“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


20 de mar de 2010

A impotência que me assusta...



Num acesso de meia-culpa, me postei diante da televisão para inteirar-me do mundo, afinal, informações são necessárias, a gente precisa saber de...bla, bla, bla...
Diante do Jornal Hoje, acabei prostrada! eu explico...e talvez, quem me leia, compartilhe da mesma indignação (olha a tal "raiva" aí Mari...)
A fé precisa de reclusão, porque ladrões saqueiam os templos onde os devotos se reúnem para comungar com Deus. Depois de certo horário, diz o pároco, é arriscado rezar a missa. Os lábios se afastaram e a boca não emitiu nenhum som...o olhar incrédulo perseguiu as imagens de câmeras monitorando a missa!!!! Céus!! onde estamos?
Bem, nós eu não sei, mas os sete jurados do "caso Isabela Nardoni" ( a criança assassinada com requintes de crueldade, virou um caso) ficarão reclusos no Tribunal de Justiça por alguns dias e, durante o julgamento, têm a previsão de que serão consumidos mil litros de água...consumida estou eu, gasta pelo volume absurdo de horrores cometidos contra a vida! É de estremecer a gente por dentro...mas lá no agreste pernambucano, estremece toda a Alagoinha, despertando os habitantes que, assustados, pensam em mudar para outro lugar.
E se você acha que acabou, os motivos que despertaram a indignação não terminaram! Um bebê americano de 11 meses é espancado pela babá cinqüentona, que alegou raiva pelos pais da criança para justificar a covarde - ou cruel?? - agressão ao inocente bebê! Uma avó que teve nos braços um bebê, recentemente, sente eriçar os pelos do corpo, revirar o estômago e gelar o sangue nas veias...a raiva se remexe lá dentro...e explode a indignação no palavrão que escapa da boca aberta, queixo caído, coração espremido. "Tá loko", como diz a moçada...será que não vai aparecer nada mais ameno para o início da tarde de um sábado??
Bom, mostram mulheres calvas, porque a estação que começa propicia maior queda de cabelos. Ah, tá! Perder cabelos é normal, mas conte aí...se forem mais de cem fios diários, o problema pode ser físico ou emocional - ou esta combinação tão humana.
Repasso mentalmente as matérias que vi, e concluo que talvez seja mesmo o caso de perdê-los, pra, depois de assistir ao Jornal Hoje de todo dia, não ter de arrancá-los!!

2 comentários:

Mari disse...

Denise,

Eu costumo dizer assim, quando fico chocada feito você "Eu morro e não vejo tudo nessa vida!".
Pois é amiga, assistir aos telejornais ou ler às notícias pela net, é uma coisa que a cada dia que passa perde mais o significado para mim.
A gente vê tanta notícia que na verdade não agrega nada e outras que nos chocam de tal forma, que perde a vontade de estar bem informada.
Eu hoje, neste horário do tal jornal, estava em plena Av. Bandeirantes, em São Paulo, num trânsito maluco e num calor de matar, encontrando com um novo amigo que foi nos entregar uma doação de 10 caixas de leite para crianças carentes da cidade onde moro...e graças a Deus amiga, não tive o mesmo desprazer que você diante das notícias que relatou aqui. É minha amiga, a gente assisti porque não pode ser aliendado das coisas do mundo, mas que muitas vezes o que ouvimos dói na nossa alma, ah! isso dói e muito!
Deixo aqui a minha cumplicidade com o seu relato.
Um beijo querida e fé na vida, porque um dia as coisas terão que mudar! Agora, se a gente vai estar aqui para poder assistir...já é outra coisa!
bjs
Mari

Denise disse...

Pois é Mari, quando não dá pra fazer nada que mude a realidade que nos flagela, a indignação faz isto: une, torna cúmplices corações que dividem as mesmas aflições.

Por sorte estamos envolvidas em ações que permitem extravasar nosso lado humano generoso (tb estou nessa...rs), e isso muda o mundo interno, que no final, é tudo que temos de real...

Bjo carinhoso...obrigada pela solidária indignação.