“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


7 de jan de 2010

Eterno está!


2 comentários:

Adelia Ester Maame Zimeo disse...

Denise Querida, a capacidade em discernir o que faz bem ou não ao ser, é que seleciona adequadamente o pode ser impregnado na alma e o que não. Cabe a cada um de nós tal manejo, para termos em nossa bagagem interna apenas o que vale a pena. Esta reflexão é a base para análise de muitos conflitos que poderiam ser evitados. Beijo.

Denise disse...

A dificuldade, me parece, Adelia, está na escolha "certa"...talvez o conflito aponte falta de possibilidades, que só são visualizadas a partir de outras perspectivas, momentos, circunstâncias...

Mas quando tudo fica sereno, o indício de que houve discernimento, visão interna lúcida e clara, consulta honesta aos sentimentos valiosos nessa hora, as escolhas apontam para o que chamamos de adequadas. Entretanto, o manual de consulta não nos socorre...e os erros podem acontecer...servindo de eterna lição. Beijos, amiga sensível!