“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


16 de out de 2011




Enquanto o aprendiz insistir em depositar fora de si - no outro ou nas coisas - as causas de suas angústias, sofrimentos, dissabores, infortúnios, desprazeres, insatisfações...continuará o aprendizado, até perceber que é o único responsável por tudo que vive.
Esta foi uma das mais difíceis lições. Descobri que o silêncio é um grande professor, mas ouvi-lo é ficar mestre nas intuições e acertar mais nas escolhas, nas decisões...


10 comentários:

Toninhobira disse...

Uma bela reflexão sobre as mazelaz que as vezes nos importunam e que muitas vezes incompreendidas, são repassadas ao outro.Silencio é uma escola, usa-lo é arte.
Meu abraço terno Denise.
Bju.
Bela semana a voce.

Milene Lima disse...

Eu faço justo o contrário, e também não é legal. Assumo culpas, trago pra mim responsabilidades que nem sempre me pertencem, enfim.

Sou uma eterna e imperfeita aprendiz e às vezes o silêncio me sussurra, mas não compreendo.

Sigo tentando.

Adorei ler você, pessoa adorável.
Beijo.

Denise disse...

A gente tende a responsabilizar todos e tudo que nos rodeia, pelas coisas que nos acontecem, mas quando muda o olhar, muda a vida...

Beijo, amigo querido. Tua presença é uma alegria por aqui!

Denise disse...

De fato não é, Mi...o prejuízo é grande.
O que vc diz acontece com todos nós, muitas vezes precisamos viver as mesmas coisas várias vezes, para compreender - e aprender. Faz parte do processo, que parece não ter fim, pela quantidade de tropeços e retrocessos...mas vale cada aprendizado, que a gente vai aprendendo a ouvir (e interpretar melhor)...faz quenem quieu Memen...desiste não, moça querida!!

Beijo grande!

Rô... disse...

oi De,

aprender é o mais importante,
seja ouvindo o silêncio,
seja mantendo os olhos atentos,
sempre somos responsáveis,
e responsabilizar o outro é o maior erro...
linda reflexão...

beijinhos

Denise disse...

Oi Rô, concordo, ter olhos para ver tb é muito importante, e quando despertamos para as evidências, iniciamos as mudanças. Plantar ventos é promessa de colher tempestades - isso eqüivale a afirmar que são nossas ações, pensamentos, atitudes e escolhas que semeiam...e não tem como fugir disso. Quando ouvia isso, sentia raiva e impotência, talvez pq o íntimo soubesse da verdade que eu negava, e me sentia impotente para mudar essa realidade. Ela só mudou quando aceitei que era responsável sim por tudo que vivia e me trazia problemas, preocupações, desgastes imensos, repetidas frustrações. Mesmo ressentida, acuada e sem perícia alguma, fui me deparando com a necessidade de bruscas tomadas de direções - era isso ou continuar atraindo o que me trazia tantos transtornos e dificuldades, além de roubar minha paz e felicidade. As mudanças visíveis comprovaram resultados melhores, e apesar do choque inicial, foi ficando claro que era eu quem arranjava as confusões em que vivia...rs
Claro que ainda me pego no engano de minimizar meus encargos, mas como as mudanças acontecem enquanto vivemos - e aprendendo, mudamos - a vida, que é um eterno fluir, fica muito melhor.

Tua observação me ajudou a completar o pensamento, obrigada, querida.

Um grande bjo e ótima semana!

R. R. Barcellos disse...

O silêncio é o teu mestre. Não o contradigas, mas pergunta-lhe sem receios. Não lhe exijas que te conduza, mas pede-lhe o mapa e a bússola, e traça tu o teu rumo e caminho. Apoia-te no cajado da esperança e da fé, e palmilha sem medo as trilhas do mundo.
Beijos.

Denise disse...

Vou seguir teus toques de despertar, Rodolfo, eles são parte das chaves de um portal pelo qual anseio...

Meu carinho e gratidão.
Este, como muitos outros - quase todos - comentários teus me encantam, vai para um lugar especial...

Beijos, querido!

Bloguinho da Zizi disse...

Tô lá no meu silêncio. Mas vim te ver.
Beijinhos

Denise disse...

E eu só não vi antes que vc veio, pq não estava aqui...mas fiquei feliz pela visita, minha Zi querida!!

Beijo grande!