“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


8 de out de 2011

Outubro...




O tempo medido pelo homem, é um. Aquele que o coração conta, é tão diferente...


10 comentários:

Bloguinho da Zizi disse...

Concordo
totalmente

R. R. Barcellos disse...

É natural, Denise... enquanto a cabeça da gente conta os dias e os anos, as horas e os minutos, o coração conta as alegrias e as dores, os sorrisos e as lágrimas. É por isso que eles se desencontram tantas vezes.
Beijos, querida.

Denise disse...

Pois é Zizi...às vezes queria outra medida de tempo que não fosse a que conhecemos...
Bjo

Denise disse...

É que para a primeira situação, meu amigo, não faz diferença se a gente sorriu ou se chorou...já para o coração, o tempo do relógio desencontra as lágrimas que já caíram, ou as alegrias que deixaram as lembranças mais leves - tanto pode ter passado anos como parecer que foi ontem...

Beijo Rodolfo, tua presença suaviza o tempo que o coração conta...

Cristina disse...

Que bela frase! O tempo para o coração é tão relativo não é? Cada um tem seu tempo relacionado a sua história. Desejo que você tenha um ótimo fim de semana! Um grande abraço!

Toninhobira disse...

Pois é, este coração não entende de tempo mesmo,apenas de querer e mais querer e às vezes de sofrer.
Abraço terno Denise.

Regina Rozenbaum disse...

Aiii que essa temporalidade faz cada coisa...xapralá.
Beijuuss, lindona, n.a.

Denise disse...

Nem me fale, Cris...esse desencontro parece incongruente, mas, se pensarmos apenas na leitura de um - e de outro - tudo fica claro, compreensível e perfeito.

Beijos, querida.
Ótimo domingo!

Denise disse...

Coração não entende pq não pensa, né Toninho?
Sentimento apenas existe na melhor e mais perfeita forma...


Bjos!!

Denise disse...

Faz, né amada_minha?
Xapralá...rsrsrs

Bjãozão procê!