença por aqui!
Bjos e um ótimo carnaval, minha amigaúcha querida!!