“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


10 de fev de 2011

Evolução


Ilustro a postagem de hoje reeditando um pensamento:



"Tudo está fluindo. O homem está em permanente
reconstrução; por isto é livre: liberdade é
o direito de transformar-se."

Lauro de Oliveira Lima


Respondendo ao amigo Antônio Carlos, do UAI, MUNDO? O blog do Cacá, percebi que a minha resposta renderia uma crônica. O tema espiritualidade saiu das estantes esotéricas e das rodas de conversas sigilosas, para se instalar na gente - com consciência, sem a preocupação com causa e efeito do olhar do outro sobre nós, uma vez que nossas escolhas são pessoais. Com isto, quero dizer que a escolha de evoluir não fica refém daquilo que pensam sobre o assunto - ou sobre mim.

Ser espiritualizado é o que, afinal? É ler sobre o assunto? Seguir uma doutrina? Ter fé?
Acho que tudo isso compõe um conjunto maior.
A espiritualidade é, pra mim, um estado interno - onde a conexão com minhas crenças e valores, de maneira consciente, favorece a evolução do Ser enquanto espírito e corpo, um conjunto inseparável. Entretanto, é saindo do controle no mundo das ideias e entrando no reino da comunicação de alma, que o processo acontece. Entregues à parte sábia de cada um de nós, o inconsciente, o mergulho ao Eu Superior que nos habita dispara o processo - somado à nossa conexão com cada partícula do universo, o sistema infinitamente inteligente que rege nossa evolução.
Entretanto, não é simples como parece. Essa escalada envolve nosso potencial infinito, mas esbarra nas limitações humanas - obstáculos que muitas vezes nos desviam do caminho, distraem a atenção, requerem um recomeço após uma pausa, o levantar depois da queda. O caminho se faz andando, e é quando surgem as necessidades de mudanças comportamentais, de hábitos e de olhar - a percepção vai apurando fatos e, ampliada, indicando novos caminhos.
O importante é prosseguir, sem achar que um engano de hoje estraga o que já foi conquistado. A perseverança permite que nos afastemos quando a dificuldade momentânea supera nossas forças, mas não deixa que nos percamos do caminho.
A seguir transcrevo minha resposta ao comentário do Cacá, para contar um pouquinho dessa minha caminhada...

Disse ele:
Interessante, Denise: seu semblante me parece espiritualizado. Pelo menos transmite pra gente uma paz no olhar, no soriso, nas feições suaves. Sempre tive esta impressão de você agora confirmada pela sua própria vivência, expectativas e perspectivas. Muito bom! Abraços. Paz e bem.

Respondi assim:
Somos o sistema de crenças que criamos, e eu acredito que o processo evolutivo se dá desde o nascimento. Já vinculei o ser espiritualizado à religião, e sempre tive fé. Ocorre que, vivendo, a gente vai realmente aprendendo. Eu sou curiosa e observadora, e essas características empurram a gente em direção das respostas que desejamos ter - e elas chegam de uma maneira bem diferente do imaginado...e pessoas são atraídas para nosso convívio, oferecendo-nos meios novos para descobertas. Esse processo ocorre com ou sem nossa consciência dele, entretanto, o despertar acontece em algum momento, e foi o que me fez voltar o olhar em direções opostas, a dar atenção ao redor e observar, em silêncio. Isso propiciou ferramentas novas para aprendizados novos - situações e pessoas foram sendo atraídas, e descobri tb, as mudanças não cessam, uma vez iniciadas...
Posso então dizer a vc, que estou em processo, engatinhando, caindo e levantando, mas com a disposição de aproveitar o que o universo me oferece em termos de meios para seguir meu caminho. Pelo que observo enquanto pessoa e profissional, o início do processo das mudanças mais profundas, geralmente acontecem em momentos da vida de grandes conflitos (internos ou não) ou conseqüentes de vivências difíceis, doenças ou perdas significativas ao sujeito. Aí surge a urgência, a necessidade de mudanças, e, não raro, novo olhar diante da vida - pra mim foi assim.

Eu procuro extrair da vida hj, o que de melhor puder usufruir e compartilhar, mas sei que depende apenas de mim criar o que vou viver. Não depositar expectativas ou responsabilidade nos outros é o começo da grande mudança, assumindo a condução da vida. Entre muitos desejos, algumas conquistas e sonhos renovados, sigo meu caminho novo, olhando para trás e entendendo que tudo, absolutamente tudo que vivi, foi para meu bem de hj e amanhã - me permitiu a construção do que sou hj, e propicia que continue no caminho da evolução espiritual, bem que nunca se acaba ao compartilhar...mas que não tem fim pq esse é o propósito da vida, e podemos fazer novas escolhas o tempo todo, num eterno processo de construção...

*Obrigada, Cacá, pela oportunidade de pensar mais um pouco sobre mim. E poder ver a estrada a minha frente, toda por andar...
Um beijo!

11 comentários:

Vivian disse...

Olá!Bom dia!!

Adorei seu texto!Nem todo mundo gosta de falar sobre espiritualidade, e a maioria simplesmente foge do assunto...
Não consigo imaginar a vida sem ela.
É o que dá sentido, que nos instiga a sermos melhores...a buscar...
Lindo seu blog!
Parabéns!
Beijos

Denise disse...

Bom dia, Vivian!!!
Seja muito bem-vinda ao Tecendo, sinta-se acolhida com carinho.

Pois é, o assunto ainda gera desconforto em muitas pessoas, mas como tudo sempre está certo, e cada um vive sob suas ideias e escolhas, os pares se encontram para compartilhar, não é assim?

Um grande abraço e o desejo de um lindo dia!

ju rigoni disse...

Que post lindo, Denise! Não são poucas as vezes em que o ser humano depara-se com obstáculos. Uma reflexão mais profunda pode levá-lo à luz; perceber que muitas vezes é ele, e só ele, a pedra que lhe bloqueia o caminho. Em minha vida, já passei por alguns momentos assim.

Bjs, querida. E inté!

Denise disse...

Pois é, Ju...enquanto virmos obstáculos como algo contra nós, vindo de fora, não usamos as pedras do caminho para construir as pontes sobre os vales por onde devemos passar...

Todos passamos por dificuldades, mas não podemos torná-las limitantes, e sim, aprendizados.
Fácil falar, diria a maioria, ma sé vivenciando-os que crescemos, aprendemos e melhoramos.
Já sabemos que nossa essência é boa, mas que não são apenas os rios que poluímos como nossas ações tóxicas...ambos podem ser restaurados...

Um bjo querida, adoro tuas visitas!

Nicinha Ferreira disse...

Adoro seu blog,tanta coisa bonita por aqui,tipo...aquelas coisas que alegram a alma!
Felicidades!

Cacá - José Cláudio disse...

Quem tem que dizer obrigado sou eu, Denise. A gente fica procurando respostas, respostas, respostas. As vezes, encontramos caminhos fáceis que parecem respostas e a maioria estaciona. Evolui é quem transforma uma resposta aparente em uma nova pergunta e segue o caminho de buscas. Isso que você fez aqui para mim é como mais uma etapa desses caminhos. OBRIGADO MESMO!!! Meu abraço. paz e bem.

Denise disse...

Nicinha, que bom que vc curte o Tecendo. Venha sempre que desejar!
Bjo

Denise disse...

Cacá, que feedback bacana vc deixou.
Obrigada pelas observações, e pelo retorno.
A busca cessa quando termina o interesse, neste caso, e pra mim, é infinita. Daí a procura pelo entendimento, a entrega às sensações e o questionamento em diálogo interno - que aqui compartilhei.

Grande abraço.
PAZ E BEM!!

Anônimo disse...

Postagem palpitante neste sítio, textos como aqui está dão motivação a quem quer que observar neste blogue !!!
Entrega muito mais deste blogue, a todos os teus visitantes.

JOE ANT disse...

Em função do post anterior, outro post que precisa de um link para visitas continuadas, prolongadas e bem lidas.
Para poder-se absorver o que está por dentro de todo o seu conteúdo,
e obter respostas aquiescentes ao nosso grau de compreensão.
Para uma pessoa sem formaçãp em psicologia a análise tem que ser mais repitada e aprofundada a fim de não nos levar por caminhos sem regresso e cheios de escolhos.

Denise disse...

Como cada um processa as coisas, é muito particular, porém, se a psicologia pode emprestar uma ajuda na compreensão, e de fato o faz, a evolução não pode ficar vinculada a nada que não seja a decisão e busca pessoal, e a maneira de como isso ocorrerá é individual. Todos evoluem a cada dia, até inconscientemente, mas nem todos são psicólogos...

Boa leitura!