“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


11 de abr de 2012

A angústia da palavra perdida...




A angústia da palavra perdida...deve ser isto que eu - e mais alguns amigos - tenho sentido nesta estreita temporada em que, ao largo da minha vontade, se perderam de mim as expressões que contam com fidelidade o que ora habita meu ser - pra muito além deste papel vazio...

Voa por aí o vocabulário de meu sentir, mas sei que há de pousar em retorno antes que o inverno congele o ar em que vagueia - deve estar a bailar junto às folhas que caem deste meu existir, em retirada feito o ciclo mutante de uma vida impermanente, mas de emoções constantes...ele volta, e com certeza as sentenças eclodirão num murmúrio suave ao renascer o tecer desta gestação de letras em [novas] ideias!


14 comentários:

Milene Lima disse...

Gostei da palavra "eclodirão", vou armazenar nas minhas favoritas... Hahaha!

Lôra, elas, as tuas palavras, vão voltar. Pousarão novamente feito borboletas no teu galho de rosas perfumadas...Elas são assim, cheias de vontades, mas sempre acabam voltando.

E são lindos os teus dizeres... São lindoss.

Ah, essa imagem, roubarei sem a menor cerimônia.

Beijo!!!

Denise disse...

Sabe, Mi...a palavra suprimida da qual falava parece ter ganho alguma vida e saiu assim...eclodiu...rsrsrs

Leve-a pra teu acervo, carregue a imagem sem cerimônia - sei que vai estampar tuas palavras...e assim, leva consigo as letras de tuas emoções, das minhas sentimentalidades...rsrsrs...e tá tudo certo nessa comunhão de ideias e afetos!

Bjos da lôra que te curte até fora do face...rsrs

MA FERREIRA disse...

Denise querida.....

Elas voltam viu? fazem parte de ti!!!!

De vez enquando tb fico sem inspiracao....mas ela volta rapidinho....

Um beijinjo........amanha comeco o projeto D rsrsr



Fique bem.....

R. R. Barcellos disse...

Onde sobram sentimentos não faltarão as palavras. Tardarão, por vezes... mas virão.
Beijos, Denise. Tantos quantas sejam as palavras-borboletas no teu jardim de emoções.

Leonel disse...

Linda poesia sem versos...
A prosa pode ser muito poética, quando expressada por pessoas de alma leve...
Abraços, Denise!

Denise disse...

Ma, querida...todo ânimo que chega renova, motiva...gracias, a diferença está nessa deliciosa rede de afeto que nos prende e acaricia!

Imagina minha ansiedade...rsrs...vou amar, já sei!
Bjos pra vc, que a inspiração coloque parte da artista na obra, e te possa ver nas asas da imaginação...

Denise disse...

Que lindeza, Rodolfo - quando não é?? - penso que seja imensa essa quantidade deles, todos bem-vindos e retribuídos, Mago querido!

Denise disse...

Leonel, teus olhos gentis vêem o que teu generoso coração sente - e me tornas infinitamente melhor do que sou... teus olhos têm os versos que me faltam!

Beijo, meu amigo querido!

Bloguinho da Zizi disse...

... suspiro ...

Luma Rosa disse...

As palavras são livres! Quando querem, se instalam e quando não querem, não nos dão satisfação para onde vão. Ficamos sós e à estreita de sua vontade e quando menos esperamos, elas chegam de supetão.
Bom restinho de semana!! Beijus,

Denise disse...

Zi...beijos levados até vc pelas asas de uma linda borboleta, viu?....

Denise disse...

É verdade Luma, as minhas às vezes teimam em se esconder, embora façam burburinho na minha mente inquieta...rs

mas elas voltam...voltam sim!
Bjos, querida - bom domingo!

Toninhobira disse...

Poeticamente lindo Denise,ainda com reflexão destes instantes que parecemos estar num esvaziamento.
Além das idéias, tecendo a magia das palavras com beleza e elegancia.
Bom estar por aqui,neste mar de reflexão.
Meu abraço amiga carregado de paz e luz nos seus dias.
Bjo.

Denise disse...

Toninho, eu que sinto a alegria de te-los por aqui, compartilhando a tecedura da vida - que não se faz sozinho!

Abraço retribuído e acrescido de um bjo de gratidão!