“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


24 de jun de 2010

O Rio e o Oceano




Diz-se que,
mesmo antes de um rio cair no oceano
ele treme de medo.
Olha para trás,
para toda a jornada,
os cumes, as montanhas,
o longo caminho sinuoso
através das florestas,
através dos povoados,
e vê à sua frente
um oceano tão vasto
que entrar nele nada mais é
do que desaparecer para sempre.

Mas não há outra maneira.
O rio não pode voltar.
Ninguém pode voltar.
Voltar é impossível na existência.
Você pode apenas ir em frente.
O rio precisa se arriscar e entrar no oceano.
E somente quando ele entra no oceano
é que o medo desaparece.
Porque, apenas então,
o rio saberá que não se trata
de desaparecer no oceano.
Mas tornar-se oceano.
Por um lado é desaparecimento
e por outro lado é renascimento.

Osho

2 comentários:

Cida disse...

Eu ainda não conhecia esse texto do Osho, e achei tão lindo, que até arrepia!

Parabéns pela escolha, amiga, e obrigada por compartilhar conosco.

Beijo verde e amarelo

Cid@

Denise disse...

Tb fiquei arrepiada, Cida. Tem algumas mensagens que, mesmo que não saibamos explicar, acessam algum pontinho muito especial na gente. E Osho, sem comentários, né amiga?!!!

Bjos