“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


16 de ago de 2010

Ouvindo a natureza





Os sons que cortaram o silêncio eram os da natureza exuberante, num início de tarde ventoso de um dia ensolarado. Pássaros batiam asas e cantavam alegremente, e o vento sacudia as árvores com força, gesticulando seus galhos pesados de folhas verdes, lustrosas pelo orvalho abundante da noite fria.
Parei. Agucei os ouvidos, lembrando que estes sons, tão conhecidos, estavam esquecidos na memória atrofiada pelo asfalto, tomada pelo burburinho do shopping, asfixiada pela longitude dos campos. Cerrei os olhos, absorvendo as lufadas do vento nos cabelos revoltos, presa na música da natureza que me chamava pra esse reencontro – as vozes ao redor perderam a força, o tom, silenciaram ante o farfalhar do flamboyant de pigmentação púrpura, com seus cachos caindo sobre a trama de bambus.
O contraste com o céu azul, sem uma única nuvem, fez desse espetáculo um pedaço do paraíso em que me encontro. A natureza revelando sua beleza simples, despertando o que há de simples na percepção de olhos que captam mais do que imagens, ouvidos que processam os sons e os transformam em sinfonia divina.
Em comunhão com a pródiga natureza, a própria essência resplandece – pondo no peito o sossego e no coração a paz que envolve e acalenta o corpo completamente entregue aos seus encantos.


14 comentários:

Marliborges disse...

Querida, mergulhei em águas tépidas e calmas ao ler esse texto. Muito lindo. Saio daqui reenergizada. Bjssss

Maria Tereza Venzke disse...

Noooossa....

Tmb quero...rs

Saudades de vc.

bj

Marilu disse...

Querida amiga, trabalhei durante vários anos em Taubaté, e lá é o paraiso dos "Flamboyant", toda vez que estava meio triste eu ia olhar aquelas árvores majestosas, lindas.Além dos flamboyant's, acho lindo também o Ipê amarelo...Beijocas

ValeriaC disse...

Minha querida você escreve lindamente...
Que maravilha a gente parar..silenciar a mente...e ouvir os sons da natureza...é energizante...é tranquilizante... é sintonia divina...ficar na simplicidade é essencial...
Tenha uma doce semana!
Beijinhos...
Valéria

Denise disse...

Marli, minha alegria aumenta, se compartilhei de sensações tão boas, que te fizeram bem. Foi um momento de muita paz, que a natureza se impôs mesmo, com toda a força de sua beleza.

Bjo carinhoso pra ti!

Denise disse...

Ah, Tere...se sonhasses...sabe aquela conexão inexplicável, que integra a gente ao todo? Lembrei de ti - de teu jardim...

Saudade logo, logo a gente "mata"!!...rs

Beijos, amada!

Denise disse...

Olá, Marilu.
Tb acho que são lindos, deixam um tapete de flores, não é?
Logo chega a estação mais bonita pra mim, não me canso de admirar as cores da primavera...

Beijos, querida!

Denise disse...

Vc sabe Valéria, que foi diferente esse momento...de repente o vento soprou forte, e minha atenção se voltou para as árvores, em seguida, para os sons que já estavam lá, mas as conversas encobriam. Aí os pássaros cantaram forte, e roubaram o que faltava de minha atenção...me peguei num silêncio diferente, mesmo rodeada de gente, pus a atenção no céu, e logo meu olhar pousou num espaço coberto de flor, e me pus a olhar para tudo, ouvindo tudo - que importava naquele instante. Foi mágico...

Bons sonhos, minha doce amiga, e belos dias pra vc tb!
Bjosss

Ivana disse...

Olá Denise,

Lindo seu texto, e entendo o que sentiu. Eu sou apaixonada pela natureza, nos meus momentos de lazer, eu faço caminhada nos parques da minha cidade e procuro estar em contato com a natureza; é um momento de paz, mágico e de encontro comigo mesma. Ao ler seu texto, me lembrei de um poema meu chamado Paraíso Urbano. Um bom dia!

Tudo tão lindo aqui...

manuel marques disse...

"Pegando nas palavras sábias de Einstein:
Penso noventa e nove vezes e nada descubro; deixo de pensar, mergulho em profundo silêncio - e eis que a verdade se me revela ."

A profundidade com que escreve faz de mim um pequenina gota de água neste oceâno das suas mágicas palavras.Seus escritos me envaidecem quando penso que os reparte comigo.Bem haja quem assim escreve.

Beijo minha querida.

Denise disse...

Ivana, minha sensível amiga, acho que somados à natureza, nos sentimos integrados ao mundo. Foi isso que senti, como se esse elo fechasse a corrente, unindo sem prender - integrando ser e seres...uma sensação difícil de descrever, mas bastante intensa, apoderou-se de mim ampliando a consciência! Foi bom demaaaaiiss!

Bjos, querida!

Denise disse...

Manuel, amigo querido...por pouco não levou embora todas as palavras...reparto sim, pq tua presença bendita permite que possamos compartilhar nos escritos todas as alegrias, os pensamentos, sentimentos...como fazes nas tuas poesias, meu querido. Tb eu me alimento da tua partilha na Vila Poema - com muita constância!

Minha gratidão!!
Beijo carinhoso.

Cida disse...

Bom demais uma comunhão dessas com a natureza, não é amiga?

Com toda certeza, a gente volta para casa com as "baterias" recarregadas.

Na verdade, só em te ler as minhas já ficaram novinhas em folha!...:)

Beijo grande

Cid@

Denise disse...

Ah, minha amiga, que bom se expandiu até vc essa energia revigorante - revitaliza meeesmo!!!
(na verdade, minha fonte maior de energia vc sabe qual foi, né amigavó?...rs)

Boa tarde e beijo carinhoso!