“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


27 de mai de 2010

Serenidade II



"A verdadeira serenidade começa na mente e se completa nas ações. Ter serenidade é fazer as mesmas tarefas com menos gasto de energia, sem esforço. É enfrentar os desafios com calma e tranqüilidade, livre da pressão do tempo e dos múltiplos afazeres. É experimentar o prazer da vida no conforto do seu templo, sua casa interior. A serenidade vai além da lógica comum. Como um analgésico, ela aplica um ponto final em todas as situações e ultrapassa as barreiras sem qualquer vestígio de revolta ou inconformismo."

António Sequeira

8 comentários:

Paula Betzold disse...

Lindo!!! Serenindade, equilibrio... tudo de bom pra qm tem!!! rs... eu to buscando...
beijos

Ivana Marisa Altafin disse...

Oi Denise,

Puxa vida, você já sabe que eu adoro vir aqui, não é? Porque estou vivendo um momento muito especial na minha vida, e entre outras coisas boas, também me sinto mais serena. São com as experiências vividas que nos fazem pessoas mais maduras, felizes e serenas. O amor transforma as pessoas em todos os sentidos.Um abraço!

Denise disse...

Oi Paula, vc não está sozinha nessa, com certeeeeza!...rsrs

Me lembrei da canção..."caminhando e cantando, e seguindo a canção...somos todos iguais...braços dados ou não"...estamos juntas nessa, minha amiga!

Bjos serenos!

Denise disse...

Ivana, minha companheira constante de reflexão...concordo plenamente com vc. A transformação é uma conquista que exige mais do que comprometimento e dedicação - mudar requer coragem, total entrega para as contingências da vida...e como é bom ver os resultados de crescimento na gente, não é mesmo??

Fico feliz pelo teu processo pessoal e pela tua presença tão amável e carinhosa.
Bjos

manuel marques disse...

Quem mantém a serenidade, detém a razão.

Beijo.

Cida disse...

Um dos mais belos presentes que a vida nos dá com o passar do tempo, é a Serenidade.

É claro que não nos tornamos um lago espelhado que não se encrespa com certos ventos, o importante, é que após a passagem do vento, conseguimos retornar ao nosso eixo, e deixar passar batido, certas coisas que nos tirariam completamente do sério, quando mais jovens...

Aliás, eu não conheço nenhum jovem "sereno"... Você conhece?...rs

Beijos prá você queridavó

Cid@

Denise disse...

Sim, Manuel, sempre!

Beijos

Denise disse...

Olha Cida, pensei, pensei e pensei, e...não lembrei de nenhum!!!!...rs

A maturidade não é poção mágica, um pódio ou benefício distribuído. É árduo o caminho até chegar ao lugar onde, maduros, enxergamos as mesmas coisas de sempre com olhos novos, sentimentos menos inflamados, muita tolerância e bastante compaixão. Principalmente pela gente mesmo...um duro exercício diário, que lida sem parar com nossas imperfeições e um monte de limitações - as virtudes não impedem que a gente erre, ou que desvie a rota, elas nos servem de base para todo recomeço...eu vejo assim...


Gosto muito das tuas observações Cida, fazem a gente pensar. Mas de maneira leve, como pode ser a vida...rs

Bjo grande!