“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


2 de nov de 2010

Carinho de Verdade




Toda iniciativa como esta tem meu apoio.
Eu abraço esta causa! E você?






O Cristo Redentor "fechou" os braços, num abraço simbólico ao Rio de Janeiro, na noite desta terça-feira. O efeito - uma ilusão de ótica provocada por projeção de luzes e imagens - faz parte da campanha "Carinho de Verdade", de combate à violência e exploração sexual de crianças.
Para simular o abraço, o cineasta Fernando Salis usou oito projetores, que cobriram a estátua com imagens do Rio, como sobrevoos de asa-delta, as florestas e até mesmo o trânsito. Ao som de Bachianas Brasileiras n.º 7, de Villa Lobos, e com animação em 3D, a estátua parece fechar os braços.

E a cada 1000 "abraços virtuais" no site da campanha, o Cristo dará outro abraço.





6 comentários:

pensandoemfamilia disse...

Olá
Vim agradeçer sua visita ao meu espaço e comentários na Série a criança que eu fui.
Gostei dessa campanha e vou levá-la para meu blog.
bjs

ⓣⓔⓡⓔⓢⓐ ⓒⓡⓘⓢⓣⓘⓝⓐ disse...

Oiee!!
Linda iniciativa...são projetos que precisam de mais divulgação, obg por compartilhar.
PS...vc aceita parabéns com atraso??
diz que sim^^
*_*Fica aqui meu abraço carinhoso de muitas felicidades.
bjss

Jeanne disse...

Denise, coisa mais linda o vídeo!
Já abracei a causa também e vou divulgar.
Beijos

Denise disse...

Oi, Norma, que bom vê-la aqui.
Recebi de uma amiga e me encantei pela proposta - toda campanha que prioriza a vida, tem que ser compartilhada.
Que legal divulgá-la tb, essa união é que faz a diferença, se a atenção da gente ficar focada no que existe de bom, tudo que for ruim perde a força...
Bjos!

Denise disse...

Teresa, claro que aceito teu abraço e os votos, obrigada querida!
Bjão, é bom "matar" a saudade, né?...rs

Denise disse...

Ah, Jeanne, coisa boa ver ganhar força uma campanha como essa.
Assim a blogosfera ganha em qualidade, eficiência e conteúdo - somos um grão de areia, mas o deserto não é o mesmo se faltar um de nós...
Bjo grande!