“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


16 de mai de 2011

Um encontro especial




Sabe quando você fica meses sem ver uma pessoa, e, quando encontra de novo, o abraço é de saudade, mas sem censura, é saudade mesmo, e pronto. A conversa flui, as risadas saem seguidas de falas se atropelando, afinal, é muita coisa pra contar, e a gente não sabe quantos meses vão nos separar outra vez de um momento como esse.
"Engraçado", me pego pensando...nada sai do seu lugar: o afeto está lá, o prazer da companhia, a conversa animada, as brincadeiras e provocações já conhecidas, a alegria simples de estar junto, em volta de uma mesa cúmplice da gula e do bom paladar.
Até a observação de que o olhar de psicólogas que analisam tudo e todos, o tempo todo, é inevitável - e de novo a gente jura que não, sabendo que não compreendem que ali, naquele contexto e momento de vida familiar, quem está de corpo e alma presentes, são mãe e filha, mulheres comuns, entregues à delícia da conversa, e a última coisa que lembram é de analisar o que vêm ou ouvem.
Este encontro trouxe ainda a chegada do aniversário da dona da casa, que virou a meia-noite recebendo abraços que não esperava, surpresa e feliz. A vida é feita desses pequenos momentos, reservando emoções inesperadas que deixam esse sabor gostoso na alma da gente.
É assim que me sinto, tarde da noite, saboreando as horas de muita conversa, riso, recordações e emoções fortes, compartilhadas entre mulheres de idades diferentes, mães e filhas, todas primas e boas amigas - o compadre subiu as escadas mais cedo, tanto pra refazer o sono quanto pra deixar à vontade aquela conversa feminina.
Foi bom esse papo, esse aconchego, a energia calorosa desse encontro que reuniu as novidades e a saudade. Esses momentos são doces e felizes!
Família é um bem tão essencial, é um critério tão alto, que mora no topo de nossas vidas!



22 comentários:

Marli Borges disse...

Bom dia Denise!
Família é família e estamos conversados. Foi o que pensei ao terminar a leitura do post. Então lembrei que, desde pequenos, meus filhos sempre me ouviram dizer que a única coisa no mundo pela qual vale a pena lutar, com unhas e dentes, para manter unida é a nossa família (nuclear). Que a gente tem nossas diferenças, mas na hora do aperto são eles, nossos familiares que estão lá, mobilizando-se, estendendo a mão para nós.

Esses (re)encontros, frutos de viagens e afastamentos geográficos, são assim mesmo, bem do jeitinho que você falou, deliciosos, gratificantes. E sabe porquê? Porque sentimos em nosso coração o 'calor familiar' nosso ninho, nosso aconchego. Estamos seguras: a família continua unida, como a conhecemos desde priscas eras.
Muito bom seu texto. Parabéns.
Bjssssssssss

Regina Rozenbaum disse...

Essencial, fundamental, dilícia de se viverrr...E se não fossem esses momentos únicos o que seria de nós Dê? Como recarregaríamos nossas baterias afetivas? Encontros assim fazem a gente dizer: é bauuummm dimaisss essa VIDA que vale a pena de ser vividamente vivida! (apesar dos nossos pesares rsrs)
Beijuuss, lindona, n.a.

ⓣⓔⓡⓔⓢⓐ ⓒⓡⓘⓢⓣⓘⓝⓐ disse...

Oiee Denise, delícia ler seu post!
Sinto falta de estar próximo da família, as mulheres Oliveiras se reunem no mês de novembro há 3 anos, infelizmente devido a distância nunca participei, mas espero um dia poder brindar com elas este momento, recebo sempre as fotos e comentários delas, são momentos assim mágicos e únicos em família com sentimento de amor e cumplicidade que os momentos especiais existem, é q somos nós quem tornamos isto possível.bjss♥

Mafia Sonora disse...

É como dizem as verdadeiras amizades nem o tempo consegue destruir, entrei aqui no seu blog porque recebi o selinho que você deu a Regina, aí fiquei curioso pra saber quem havia presenteado minha amiga virtual, já estou seguindo um beijão.

manuel marques disse...

"Paz e harmonia: eis a verdadeira riqueza de uma família."

Beijinho meu.

orvalho do ceu disse...

Olá, querida Denise
É tudo que temos afinal... O melhor presente de Deus...
Bjs de paz e ótima semana.

Denise disse...

Pois é Marli, não só concordo com absolutamente tudo que expôs, como penso que a vida cotidiana afasta a gente do convívio com essas pessoas tão importantes. Neste caso, me referia a primas, mas tem muita gente que poderia incluir nessa reflexão...

Muito bom ter vc aqui, adorei!
Bjo grande!

Denise disse...

É Rê, seja de ângulo olhemos, a verdade é uma só: amor acima de tudo, de toda circunstância...as baterias renovadas permitem ao motor funcionar...boa metáfora...rs

Bjãozão, irmiga. Sai um pouco do lerê...rsrs

Denise disse...

Verdade Teresa, foi o que eu disse, nos deixamos engolir pelo dia-a-dia e não encontramos tempo pra esse prazer. A distância geográfica dificulta ainda mais...espero que realize esse teu desejo e erga um brinde super feliz!!!
Bjos pra vc!

Denise disse...

Olá, Clayton, seja muitíssimo bem-vindo ao Tecendo Ideias. Que tua permanência por aqui seja envolta na amizade e carinho que amigos compartilham.

Rê e eu somos unidas por fios invisíveis, precioso tecer de almas afins. Que bom que ela te trouxe.
Um beijo grande de boas-vindas a vc, tricentésimo amigo!

Denise disse...

Verdade Manuel, amigo querido.
Somos seu fruto, então, que seja doce desde a florada!

Beijos!!!

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

oi Denise. que gostoso esse texto, a gente conseguiu sentir o bom momento do reencontro. ah, eu entendo dessas coisas rs, se entendo rs

bom dia!

pensandoemfamilia disse...

Bom dia
Querida
Hoje postei o mimo que vc me ofertou.
bjs

Jorge disse...

Realmente a família é especial, aquele que nos protege e que buscamos proteger. É onde deixamos o Amor fluir naturalmente nos fazendo tão bem que o mundo se torna mais colorido. Naturalmente incluo nesta alegria de viver os amigos leais e sinceros que sempre tocam o nosso coração, presentes ou ausentes.

Minha amiga, parabens pela linda família!!!

Um doce beijo!

Denise disse...

Faço ideia, Alexandre...e a motivação para escrever veio quando cheguei em casa, os sentimentos estavam mesmo aflorados - eram tão intensos, que passaram para a tela...
Um ótimo fds pra vc
Bjo

Denise disse...

Eu já andei por lá Norma, na folguinha que tive.
Acho que estas perguntas favorecem que a gente compartilhe cada vez mais um pouquinho de cada um. Bacana.
Obrigada por aceitar o "desafio", querida.
Bom fds.
Bjo

Denise disse...

Concordo com vc, Jorge, e tb incluo os amigos, que muitas vezes são mais "chegados" que os próprios familiares. Mas a força da família é mesmo "coisa de Deus", nada supera...

Desejo que tenha um ótimo fds, adorei a visita!
Bjo

C. disse...

Cheguei através do blog da Norma, porque gosto de indicacoes de blogs...
A descrição do seu perfil tem citacoes maravilhosas que me identifiquei. E esse encontro especial traduziu tudo que sinto quando vou pra terrinha e me aconchego na casa de uma irma, e de outra, ou mesmo de amigos. Ah, quanta saudade!

RESILIÊNCIA disse...

Denise ( minha grande amiga)

Quando descreve familia, convivência... parece-me que tudo vem de dentro, vem da alma... como festa, como riso, como encontro. E tudo isso, me fascina.
Um grande abraço

Denise disse...

Olá, C...seja muito bem-vinda ao Tecendo, quando a gente se identifica de cara, sente-se logo em casa, não é assim?

A Norma tem dessas delicadezas, muito querida.
Um bom domingo pra vc, é um prazer tê-la por aqui!

Denise disse...

Ari, amigo querido, acho que o amor tem faces diferentes, mesmo sendo um só, na essência. A relação familiar o representa na grandeza e profundidade, razões pelas quais a alma não se dissocia, imagino que isso transpire nas palavras sempre que esse amor flui. O amor fascina, no todo, não é assim?

Uma noite de lindos sonhos pra vc.
Bjos

Denise disse...

Rosélia, o blogger atualizou teu comentário que, pra mim, sumiu no momento que liberei.
Tua observação é absolutamente verdadeira: presente d'Ele!

Um ótimo domingo, beijo!