“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


20 de mai de 2010

Santo Agostinho


"As pessoas viajam para procurar maravilhas no topo das montanhas, nas altas ondas do mar, nos longos cursos dos rios, na vasta extensão do oceano, no movimento circular das estrelas, e passam por si mesmas sem se maravilhar..."


10 comentários:

Bloguinho da Zizi disse...

Querida Denise
Essa é uma grande verdade.
Mas é muito difícil para algumas pessoas olhar para dentro.
Elas se desconhecem e tem medo do que vão encontrar.

beijinho

Denise disse...

É verdade Zizi, mais do que esse medo, talvez tenhamos receio de não saber o que fazer depois de enxergar-nos diferente do que achávamos - ou criávamos. Porém, esse não contato, muito mais que fuga - ou esquiva - não proporciona viver a essência, a inteireza da gente. Isso é triste, é abrir mão da melhor parte - a que realmente importa!

Tão gostoso ter vc aqui, compartilhando...obrigada, querida.
Bjão e ótimos sonhos!

Rejane-Enajer disse...

Verdade verdadeira de vero minha amiga.E que delicia de recepção no seu Blog heim? que suave e linda melodia. Sinto falta de um sistema que fizesse ser possível a gente navegar pelos textos sem interromper a música.Seria muito legal.
Bjão

Ana Lúcia Porto disse...

Oi Denise,

Gostei muito de ler esse texto... Faz todo o sentido.

Beijos e que bom que me faz companhia no café com doces palavras...

Tati Pastorello disse...

Sempre me lembro da frase de alguém (do autor eu esqueci) que diz para mantermos os olhos de criança, que vê o mundo pela primeira vez e fascina-se por tudo. Percebi isso melhor depois que o Bê nasceu e passei a olhar o mundo com os olhos dele, com as descrições, perguntas e fascínio dele. Olhar o óbvio como desconhecido ajuda-nos a ver o que disse. Mas olhar o outro é ainda mais difícil.
Já aconteceu de alguém te irritar muito, te desagradar muito, e quando você presta atenção ao por que, é justamente por ter uma caracteristica que não gostamos, não aceitamos, em nós mesmos? Isso já me aconteceu inúmeras vezes... Temos que vigiar! Adorei a postagem!
Beijos.

Denise disse...

Oi, Rê! Bom dia!!

Sinto a mesma falta que mencionou, e vc já sabe que adoro a música como fundo para navegar - o Zen (cantinho espiritual) é delicioso!! Quando inventarem, a gente põe!!...rsrs

Bjão, queridona!

Denise disse...

Ana Lúcia, a gente se reúne, geralmente, com quem gosta de estar, não é assim? Tua agradável companhia é que me "chama"...rs

Uma ótima sexta, recepcionando um fds maravilhoso, é o que te desejo!
Bjo grande

Denise disse...

Tati, querida, adorei tua observação, e te digo, sem medo de errar, que não só concordo - e já vivi a mesma situação - mas como profissional é observação comum que fazemos...se alguma coisa "te pegou" no comportamento - ou fala - e isso incomodou e até doeu, é legal parar para entender o pq...somos espelhos para o mundo externo, refletindo-o...mas seguindo o pensamento de Sto. Agostinho, tua colocação foi fantástica: os olhos que se maravilham com o mundo se deitam muito mais sobre o outro (precisamos analisar, julgar, diagnosticar, parece que só assim os entendemos e validamos - ou não), deixando de percorrer a si mesmo, lugar onde está tudo que realmente interessa...porém, ao olhar o outro e ver-nos, é um caminho para mergulhar em si e compreender o que viu...ou seja, quem quer, se conhece melhor...

Adorei tua visita querida!!! Compartilhar é a melhor alegria deste universo em que navegamos...
Bjo grande e um ótimo fds!!

Marliborges disse...

Querida Denise,
Muito lindo, muito verdadeiros esses dizeres. Como acontece em quase tudo na vida, as percepções de nossas próprias maravilhas devem ser ensinadas pois a gente não nasce sabendo ver essas coisas. Nossa tendência é olhar ao longe e ver as maravilhas distantes. Sempre distantes de nós. Por isso, acho importante aprender na infância a observar e valorizar esses prodígios. Sabe aquele canto: "O Senhor fez em mim maravilhas..." é por aí. Esse texto, "acorda" a gente. Bjssss

Denise disse...

Marli, minha querida, tuas considerações pontuais e aboslutamente pertinentes dispensam comentários.

Acho que a idéia é esta - ao menos na minha percepção - propiciar meios, caminhos, estímulos que gerem reflexão. O que lemos pode ser exatamente a ponte que faltava...ou a conexão para finalizar alguma construção de conceito/entendimento...acho bacana atingirmos esse objetivo através desta janelinha...

Bjo carinhoso pra vc!