“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


23 de out de 2010

A Roseira


Foto Denise

O tempo passou por ali e levou o viço da vida que circundava as paredes, destonalizando as memórias inscritas no barulho do vento que, muitas vezes enfurecido, fustigou a moradia e arrancou o teto deixando clareiras abertas para a entrada da chuva que esquecia de anunciar sua chegada.
As paredes triplas escureceram, sofreram a ação do tempo, empobrecendo o visual da natureza vigorosa que envolve a casa que sediou a estada por tantos anos.
O solo ao redor permanece fértil, germinando os verdejantes brotos que foram semeados na terra. Muito próxima da árida e aparente estéril paisagem das cercanias daquele jardim, encontro a unica fonte de cor e vida cheirosa, no deserto de um tempo outrora regado pela umidade que dava vida aos dias ali vividos - e ainda vívidos no pulsar do sangue que latejou na recuperação de imagens e sons que ecoaram no tempo que disparou a saudade adormecida...
Outro espasmo e um novo olhar. Ela também é sobrevivente daquele tempo.


Foto Denise

Agora eu sei que, aqui, o sol não se põe, é seu Portal e abrigo - o refúgio perfeito para colher o ouro de seus raios que incendeiam o céu púrpura no rincão do tempo!


18 comentários:

manuel marques disse...

Ah,que saudades...

"A melhor roseira, afinal de contas,
não é aquela que tem menos espinhos,
mas a que produz as mais belas rosas."

Beijinho minha querida.

AC disse...

uma roseira é sempre sinónimo de vida...

beijo :)

Denise disse...

Manuel, meu amigo querido, que bom te ver por aqui, estava com muita saudade dos amigos queridos!!

Bjo carinhoso, ótimo domingo pra vc!

Denise disse...

Olá, AC.
Disconcordo um pouquinho de vc...rsrs

Esta da foto está viva.
Bjos

Cristina disse...

Denise

Essa roseira me fez recordar as existentes na casa em que morei, plantadas pelos meus pais, eles já não estão mais aqui, mas as roseiras continuam lá e são testemunhas de tantos momentos que guardo em meu coração. Amo flores! Um ótimo domingo! Bjsssssssss Estava com saudades viu?

RESILIÊNCIA disse...

Denise

Talvez a roseira que resplandece, renasce, e se perpetua com toda a sua beleza, seja... a infinita mensagem...que nada termina, tudo se renova, mesmo quando o que se viveu dentro desta linda casa... esteja somente na saudade.

um grande abraço

Juci Barros disse...

Lindíssimo!
Beijos.

Denise disse...

Oi Cristina, eu tb estava de vc!!
Pois é, querida, o valor das coisas está no significado que lhes damos, e neste caso, parece que nós duas, as roseiras são âncoras de lembranças que não morrerão.

Um lindo domingo, bjo carinhoso!!

Denise disse...

Certamente Ari, suas rosas acenaram para essas lembranças eternizadas na alma - de onde não sairão, pq a perfumaram enquanto vingavam no solo que as fixou para que pudessem resplandecer. Lindo isso, a sutileza realmente se revela...rs

Obrigada por vir no meu retorno, enquanto estava aqui, quem se deliciava no Resiliência era eu!!
Bjo com carinho!

Denise disse...

Olá, Juci, seja muito bem-vinda ao Tecendo, é uma alegria sempre, receber novos amigos! Sinta-se acolhida com carinho e à vontade para "freqüentar" a casa...rs
Bjoss

Cida disse...

Lindas imagens.
Lindo texto.

Seja muito bem vinda, querida amiga.

Tenha um domingo luminoso e perfumado à rosas.

Abreijos da Cid@

Denise disse...

Oi amigavó, amei os "abreijos", OBRIGADA!!!
Eu estava cheia de saudade...rs
Bjos+carinho

Ana Lúcia Porto disse...

Que lindo!!

Que saudade mais merecida esta...
E essa roseira que sobrevive às intempéries até hoje e que se mostrou, em sua força, toda a formosura miúda de suas flores e a sua generosidade num aroma a fazer sentir que valeu à pena...

Sublime...

Beijos, Denise.

Denise disse...

Ana Lúcia, que coisa boa encontrar vc aqui, amiga!!
E que lindas tuas palavras, obrigada, querida, de fato, sublimei...rs
Bjo enorme!

Marilu disse...

Querida amiga, roseiras sempre fazem parte de nossas lembranças. Tenha um lindo final de semana. Beijocas

Denise disse...

Oi Marilu, as rosas fazem fundo pra tantos momentos da vida, não é? Enfeitam e perfumam, e isso é muito bom!
Ótimo finzinho de domingo, que suceda uma semana muito legal!
Bjos

Bloguinho da Zizi disse...

Será que todos temos uma roseira pra recordar??
No pequeno jardim da casa onde nasci duas lindas roseiras perfumadas recebiam quem chegasse da rua.
Mas, puxando um pouquinho mais pela memória, lembro que todas as casas tinham roseiras, cada uma de uma qualidade, mas todas floridas e cuidadas.
Você me fez voltar ao passado, e disparou a minha saudade adormecida também...
Consegui lembrar do perfume de uma roseira especial, muito cobiçada pela vizinhança, era chamada de Príncipe Negro.
O triste, na minha história é que nenhuma das casas, hoje, tem jardim. Eles foram transformados em garagens.
Mas elas existiram e deixaram boas recordações.
Beijinho Denise
Bom retorno ao nosso mundo.
Zizi

Denise disse...

Zizi, querida, tuas observações são fruto desse passeio que deu, e não envolve apenas nostalgia - no meu entender. O simbolismo, já sabemos, somos nós quem damos, e quando é positivo, tem a capacidade de despertar essas emoções boas na gente. Eu acho que todos temos roseiras pra lembrar algumas marcas importantes - cresci na casa de minha avó, cercada por elas e uma multidão de plantas, flores e até animais. Eram outros tempos, hj, os espaços ganham importância pela funcionalidade, infelizmente...

Mas que bom que temos essas roseiras a sinalizar nossa existência, representando infinitas sensações e sentimentos tão bonitos.

Boa semana, minha amiga.
Bjo com carinho!