“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


11 de dez de 2007

Natal

Há poucos dias do Natal, me pego pensando na transformação que a data sofreu, e não consigo lembrar de ter sido muito diferente desde minha meninice, quando predominava a preocupação com a ceia e na escolha de presentes.
O verdadeiro sentido do Natal perdeu espaço para o capitalismo, que fez dos três Reis Magos portas abertas para justificar o consumismo que substituiu a intenção do gesto "presentear".
Depois que cresci, todos os anos, após decorar o espaço onde a família irá reunir-se com motivos natalinos, e antes de servir a ceia, proponho uma reverência à data; proferindo os agradecimentos por mais um ano e convocando a todos que relembremos o "aniversário de Jesus".
Ao dar-nos as mãos para orar o Pai Nosso, nos aproximamos do aniversariante, trazendo-o para junto de todos naquela noite que é Sua. Assim, resgatamos o significado da data, passando-o para as gerações futuras.
Desta forma, o sentido do Natal se instala e, ao saborear os pratos elaborados com capricho, já temos a alma comungada anteriormente, num sentimento coletivo que espalha no ar o que transborda nos corações: AMOR.

E isto é Natal!

♥ Denise

Nenhum comentário: