“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


6 de dez de 2009

Emoções (s)Acudidas


O terremoto interior tende a nos atirar nos braços do medo, porém, emergimos dos escombros sempre mais fortes. O fogo que arde produz as chagas que imprimem as marcas dos golpes da vida, mas transformar o ferimento em redenção, ainda é minoria. O rebuliço desconfigura a aparente ordem das coisas, e essa labareda que queima os arquivos antigos, também lambe e destrói as pontes dos velhos caminhos.

Nenhum comentário: