“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


28 de jul de 2012





As folhas caem para que a árvore se renove, não para que seus galhos fiquem expostos e sofram com o frio...o mesmo acontece na condição humana, deveríamos olhar para as folhas com gratidão, não lamentar que foram ao chão...

14 comentários:

Ivana disse...

A gratidão é uma virtude muito bonita, quando a praticamos estamos sendo humildes, e isso só nos faz bem.
Vale a pena pensarmos sobre sua reflexão, certamente vai nos beneficiar positivamente.
Um ótimo domingo!
Bjs

Sissym disse...

Querida amiga, é a renovação da vida, ela não termina, ela se refaz e podemos nos refazer se quisermos.

Bom domingo!

bjs

R. R. Barcellos disse...

Pouca gente sabe que, nos climas temperados, as folhas que caem no outono formam um tapete protetor que fornece, no inverno, calor e alimento às sementes espalhadas pelo solo. São o útero de Gaia.
É claro que você sabe isso, minha querida... você tem a sensibilidade da Poesia, que transparece até na sua prosa.

Beijos.

MA FERREIRA disse...

Oi Borboleta Linda...

Vim beber teus versos e matar as saudades...

O segredo é aguentarmos firmes a tempestade..
As minhas dores serviam de impulso .. descobri forças que nem eu mesma sabia que tinha...

As vezes a tempestade é nescessaria... depois dela o sol.. e com ele o arco iris..

Um beijo...semana linda a vc..colorida como as tuas asas..

Leonel disse...

As folhas, assim como as ideias, são recicláveis e renováveis.
Assim, trazem sequências de tons e cores que se renovam ao longo das estações...
Abraços, Denise!

Denise disse...

Sabe Ivana, eu vi nas folhas, as lições de tudo que vivemos, elas estão vivas em nós, a folha cai ao dar lugar para novas primaveras que virão depois de embrionárias sementes derem a graça de sua chegada...precisamos ser gratos a esse período de ensinamentos...assim eu acho...

Uma ótima semana pra vc!
Bjo

Denise disse...

Pois é, Sissym, eu vejo a impermanência das coisas, numa vida sem fim...e acho sim que a vida sofre essa renovação...bom, né?


Beijo, ótima semana!

Denise disse...

Essa forragem, Rodolfo, serve de alimento à terra que nutre a árvore nua, enquanto ela gesta nova primavera, num período aparentemente frio e sem vida...são os ciclos que se fecham...parir a vida são esses reviveres...

Beijos, adorável Poeta que a mim vê com excessos, nesse olhar carinhoso que tem.

Denise disse...

É verdade, Ma, essa metamorfose é como o romper do casulo, que sempre dói, mas são necessários para termos as borboletas....não se constrói um ciclo evolutivo sem marcas, e elas tb são boas, belas e perfumadas...né?..rs

Delícia vc aqui no meu Tecer, trazendo teu carinho e revelando tua sensibilidade sem par...obrigada, querida!

bjo grandão, boa semana procê!!

Denise disse...

Verdade, Leonel, e essas fases, tão necessárias e inadiáveis, fazem da vida esse tom sem igual - cada um tem sua paleta, seu pincel e sua arte!

Abração carinhoso procê!!

Luma Rosa disse...

Nada é por acaso! Assim a morte tem o seu significado dentro do ciclo da vida. Boa semana! Beijus,

Milene Lima disse...

Cada grão simples folha veio à existência com uma missão, que não termina quando ela cai da árvore? Lindo isso.

Beijo, lôra.

Denise disse...

Dar lugar ao novo acho que é a mensagem principal, né Luma? Deixar que se acomodem as lições, que a gente internalize os aprendizados, depois disso....só mesmo o novo pra nos motivar, pra trazer sentido novo, sendo que tudo fica agregado ao nosso ser - tudo se transforma, nada se perde!

Beijos, querida!

Denise disse...

E são tantas missões, né Mi???
Acho lindo tb...e vale lembrar que nem tudo dói, e mesmo o que dói, tem sua razão de ser, e...passa.

Bjos, moça querida!