“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


19 de dez de 2009

Um diferente presente de natal...

A memória traiçoeira não atende a recomendação do coração, e restaura a noite barulhenta que não conseguiu abafar o som que desfez a distância. A confusão dos risos e falas levou a alegria para além fronteira da sala, cuja janela baixa foi o irresistível convite para isolar de todos aquele momento íntimo. A inconfundível melodia na voz denunciava o apelo de um universo inteiro de emoções novas, embora tão velhas conhecidas.
O Natal é símbolo do nascimento. E assim também é a vida, que trás em si as raridades, as infinitas possibilidades...a surpresa suprema, num simples telefonema!

Nenhum comentário: