“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


27 de out de 2012

Fazer aniversário é...

Nas vésperas do meu dia, me peguei pensando...fazer aniversário...o que isso significa? Acumular anos de vida sim,  mas, principalmente, é comemorar os resultados de uma trama que tece o enredo de uma existência em parcelas de acertos e enganos, fracionando o tempo em etapas vividas - como estações que alternam os meses e alteram o clima, dão o tom e tiram a cor, aquecem e refrigeram, florescendo e forrando o chão da vida.




Mais um ano, que não foi um ano comum, passou deixando suas marcas, ensinamentos, mudanças profundas, saudade, alívio e gratidão. É comum no final de cada ano uma espécie de recolhimento, a necessidade da reflexão. Pra mim, o pedido veio agora. 
Foram quase vinte mil dias até aqui, é hora de olhar pra trás, hora de despedidas, de encarar os fatos, de desapegar, de viver fortes emoções. Hora de sentir vazios, de espiar os sonhos, soltando partes de mim mesma. Hora de reconstruir, ajustar, não ignorar as tristezas e agradecer pelas inúmeras alegrias. E é hora de celebrar, expulsando memórias, lembrando dos pequenos gestos, suavizando os ressentimentos, retardando as inquietações. É hora de agregar valores novos, de polir as ideias, de limpar as mágoas, de encomendar esperança, hora de virar a página, de prender a fera e soltar a criança. É hora de parir novos sonhos, de alcançar as metas, de rir o meu riso e de chorar o meu pranto. Hora da conscientização, de avaliar - da (re)conciliação!

São muitos anos, mais de seiscentos meses, tantos fatos, ilusões, sonhos, enganos, sabedoria, frustrações, satisfações, decepções - e escolhas. Algumas me levaram para o aprendizado difícil, me mostraram os espinhos, me sangraram a alma, roubaram o céu, trazendo o que eu precisava aprender. Chorei, me recolhi, refiz planos, travei de medo, revi os enganos e senti vergonha; bebi da minha fonte turva, olhei em olhos tristonhos, ouvi e fiz lamentações. Desabei, cometi deslizes, falei o que não devia, me precipitei,  julguei - e mal! - ignorei a intuição que batia, fiz pouco da sorte, fui atrevida, medrosa, fiz previsões e me frustrei. Magoei pessoas que amo, fui magoada, esqueci as promessas íntimas que me fiz, tive dias tão pesados que nem sei como sobrevivi. Acreditei e confiei, mas nem sempre adiantou - construí sonhos, esquecida de que dependia de muitas pessoas para que se realizassem, então de novo me frustrei, e aí agredi, e novamente me vi diante de lições que não aprendi. Falhei comigo e com os outros, senti a impotência me ensinando sobre flexibilizar, retomei o olhar que perdi, mergulhei em mim mesma e fiz novas escolhas, porque nem tudo aprendi...

Outras escolhas, no entanto, me fizeram gargalhar, levaram por caminhos férteis, onde semeei temperança, uma dose boa de esperança - e uma extra, de humildade. Quero colher os frutos bons,  porque se penei atravessando tempestades, hoje quero o calor do sol e a claridade. Algumas dessas escolhas foram muito difíceis, implicavam num adeus mudo, só meu, que precisava - e merecia! - ser sereno, e foi onde mais aprendi, foi quando mais sofri, foi a travessia mais dolorosa. Mas foi a mais generosa ponte para as lições mais importantes. Fiz escolhas que me propiciaram momentos perfeitos, alguns trouxeram alegrias que são inesquecíveis, reencontros, proximidade, afetos resgatados, ousadia e coragem. Concretizei sonho antigo, antes tateei insegura  pra  sentir o gosto forte da superação! Parte de minhas escolhas ainda me farão caminhar, porque os sonhos estão incompletos e precisam que eu persevere e saiba esperar. Confio que os resultados esperados serão novos dias de muita alegria e farta comemoração!

E houveram as escolhas que não fiz, aparentemente, mas ter filhos é esperar da vida as grandes e as melhores surpresas. E eu as tenho recebido - até em dose dupla - em forma de presenças, de presentes que retribuo com amor. Ter família é mais do que um porto seguro, é a certeza de trocas importantes, de tensão e união, de calor nas discussões e nos abraços, de momentos felizes, de laços e nós. A minha ocupa o podium da minha existência, lidera de longe minhas emoções, não raro implode minhas convicções...rs...e é a fonte que abastece de alegria o meu coração. É o laço eterno que envolve meu mundo e orienta meu caminhar, é o conforto, a constante motivação. Disparado, é a forma mais genuína da demonstração do amor, do perdão, da camaradagem, companheirismo, conflitos e superações.

Sou um feixe de nervos e serenidade, sou as duas metades da dualidade, sou a oposição da contradição mais perfeita, a soma da sombra e da luz que me rodeiam, a incompletude do ser imperfeito. Sou ampla, restrita, generosa, rígida, sorridente e chorona. Sou a veia que pulsa, a raiz profunda, os galhos nus, a fruta madura. Sou as manhãs frias, as noites escaldantes, o cheio, o vazio. Sou a letra muda, o som alto, a música calma, a dança frenética. Sou o avesso, o viés, o alinhavo, o ponto cheio, a agulha que alfineta. Me enterneço e sou espinho. Às vezes atravesso, desafino. Sou o afago, a mão estendida, ciumenta, ansiosa, rude, ácida e amorosa. Tenho manias, segredos, medos, desejos, angústias. Tenho crises de riso e de choro, picos de irritação e surpresas tão boas que nem acredito. Tenho amigos queridos, projetos, saudades, ideias, fraquezas, bom humor, limitações. Tenho hábitos antigos, anseios, comportamentos novos, arrependimentos, novas crenças, velhos gostos, aprendizados e falhas. Muitas vezes peco por excesso, ou deixo a desejar e nem percebo, subtraio, esvazio, questiono, procuro, perco, ganho. Sou rio, oceano, gota pequena. Sou um universo vasto, infinito, incompleto, bonito, humano, imperfeito, a eterna aprendiz!!

Eu sou a mulher que aprendeu com os erros, que reverencia a vida, persiste, tem coragem, se espanta e se comove, sonha, divaga e acredita. Sou aquela que diz coisas horríveis e se arrepende, que houve bobagens e releva, e as horríveis, nem sempre esquece, mas perdoa, é perdoada. Mais resiliente, alimento minha criança interior, sou responsável e correta, mas também vacilo, me engano - e desabo. Sou a terapeuta dedicada, intuitiva, acolhedora, imperfeita; sou a amiga presente, cedo o coração, o colo, o ombro, mas nem sempre correspondo; sou a filha que ama, que cuida, se preocupa, comete deslizes e decepciona; sou a irmã e a tia amorosa que às vezes se descuida; sou a cunhada afetuosa, amiga e agradecida; sou a mãe que ama demais, que cuida, se preocupa, convive, socorre, ri e chora junto, agrada, abraça, mas desaponta; sou a sogra que acolhe como filhos e tenta ser um pouco mãe, talvez por isso cometa os mesmos "pecados"; e sou a avó que, realizada, ama, ama, ama...e é amada!

Nessa reflexão não esqueci de meus sonhos desfeitos, dos momentos de desespero, das renúncias, da insegurança diante de cada decisão, das noites enormes e dos dias vazios, mas lembro que os tombos foram os momentos de descanso, e sou obrigada a concluir que tenho muita sorte, e que, por todos os anos que vivi, pude encher um enorme "baú de lembranças" caras e lindas, amealhando um tesouro precioso. Por tudo que vivi, pelos últimos acontecimentos na minha vida, pelas pessoas que dela fazem parte, pela saúde que todos temos, pelas oportunidades e recursos maravilhosos para usufruir dessa vida abençoada, sou infinita e imensamente grata!




Agradeço a cada um que por aqui passa e deixa seu carinho, a energia amorosa que flui e permite que a vida se expanda e alcance tantos corações - obrigada gente querida, obrigada aos amores da minha vida!

* O post ficou enoooorme...também pudera, são 54 anos!!!



32 comentários:

Milene Lima disse...

O que eu acho bacana em ti, entre tantas coisas, é essa imensa capacidade de encontrar "bacanice" em tudo, em sorrir mesmo quando as coisas não estão lá essas maravilhas, se perceber frágil e não desmontar. Eu te admiro por demais, galêga cigana, amiga do Mickey, linda, vaidosa (no melhor sentido), sorridente, e tals, e tals...

Seiscentos meses??? Quero não calcular os meus!

O textão ficou massa, ficou Denise, ficou lindo!

Num sei quantos milhares de beijos, por cada dia dessa tua vida, mulher!

R. R. Barcellos disse...

Feliz és tu, Poesia! Pois das rimas várias que te deu o Tempo, soubeste compor o poema da Vida! E tua canção foi feita na pauta da alma, e traz-nos a música das esferas.
E haverá muitas estrofes ainda em teu poema, e muitos compassos mais em tua música... sim, haverá!
Feliz aniversário, Poesia amada!

Leonel disse...

Denise, feliz aniversário!
Você fez um verdadeiro "raio-x" da sua vivência, num repasse geral dos seus momentos e pensamentos mais marcantes...
Um abraço sincero!

manuel marques Arroz disse...

Fazer aniversário é nunca ter outra idade senão a do coração.E você tem a vida tão cheia ,tão cheia de amor e carinho para dar, que é um grande privilégio ser seu amigo.
Bem haja.

Tudo de bom minha querida .

Beijo.

Maria das Graças Lacerda disse...

Olá, Denise!

Que bom que seu pos ficou enorme, amiga! eu teria lido mais, muito mais, porque me emocionei do começo ao fim, a cada palavra, a cada frase que você ia "tecendo" com primor e o frescor de quem completa só 54 aninhos...
Lembro-me de um de meus nivers, você achou bonito que eu coloquei assim:
-Hoje faço a felicidade de fazer anos.
Não importa se vc ainda lembra, sabe? O mais importante, é que essas palavras surgiram espontaneamente, e hoje eu as dou a você, juntamente com os meus cumprimentos pelo seu Dia.
Dê, agora é uma ordem, minha amiga:
- Faça o favor de fazer a FELICIDADE DE FAZER ANOS!
Deus a abençoe, acompanhe e proteja, sempre!
Parabéns!

Toninhobira disse...

Então meus parabens minha amiga,desejando toda felicidade e paz com muita saude.
Esta linda esta foto na janela.
Fazer aniversário é este olhar para trás e não somar dias,anos e sim o que se viveu e agregou para levar outro tanto,como bem deixou claro na sua linda postagem de depoimento e reflexão.
Que o sorriso seja a mais bela imagem para cada dia.
Meu terno abraço Denise.
Beijo.

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida Denise
Que bacana ver um post tão pessoal e bonito!!!
Estou com anos a mais e, como vc, cheia de esperança...
A vida continua...
Nada fica estagnado... ainda bem!!!
Deus te cumule de bênçaõs e te faça feliz!!!
Bjs festivos de paz

Cores da Vida... disse...

Oi Denise...!! Minha amiga querida, meiga e de palavras lindas... Minha linda, que feliz fiquei em lhe ver lá, em meu canto. Saudades de você, também... E que surpresa boa essa, nos encontrarmos em seu aniversário. Parabéns!! Quero lhe desejar tudo o que lhe possa trazer amor, paz, sucesso e sorrisos... São 54 anos então...!! Uma vida para se recordar de muitos fatos que foram bem trabalhados para um equilíbrio saudável. Você está LINDONA...!!Rs Melhor ainda, com uma aparência tranquila, suavemente feliz... Muito bom de se ver... Beijos grandes para você e uma boa semana.
PS: Quem sabe, um dia eu retorne ao blog, esse mundo de amores..., mesmo que em relação a amigos, apenas.

Cristina disse...

Parabéns minha amiga!!! Te desejo felicidades, saúde, sabedoria. Que seus dias sejam abençoados com muita paz!!! Você está muito bem viu, linda e cheia de vida!!! Um grande abraço!!!

Regina Rozenbaum disse...

Bacana demaisss! Afinal são 54 anos de vida muiiito bem vivida...graças a D'us!!! E que ELE possa continuar a lhe cobrir de bençãos diárias...e assim teremos mais depoimentos lindos como esse para saborear. Deixei no FB algo que adorei e diz bem de nossa amizade. Vou deixar aqui tb, posso?! Receba meu amor e uns tantos beijuuss com laço de felicidades sempre,irmigamaaaada!!!

Soneto do amigo

Enfim, depois de tanto erro passado
Tantas retaliações, tanto perigo
Eis que ressurge noutro o velho amigo
Nunca perdido, sempre reencontrado.

É bom sentá-lo novamente ao lado
Com olhos que contêm o olhar antigo
Sempre comigo um pouco atribulado
E como sempre singular comigo.

Um bicho igual a mim, simples e humano
Sabendo se mover e comover
E a disfarçar com o meu próprio engano.

O amigo: um ser que a vida não explica
Que só se vai ao ver outro nascer
E o espelho de minha alma multiplica...
Vinicius de Moraes

RESILIÊNCIA disse...

Denise


Parabéns...parabéns...

abraços... abraços...

Luma Rosa disse...

Ah, Denise!! Você podia escrever mais e eu continuaria a ler com o maior prazer!
Bom saber que você tem a sensibilidade para se olhar sem amarras e sem se esconder. Isso por que é uma mulher "feita" e reconhece seus pontos fracos e fortes. Parabéns mais uma vez pela nova idade!! Felicidades muitas!! Beijus,

Denise disse...

A vida, Mi, dá pra gente oportunidades, inclusive pra que aprendamos com os erros, e pra que possamos reconhece-los, precisamos olhar de frente para eles. Acho que estas são aprendizagens duras, mas que não precisam nos embrutecer, nem endurecer a alma...ao contrário....vergamos de dor, mas retomamos o caminhar...não há quem não tenha aprendizados na vida...e, todos, seguramente, são oportunidades para crescer...né?

Sorrir faz parte, desabar sem cair...ô vida de equilibrista, né não?...rsrs

Os milhares de beijos são retribuídos com imenso afeto!
Bjo - meu e do Mickey...rsrs

Denise disse...

Sim, meu poeta querido, haverá, e talvez teça estes versos com mais serenidade, a cada ano de mais e mais (re)conhecimento da vida e seus caminhos menos tortuosos...bora caminhar mais eu??

Bjos, com imensa gratidão pelo teu carinho imenso!!

Denise disse...

É Leonel, a gente precisa desse olhar sincero pra dentro de si mesmo, penso que a maior dor é a de não ver, não rever e repetir...não aprender...pq significa viver e tornar a doer, até aprender!

Retribuo o abraço, com carinho!

Denise disse...

Ah, manuel, meu amigo querido...são teus olhos que me tornam assim, tão, mas tão melhor...obrigada, beijo GRANDE!

Denise disse...

Eu lembro sim, Graça, e tive a felicidade de fazer anos, tentando encontrar uma parcela de humildade que possa me tornar melhor, mostrando aquilo que preciso ver, reconhecendo o que já aprendi...e não deixar jamais de caminhar, pra aprender, e aprender, aprender...

Obrigada pelo teu carinho de sempre, tua presença é uma alegria e um presente!
Beijo e abraço cheios de afeto e gratidão!

Denise disse...

Obrigada, Toninho...tenho entendido que este olhar pra dentro de mim mesma é a única maneira de enxergar-me e corrigir-me...tenho tentado...

Um grande abraço, obrigada por tua presença constante, uma ótima semana pra vc!

Denise disse...

Pois é Rosélia, me recuso a desistir...depois de tudo e de tanto, não seria justo...tenho jogado novas sementes, quero uma colheita diferente!

Um beijo, e meu carinho alegre por tua presença!

Denise disse...

Ah, Ana Lúcia...foi chão pra chegar aqui, e não pela trajetória longa, mas pelos passos que dei...e sempre há o que corrigir, horizontes novos pra visitar...vida nova pra viver...mantendo amigos queridos, assim como vc!

Um abraço afetuoso...volte sim...te espero!

Denise disse...

Um balanço que me diz, minha querida amiga Cris, que nasci pra ser feliz...rimou!...rsrs

Te agradeço o carinho e a presença querida, beijo com afeto!

Denise disse...

O Vinicius toca fundo a alma da gente com esse Soneto tão amigo, tão cheio de afeto...como o que nos uniu, entrelaçadas pela vida, que vale a pena ser expervivida!!!

Entrega recebida, retribuída com imensa alegria por vc existir na minha vida!
Obrigada, irmiga_mada!
Bjo-te!!

Denise disse...

Ari, amigo querido...obrigada...obrigada!

Abraço GRANDE!

Denise disse...

Luma, não sei se estamos "feitos"....prontos...acho que a construção é permanente, o que ocorre são as correções da rota...mais do que planos mudam na vida da gente...a própria vida muda...muda-nos...

Obrigada pelo carinho, que teus votos se concretizem, beijo pra vc, querida!

D. Garcia disse...

Os anos que se somam não trazem trazem surpresas, pois apenas são relatos das nossas escolhas. E a história é contada todos os dias; mais que isso, vivida, experimentada. Opções são renunciadas; outras nos propõem caminhadas para as quais nos curvamos. A vida é omissa na sinopse. E os sonhos se modificam para se adaptarem às "novidades" velhas.
Bela reflexão sobre a jornada de cada um, Denise! Gostei muito dos teus pontos de vista.

(Também vim conhecer e agradecer a visita. Daqui gostei e por aqui vou ficando.)

Abraços. Daniel.

Denise disse...

Olá, Daniel, seja bem-vindo ao Tecendo, sinta-se acolhido com alegria!

Aqui deposito minhas reflexões, falo de mim mesma, mergulho em emoções que são universais, vividas individualmente...viver é um verbo forte!

Outro abraço, boa semana!

Tânia Gama disse...

Que texto bacana, preparado com muito carinho nos levando a reflexão sobre as escolhas de cada um! Parabéns pelo grande talento! Um grande abraço e fique na paz, amada Denise!

Denise disse...

Obrigada, Tania...o maior dos talentos é aprender a viver sob as sombras, à luz de si...

Um abraço!

MARILENE disse...

Eu não havia lido seu texto e ele tem tudo para estar no pódio das estatísticas. A serenidade com que fala de momentos e da vida em si é surpreendente. Está linda, dentro e fora. Parabéns por ser assim! Bjs.

Ilaine disse...

Denise, querida!

Você é uma pessoa linda...
Aniversariar faz pensar!

Obrigada pelo comentário lá no castelo.
Fiquei muito feliz!

Beijo

Denise disse...

Marilene, e a gente tem pra onde fugir quando vai pra dentro de si???...rsrsrs

A vida abranda muito a gente, não acha?
Longe de ser serena, tenho me conscientizado de coisas importantes, tenho buscado as raízes onde estou presa, procuro desatar os nós... o avanço é proporcional ao esforço, e tenho me esforçado muuuiiito mesmo!!

Adorei teu comentário e presença!
Bjoca!

Denise disse...

Olá, Ilaine, seja muito bem vinda ao Tecendo, obrigada pela chegada carinhosa e gentil!

Fazer aniversário faz pensar, sim...muito!
Mas, principalmente, faz crescer...
Um beijo!