“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


6 de jun de 2014

O valioso tempo dos maduros.




Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para a frente do que já vivi até agora.

Tenho muito mais passado do que futuro.

Sinto-me como aquele menino que ganhou uma bacia de jabuticabas.
As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço.
Já não tenho tempo para lidar com mediocridades.
Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflados.
Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte.
Já não tenho tempo para conversas intermináveis, para discutir assuntos inúteis sobre vidas alheias que nem fazem parte da minha.
Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar da idade cronológica, são imaturos.
Detesto fazer acareação de desafetos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário geral do coral.

As pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos.
Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa… Sem muitas jabuticabas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, muito humana, que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade…
Só há que caminhar perto de coisas e pessoas de verdade.
O essencial faz a vida valer a pena.
E para mim, basta o essencial!


Texto de Mário de Andrade, que serve pra mim e, com certeza, pra muitos de nós!

16 comentários:

R. R. Barcellos disse...

É quando flui devagar que o tempo dura mais tempo...

Beijo.

Marli Soares Borges disse...

Oi Denise!
Gosto muito desse texto. Com certeza me serve! Obrigada.
Bjs
Marli
Blog da Marli

Regina Rozenbaum disse...

É mesmo lindo esse texto Dê! E sim, as pequenas preciosidades "essenciais" fazem valer a pena nosso viver diário.
Beijuuss

Milene Lima disse...

Agora eu fiquei preocupada com o tanto de jabuticabas que eu ainda tenho, e que devo devorá-las, ávida e urgente.

Texto lindo, Dê.

Bom ver as luzes do Tecer acesas.
Beijos, meu bem.

R. R. Barcellos disse...

Cada ano bem vivido
Merece ser bem contado
Assim não terás perdido
Teu futuro em teu passado.

Beijos.

Denise disse...

Se for muito devagar, Rodolfo, o tempo passa... Nem percebemos a vida nas dobras da monotonia..

Bjos, Poeta!

Denise disse...

Pois é Marli, passa para todos nós, não é? E serve para cada um, de seu jeito... Bjos!

Denise disse...

A vida, essa reunião de coisinhas que a tornam espetacular, né Rê?
Bjãozão procê!

Denise disse...

Bom te ver aqui tb, Mi, proseando na varanda de onde se espia a vida... come sim, com gosto tuas jabuticabas!!

Bjo Mi_nha Flor!

Denise disse...

Eu amei Rodolfo, como sempre, tua incrível maneira de enxergar dentro da gente... isso tá mais pra Bruxo do que pra Poeta... rsrsrs

Bjo, querido!

Suzy Rhoden disse...

Muitooo verdadeiro, Denise!
É isso, exatamente, que a bacia de jabuticabas pela metade, ou menos do que isso, vai deixando impregnado na gente... já não importam os rótulos, as conversas inúteis sobre assuntos vazios. Queremos usar bem nosso tempo, com quem o valha!
Além do comentário, vim deixar um beijo e meu desejo por um lindo domingo em sua vida!

Beijinhooo

Roselia Bezerra disse...

Olá, querida Denise
Um texto conhecido e de grande valia na fase madura da nossa vida onde não perdemos tempo com mesquinhez...
Bjm fraterno de paz e bem

Denise disse...

Suzy querida, obrigada pelo beijo, pela visita e pela síntese: o tempo é um bem precioso demais pra ser desperdiçado com o que não vale a pena...

Super abraço pra vc.... com carinho!

Denise disse...

Verdade Roselia, nada que seja menos pode afetar aquilo que é mais importante...

Um abraço pra vc, fiquei feliz com tua presença aqui no meu Tecendo...

Comida que eu faço disse...

Bom dia,
Rolando algumas imagens aqui, encontrei seu blog, lindo estou nesta fase de conhecimento de si mesmo. Adorei tudo que escreve, vou levar comigo seus posts.Tenho uma página no Face, onde estou tentando colocar aquilo que está em mim, gostaria que visitasse, para compartilharmos esta experiências.

Denise disse...

Olá, vc não deixou seu nome "Comidas que eu faço", nem a página no face...rsrss

Volte pra contar!!!