“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


13 de abr de 2010

Ser Mãe




Recebi um delicioso convite para escrever sobre mãe! O bairro da Aclimação, em São Paulo, tem a revista Meilleur, de distribuição gratuita - em torno de seis mil exemplares - e vai publicar nesta edição de maio um artigo sobre as mães. Meu nome foi sugerido para colaborar, e aceitei o convite, me sentindo muito honrada e feliz, porque escrever é fonte de um imenso prazer.
Não publico o texto para as mães com data antecipada aqui no Blog, porque este ano quando escrever me dirigindo a todas as mães, o farei homenageando minha nora, nossa mãe do ano. Fica aqui esta reflexão sobre o papel da mãe na atualidade. A homenagem às mães fica para o domingo do dia nove de maio. Até lá!



A vida vai se esparramando no ventre que ganha beleza, enquanto a mulher fica impregnada de uma magia que lhe confere uma aura cuja magnitude explode no momento em que aconchega no peito o pequeno ser que gerou. Faz-se mãe! E, para sempre, a leoa que irá guardar essa vida a qualquer preço.
A maternidade é o berçário do esplendor da mulher, o período que lhe empresta brilho e semeia toda a revolução do resto da sua vida. Ser mãe é o eterno exercício de aprender, é estar disponível para viver um amor sem fronteiras e nenhum limite. O mundo gira e as mudanças se sucedem sem parar, o que não muda é esse amor, mesmo que tenha mudado a mulher e seu lugar nesse mundo. Ela cuida da imagem sim, mesmo sem tempo se maquia, faz compras, cuida da casa, das tarefas escolares, de uma agenda apertada de horários insanos de atividades que ela mesma arranjou para a família, freqüenta academia, aulas de línguas e dança de salão, faz unhas toda semana, discute cardápio com a cozinheira, conta historinha, ensina a rezar, providencia presentes de aniversário para os amiguinhos, leva pro judô, busca no inglês deixando a irmãzinha no ballet, compra vinhos para o jantar de sábado, e de quebra, descobre uma lingerie fabulosa para surpreender seu amor.
Os filhos crescem, as necessidades se modificam, e lá está ela alternado-as com o trabalho, os estudos, as obrigações, encontrando tempo para estar pessoalmente na cozinha comandando o jantar de noivado da filha, confeccionando os arranjos de flores com o carinho que só as mães são capazes de fazer. Pede sugestão aos filhos, discute assuntos polêmicos, silencia querendo gritar, não resiste e compra aquele suéter que namorou na vitrine porque combina com o azul dos olhos do filho. Decora a casa optando pelos itens funcionais, e sutilmente comenta com sua mãe sobre uma receita antiga que sua avó fazia e da qual sente água na boca só de lembrar! Essa mulher leva o carro para a revisão, passa na farmácia, na papelaria, na sorveteria, leva ao estádio de futebol. Essa mãe amorosa dá colo, seca as lágrimas do pranto que acompanha a queixa sofrida do filho que, desafiando a vida, faz seu vôo rumo aos seus sonhos mais bonitos. Incentiva, briga, aplaude, põe limite, abraça, ri junto e chora de emoção e impotência.
A mãe é o centro ao redor do qual gravitam seus amados, amores que florescem, crescem e encontram – como aconteceu com ela - o seu amor e, juntos, celebram a continuidade da vida, perpetuando uma história de amor.
Essa mulher amadurece junto com o tempo que lhe presenteia com a sina de amar incondicionalmente e para sempre. A mãe vive o mistério da vida através do filho que gerou. E ganha um dia só seu, abraços, presentes, e muito, muito amor. Feliz teu dia neste nove de maio, MÃE!

4 comentários:

*Mi§§ §impatia* disse...

Nossa, que post lindo, Adorei amiga.
Meu sonho é ser mãe, espero um dia realizar. Beijos.

Denise disse...

Desejo que sim, Miss...então verá que esse amor não tem rivais. É único, perfeito e indomável no peito!!
Beijos

Rejane-Enajer disse...

Parabénssssssss Denise!! parabéns por vc ter sido escohida, parabéns mais ainda por sua escolha a quem homenagear, e parabéns ao seu filho que também soube escolher com quem casar.
PARABÉNS AOS QUATRO!!

Bjão

Denise disse...

Obrigadaaaaaa Rejane...rsrs

Ser lembrada para escrever foi um gesto carinhoso de alguém que gosta de mim e das coisas que escrevo, nenhum mérito, portanto...rs

Mas minha nora é mesmo a mãe do ano, não só por ser especial e como uma filha para mim, mas pq gerou aquele serzinho que mudou nossas vidas. Me deu meu primeiro neto, pense...rs...quanto ao filho, eles dois - ele e elea - souberam escolher-se. Mas agradecemos, nós três, tá bom??...rsrs

Beijos