“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


26 de fev de 2009

Tributo






Matéria de programa global desta manhã:

Amor de carnaval não sobe serra.

Minha leitura dessa expressão é: não vai em frente, é coisa passageira, do momento descompromissado.

Pois sou a negação dessa afirmativa. Não só vai adiante como pode ser um amor pleno, inteiro no seu esplendor e mágico na sua trajetória. Aconteceu assim, quando meu jovem coração estava ferido e não procurava ninguém. De início desacreditou da possibilidade e até recusou qualquer envolvimento naquele primeiro instante. Não adiantou. Ele teimou e persistiu na proposta - relutantemente aceita - que foi determinante para a permanência da união feliz que existiu pelas próximas três décadas. O amor de carnaval dá certo sim, é amor verdadeiro que nada tem de passageiro, e tal qual tamborim faz bater forte o coração e promove folia na vida da gente...rs

Aliás, penso que o amor tem o colorido do carnaval, a batida acelerada do coração como a bateria que toca sem cessar ao simples contato com o olhar ou leve imaginar. Tudo faz suspirar. Tem também a fantasia dos sonhos por realizar, as serpentinas dos abraços a envolver os corpos quentes que adentram as madrugadas em claro a festejar a vida com alegria. Tem ainda a musicalidade que compõe a relação, regando o desejo imenso de uma vida que cabe no tempo estreito de alguns dias, em dois corações. Tem samba no pé que garante o esforço da jornada a dois sem trégua, mas com jeito especial de andar junto.

O amor tem a festa no coração, a morada na alegria e a longevidade nos tons que pintamos a vida. É fato que alguns provam a amarga ressaca do término da festa, mas amor de carnaval sobe serra sim!


Denise

Nenhum comentário: