“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


11 de jul de 2010

Quando o próprio amor vacila

Belíssimo!






8 comentários:

Mari disse...

Oi minha querida...

Vim desejar uma linda semana e encontro este presente! Obrigada!
Um beijo Dê!

Ivy disse...

Realmente, é belíssimo esse poema, e declamado pela Maria Bethânia que tem uma voz fantástica, fica demais!

"Eu amo as tuas mãos, mesmo que por causa delas eu não saiba o que fazer das minhas.
(...)Mesmo fora de si, eu te amo pela tua essência. Até pelo que você poderia ter sido, se a maré das circunstâncias
não tivesse te banhado nas águas do equívoco."

Bjs, amiga, e parabéns pela postagem.

Denise disse...

Que bom, Mari, que tb a vc fez bem.
A gente esquece tantas coisas importantes, não é? mas podemos recuperar!!

Boa semana, bjo carinhoso.

Denise disse...

Oi, Ivy, que bom que é compartilhar esses tesouros, não acha? eu fico feliz quando trago pra cá coisas que me tocam, e contribuem com quem entra em contato.

Bjo feliz por ter vc aqui!

Rejane-Enajer disse...

Uau!!!Que lindoooooooooo...não conhecia e simplesmente amei!!
Bjão

Denise disse...

Também achei, Rê, por isso trouxe pra compartilhar. A gente não conhece tudo, e sempre pode aprender, curtir, e conhecer coisas novas, né?
Que bom que gostou.
Bjinho

Manuela Freitas disse...

Querida Denise,
Que poema lindíssimo e cheio de verdade, porque...
«eu te amo pela tua essência»
só assim é amor!...
Adoro Maria Betânia, como cantora e declamadora tem um tom de voz inconfundível que entra no peito! Uma das coisas boas da minha vida, foi ter assistido a um especaculo dela ao vivo.
Beijinhos,
Manuela

Denise disse...

Olá, Manuela. Concordo contigo, Bethânia é talentosíssima, e o poema, já pelo título, é magnífico. Uma dupla e tanto...

Beijos