“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


9 de mai de 2010

Para algumas mães...



Filhos "ausentes", porque moram longe ou partiram antes, deixando o coração de mãe, partido. Minha homenagem a estas mães, que hoje podem retirar-se um pouco do burburinho da sala, olhar perdido num ponto qualquer. É o momento do encontro imaginário, do abraço trocado de olhos fechados, do suspiro de saudade.
Elas também podem olhar à volta da mesa, disfarçando a inquietude, e, fração de segundos, imaginar mais um ocupante naquela cadeira vazia. Seu lugar, entretanto, estará sempre cheio, porque é em seu coração preenchido do mais puro amor que repousa esse filho.

Saudade é a presença viva do amor.
Bem sei que mães de filhos "ausentes",
sentem muita saudade...


6 comentários:

manuel marques disse...

Lindíssima homenagem ás mães dos filhos ausente.

Para si, um xicoração do tamanho do mundo.

Denise disse...

Obrigada, Manuel. Não podia deixar (me) fora da lembrança, e estender meu carinho a elas.

Adorei o "xicoração"...obrigada!

Ana Lúcia Porto disse...

Oi Denise,

Muito bonito o que escreveu. Consigo entender essa saudade de mãe, mas de filho ausente, também...

Beijos e um Feliz Dia das Mães a você e aos seus, abraços meu e de minha mãe a você.

Ivana Marisa Altafin disse...

É um assunto delicado e confesso que tive vontade de escrever, mas não tive coragem, você foi mais corajosa que eu, parabéns! Gosto muito das suas palavras sempre positivas em muitos blogs que também visito.Um abraço!

Denise disse...

Ana Lúcia, querida...que gostosura receber esses abraços! Falei disso hj com meu filho, sobre os presentes que não tem nenhum custo pra quem dá, e valem tudo pra quem recebe. Abraço é um deles...OBRIGADA pelos seus, recebam, carinhosamente, os meus. Bjos pra vcs duas!!

Denise disse...

Oi Ivana, seja bem-vinda!

Eu postei ontem as homenagens anteriores, mas a lacuna que ficou - certamente em meu próprio coração, que encontrou um jeito de trazer pra mais perto o filho que não está aqui. Sei que somos em muitas mães a viver essa realidade, na idade em que estamos. Muitos já deixaram o ninho. Mais que coragem, acho que foi por amor...

Quanto à visão positiva que procuro manter, tem explicação fácil: o que não fui capaz de aprender antes, a vida tratou de me ensinar...rs. Eu realmente acredito no que digo, procuro manter as mudanças, equilíbrio e foco no essencial. Nem sempre consigo, mas, tento...rs

Muito lindo o que escreveu sobre as mães! Desejo que tenha um domingo maravilhoso! Parabéns, beijo pra vc.