“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


13 de nov de 2011




O mar

Ele me fascina, suas águas banham a energia que sinto penetrar na minha alma contemplativa.
Sou capaz de ficar horas admirando sua imensidão e beleza sem igual. O movimento das marés parece meus altos e baixos, enquanto vejo suas cores se diluírem no branco da espuma que lambe a areia.
Por ele navegam embarcações e nele arrisco permitir o meu coração flutuar - embarcado pelo timoneiro que o guia sem direção, pois segue-lhe o clamor espalhado pelo vento que deixa arisca a água que o embala, querendo o bailar das ondas em que mergulha na mais profunda paz e alívio das inquietações.
O mar me respinga gotas do calmante que seda minhas aflições, alinhava sensações de prazer e tece alças imaginárias a prende-lo em minha alma. Mais que formoso, ele é energético, uma força da natureza que invade meu ser quando o contemplo na manhã preguiçosa, ou quando arde sob o sol causticante, no cair das tardes amareladas ou nas noites estreladas - da areia, da varanda ou do terraço, seu cheiro, murmúrio e esplendor preenchem meus sentidos!
Ao mar me rendo, entregue à sua magia e profunda paz. Não sou boa marinheira, mas não reluto aos seus encantos naturais!

8 comentários:

She disse...

Temos algo em comum Dê! Sou fascinada pelo mar tb, amo ficar olhando pra ele, aliás estou com saudade de um banho de mar, mesmo morando no Rio, por incrível que isso possa parecer...rs Beijo, beijoooo! Excelente semana queridona!
She

R. R. Barcellos disse...

Tu te enganas, princesa,
Pois a verdade surpreende:
Ao ver a tua beleza,
É o mar que a ti se rende!

Beijos.

Denise disse...

Nisso nos parecemos menos, então...não me fascinam suas águas para banho - e nada têm a ver com poluição... para elas dedico minha fascinação...

Dias lindos pra vc tb, querida!
Bjo GRANDE!

Denise disse...

Tá, e agora o que digo pra vc, encantador de gente???

Ah! Rodolfo...as palavras foram levadas pelas ondas...só tenho comigo, agora, um punhado de beijos pra meu poeta!!

Tais Luso disse...

A natureza de um modo geral nos dá paz, ainda mais quando linda. E que linda esta sua prosa, Denise! Ondas que beijam e que criam seus balanços... Impossível não ter paz e tentarmos um encontro conosco; pensar, refletir, descansar longe do mundo que nos espera na volta... E que por certo não é este. No meu caso, o que me renova por completo é a paisagem Serrana, seus verdes, o canto das aves, o característico pinheiro e o cheirinho de mato e de terra molhada.

grande beijo.
Tais Luso

Denise disse...

É verdade Tais, quando visito meu filho sinto a brisa, ouço mais vivo o piar dos pássaros (os tenho todos os dias, saudando-nos, no meu prédio, centro da cidade, veja que benção!), assim como os sons de animais e das folhas da vegetação prodigiosa da natureza perfeita, a circundar a casa onde meu neto desenvolve-se - e esse é um grande presente!! Mas...é o mar que guarda em sua profunda e imensa existência, as energias que invadem meu ser...é dele que vem a paz instintiva, a calmaria que aquieta meu corpo e espírito...

Bom demais receber tua carinhosa visita, uma semana maravilhosa pra vc!
Beijo grande!

Regina Rozenbaum disse...

Larga mão decêbesta, sô! Quem disse que não é boa marinheira???!!! Essa declaração de encantamento e envolvimento só é capaz de fazê-la quem tá dentro desse mar faz tempo...Marinheiros de 1ª viagem não conseguiriam mesmo!
Beijuuss, lindona, n.a.

Denise disse...

rsrsrsrrs...vendo assim Rê, sou obrigada a concordar...

Navego sim, muitas vezes contra o vento e em altas marés, mas já diz um provérbio africano "mares calmos não fazem bons marinheiros..."

Beijos, irmiga!