“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


17 de fev de 2012

No Silêncio - por Rodolfo R. Barcellos

Presente como este, a gente só ganha de amigos muito especiais.
Como ele conta, tudo começou com este Soneto - fruto de um post meu sobre o Silêncio.

Este poema maravilhoso que declamo neste vídeo foi escrito para este fim, ou seja, um presente pra mim - e duplo: poema com direito à declamar - resultado de uma conversa depois da surpresa preparada por amigas queridas nossas e por mim, para o aniversário deste amigo que sempre está a nos mimar com seu carinho desmedido, sua atenção e delicadeza. Em geral seus comentários, vocês que freqüentam o Tecendo, já sabem, são em versos.

A alma dele é de poeta, um artesão de emoções, que tem por ofício enfeitar ao tocar o coração da gente.
Hoje nosso filho foi apresentado por ele no Sete Ramos de Oliveira, e eu divido, enternecida e emocionada, com vocês.
Me confesso encantada e cheia de gratidão!
Meu beijo pra você Rodolfo, o Mago destas e de outras tantas [belíssimas] palavras!





16 comentários:

Lu Cavichioli disse...

Denise, cara mia, você tem uma entonação maravilhosa, declama lindamente, sabia disso?

Consegue interpretar cada som que a melodia do poema nos traz, fazendo as imagens saltarem dos versos.

O clip ficou classudo e vocês dois uma mistura fina!

Declamar RR é sempe um presente e este poema em particular chega a ser surreal de tão belo.

Parabéns minha amiga, você com certeza emocionou a muitos.

grande beijo pra ti, lindeza!

LU C.
:D

Milene Lima disse...

Não há outro jeito a não ser repetir o que falei no Sete Ramos: Bravo, poeta! Bravíssimo, declamadora! Conjunto perfeito. Encantou-me completamente.

Estou aqui meio tonta ainda, tamanha a perfeição.

Orgulhosa dos dois queridos.

Cida disse...

Lindo, muito lindo!!!

Parabéns ao Rodolfo, e à sua musa inspiradora, de voz tão bonita!
:)

Beijão, e tenham um excelente feriado de carnaval.

Deus abençoe o seu lar!

Cid@

Denise disse...

Oi Lu, eu não sabia sequer que sabia declamar....rs.
Obrigada pelo carinho das tuas palavras, ao surpreender o próprio poeta, senti-me feliz e recompensada por haver tratado desta preciosidade com o cuidado que merecia.

Emocionei-me com a finalização que Rodolfo deu ao clip - ouvir-me é interessante...rs

Um beijo, Lu!

Denise disse...

Vc é suspeita Mi_zinha, pelo bem que nos queremos, mas sei que o que diz é o que sente - obrigada por esse tantão de carinho, vc sabe que quando a gente faz as coisas com amor, o resultado é bom.
Estou com o coração em festa!

Bjos, moça querida minha!

Denise disse...

Obrigada amigavó, esse poeta caprichou, atualizando meus sentimentos sobremaneira!!!

Beijos, boa folia pra vcs -muita alegria em todos estes dias!

RESILIÊNCIA disse...

Denise ( grande amiga)

Foi como uma descoberta de adolescente... ouvir a sua voz.
Foi como um sinal... vindo dessa alma
que eu desconheço, mas...percebo, vejo colorida com as cores da sutileza, e da infinita delicadeza.
abraços deste que te estima e quer bem.

Denise disse...

Oi Ari, meu amigo querido...quando nossas emoções adolescem...rsrs...a gente experimenta-as com roupagem nova, embora quem sinta seja o velho coração, que a tudo reconhece e ainda assim se encanta.

Obrigada pelo carinho, um grande e afetuoso abraço!

Leonel disse...

Eu ouvi esta declamação, modulada pela tua voz suave, no blog do Barcellos, e só posso repetir que foi uma combinação feliz de compositor e intérprete...
Parabéns aos dois, pela parceria poética!

Ivana disse...

Você inovou declamando o Soneto do Rodolfo, até então eu não tinha visto em nenhum blog, parabéns a você como declamadora e ao poeta Rodolfo, um Soneto que mexeu com minhas emoções, linda parceria. Um abraço!

Denise disse...

Obrigada Leonel, pelo carinho das tuas palavras e pelo prestígio que tua presente representa pra nosso amigo Rodolfo, no qual me incluo um pouquinho....rs

Foi uma ideia que tomou corpo e ganhou formas, o que me deixa feliz, honrada e grata!
Bjos!

Denise disse...

Obrigada, Ivana....

não foi inovação pq não fui a precursora...rs....mas foi uma enorme alegria que compartilhei ao dar vida ao Silêncio que ele versejou com tanto talento e sentimentos tocantes a todos nós.
Uma honra e um presente, uma alegria indescritível....essa, inenarrável....rsrs

Bjos, minha amiga!

Tais Luso disse...

Denise!! Lindo poema e que declamação, amiga!! De onde você tirou esta voz, esta entonação, este sentimento transbordando de amor?

Não sabia desse seu talento.
Parabéns aos dois! Mais lindo, impossível...
Meu carinho.
Tais

Denise disse...

Oi Tais...então, o resultado foi uma surpresa pra mim tb....rs
A voz estava um pouco comprometida por conta de uma faringite que me pegou dias antes, ficando mais rouca do que o normal, mas acho que o sentimento se impôs e ficou bom, ou assim me assegurou o poeta - te confesso que fui colhida de surpresa com os comentários sobre como ter declamado direitinho....rsrs

Poxa, que bom que gostou, tuas observações me deixaram feliz!
Beijo grande, amiga querida!

R. R. Barcellos disse...

E olha eu, chegando dez dias atrasado para a festa na qual sou convidado de honra! Que vergonha... nem sei o que dizer!
Quero agradecer a todos os que aqui comentaram e dizer a você, Denise, que você pôs com sua voz um sentimento e uma alma que deram vida a meus versos. Obrigado.
Beijo especial.

Denise disse...

Sempre é hora boa pra celebrar, para comemorar, e a festa continua porque tua presença ultrapassa tempo, Mago das palavras - o meu Mago!

Quando me disse que minha voz adornou teus versos, fez de mim uma criança feliz, que sorriu escondida de sua peraltice...obrigada, Rodolfo, pelo presente - não me canso de repetir sobre tua generosidade que reparte conosco estas criações lindas. Nosso filhote ficou muito bom, né???

Beijos cheios de afeto!!