“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


19 de jul de 2008

Ser a mulher da vida de um homem...

A dimensão maior que uma "simples" pergunta pode conter gerou um lindo aprendizado.

Ser a mulher da vida de um homem é considerar, além das características especiais que a constituíram, a forma como este homem a constrói “sua”, ou seja, como ele aceita suas imperfeições, convive com sua maneira de ser e contempla suas virtudes. O inverso é diametralmente verdadeiro: o homem da vida de uma mulher é feito “seu” pelos mesmos caminhos e atitudes.

A consideração do assunto é muito mais ampla do que meramente resumir sua "causa" ao amor; antes, importa mais o ato de amar. Este, exprime o desejo de construir uma relação. E é o desejo que orquestra o "fazer" o outro pela totalidade do envolvimento que implica numa relação. O amor romântico, este habita os corações humanos e imprime ao encontro de duas almas um "resultado" romanesco. Outro ingrediente indispensável, porém, coabitam a questão. Um não existe sem o outro.

A questão sob o ponto de vista que vai além da visão humana transcende o equívoco de entender a aproximação de dois seres como casualidade. Não há acaso nos encontros, mas questões espirituais que os propiciam e fazem acontecer pela atração do desejo (escolha) ou o imperativo cumprimento de alguma pendência anterior.

Seja pelos motivos que forem que se justifiquem os encontros, é de responsabilidade de ambos o acerto e ajustamentos para que se viabilize a permanência da união. Requer de ambos a diligente habilidade da tolerância, do perdão, do respeito, da firmeza e da decisão de fazer prevalecer a constante cumplicidade inerente a um casal. Parceria se dá a dois. Um relacionamento se constrói por quatro mãos.

♥ Denise

Nenhum comentário: