“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


25 de ago de 2010

Clareza


"Quando as palavras são precisas não há necessidade de serem excessivas. Uma mente clara renuncia ao desperdício em nome da essência. Sua comunicação não produz ruído, o todo é absorvido. Com clareza, o compartilhar de ideias torna-se leve; e o aprender natural. Nenhuma interferência é capaz de romper a conexão entre os interlocutores. A atenção se volta para as palavras que levam consigo sentimentos verdadeiros."

20 comentários:

Julio Cesar disse...

Oi Denise,
...para eu, nada supera a comunicação de um olhar. Isso só é possivel a pessoas que estejam intimamente conectadas. Melhor ainda se for dentro de um relacionamento amoroso.
Detalhe...um olhar não mente.
beijo
Julio

PS: Conversa de olhar...entendimento...comunicação...ihh...vamos de café para ficar bem despertos. Podemos?...açucar, por favor...

ValeriaC disse...

É amiga, quando existe clareza...bastam poucas e acertadas palavras para fazer-se compreendido.
Doce tarde...meu carinhoso abraço e beijinhos...
Valéria

manuel marques disse...

As palavras são os trocos do pensamento.

Beijo minha querida.

Tati Pastorello disse...

Oi Dê, como sempre os pensamentos que você posta por aqui tocam lá no fundo. E que lindeza estas fronhas... Deve ser bom dormir sobre elas... ou não! hehehe
Beijos.

Cida disse...

E aí fica um "papo" tão gostoso, que é bem capaz que você passe uma noite toda conversando, e nem perceba o passar do tempo.

É mágico!...:)

Beijinhos

Cid@

Ivy disse...

Toda palavra que vem acompanhada de bons e verdadeiros sentimentos, pelo menos, no momento que é proferida prende a atenção.

Bjs amiga... tenha uma linda noite!

Bloguinho da Zizi disse...

Denise
A clareza afasta o medo.
E sem medo o amor se manifesta.

Um dia de muita luz pra você.
Beijinho
Zizi

j maria castanho disse...

as libações da espera meditam comigo


Com o destino traçado pelas vinte estrelas de Tique me disse Dice
As rosas, lírios, violetas, íris, jacintos e narcisos atapetam-lhe o chão
E cré com cré, lé com lé, nos losangos do centro do corpo humano
Coração e ventre nos vértices se unem, ondeiam, oscilam e dançam
Com precisão imaculada o fumo serpenteia a evolar-se das fornalhas
Enquanto na cella espero instruções da Mestra Sacerdotisa contemplo
É maior o meu respeito se na libação executo o mister da concentração
Recatado estou perante ti, ó divina feita mulher por cuja sede me meço
E teço exemplo sem ilusão mas que com a arte exímia exerço e adestro
Que a honra seja trinta e seis vezes superior à de qualquer outro escriba
Pois servir-te é merecer teu afago e desfrutar de tua vista e fala e sentir
E estar enlevado na partilha do fumo celeste pelo mesmo bocal leonino
E saber a luz que há na voz e escutar teu canto pelas minhas argilas lido
Minhas placas de alabastro esculpidas no estilete do rigor de tua ordem.

Quando a Lua cheia de teu nome transforma o sonho em vida real o rio
Devolve ao céu a tua silhueta de alambre e ambrosia que nele mais és
Mais ondulas e abrilhantas espigas e cintilas nas verdes folhas da hera
Essa que teceu a rede onde foram aprisionados os titãs primitivos infiéis
Masmorra dos descrentes a quem nunca será dada honra de argonauta
Nunca poderão negociar nem viajar entre o céu e a terra nem venerar-Te
Mesmo que suas raízes nasçam nos témenos que sejam tua propriedade
Pois nunca delas a flor brotará nem o ciciado murmúrio das ocarinas
Eflúvios chamamentos suspirados entre sonhos do mel apreciado bebo
Sorvo lânguido do bocal sobre o qual antes teus lábios disseram prece
E nada fica agora que obstrua a cristalina seiva do ser no libado vigor.

Estrela Inanna ladeia teu sucumbir perante a luz de Arina se amanhece
Porém não há batalhas divinas mas respeito e contemplação ordenada
Que quando Arina elucida todas e todos, ar, fogo, terra, água obedece
E lúcida é a alma que sabe e reconhece ser seu mister e a quem pertence
A voz rasga os véus e sopra vontades aos ouvidos acautelados e fiéis
Que ao oficio de dizer é inerente o acto se a fala no nome apenas se exala
E inala Inanna os eflúvios do meu pote enquanto espero se Shara chama.

A chama que é Shara e aquece o Lar pernoita também quando Arina dita
Sua cor aos quatro cantos do mundo pois o canto é luz de quem acredita.

AC disse...

Passei por aqui e gostei da serenidade...

Beijo :)

Denise disse...

Vamos de café, Julio...rsrs

Olhos, janelas da alma, certo? explica-se!

Bjo grande, amigo!!

Denise disse...

Valéria, uma necessidade simples - como todas - que a gente demora a entender...mas reclama se não é entendido.

Beijo carinhoso pra vc tb, minha amiga!

Denise disse...

Interessante, Manuel...relamente, resumimos muito os pensamentos, por vezes. Taí, gostei!

Bjo meu amigo!!

Denise disse...

rsrsrs...tudo é relativo, não dizem Tati??
Estou aprendendo mais agora que estou envelhecendo do que a vida toda. Inclusive sobre comunicação...

Bjos, minha querida escritora!

Denise disse...

Nem me fale, amigavó, quantas vezes o dia já amanheceu, pintando de laranja a janela escura...delícia!

Beijo GRANDE!

Denise disse...

Tudo que carrega a intencionalidade boa, tende a ser bom - promover o bem. As palavras não são exceção, não é Ivy?

Bjo, minha amiga!

Denise disse...

AMEI!!!!

"A clareza afasta o medo.
E sem medo o amor se manifesta"

Beijos, Zizi. Tua presença é sempre um clarão de Luz!

Denise disse...

Olá J Castanho.

Uma ótima tarde pra vc!
Abraço!

Denise disse...

Olá, AC.
Seja bem-vindo ao Tecendo. Sinta-se à vontade e em casa!

Serenidade não é uma conquista fácil - e nem permanente, como gostaríamos - mas alarga o peito para caber dentro todas as sensações e sentimentos maravilhosos que expandem a vida. Eu tento...rs

Beijo

Manuela Freitas disse...

Eu também considero querida Denise, que os silêncios entre duas pessoas dizem muito, palavras para quê? As palavras estão gas tas meu amor...como dizia Eugénio de Andrade.
Um abraço bem apertado daqui,
Manú

Denise disse...

Tb sinto assim Manuela, há silêncios carregados de mudas palavras...mas, observei que o texto que põe foco no fundamental para a boa comunicação, que freqüentemente é confundida com quantidade de argumentação...quando o essencial é o que realmente comunica. E a clareza é mais evidente na menor quantidade de palavras...ou mais fácil de evidenciar...

Beijos daqui pra vc!...rs