“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


27 de mai de 2010

Pensando 6


Da "Série Pensamentos" no Tecendo Idéias

2 comentários:

Julio Cesar disse...

Oi Denise...

toda transformação provem de grandes choques. Dessa forma se apura o extrato, lapida a pedra, forja o aço. Almas e corações não são diferentes.

No entanto, gradativamente esse processo confere dureza, brilho, polimento, valor a nova forma forma.

beijos

Denise disse...

Oi, Julio.
Penso que algumas transformações ocorrem silenciosamente, outras independem das durezas da vida - mas a somatória desses eventos, incluindo os "temporais", produzem o brilho do diamante, cuja pedra foi sendo lapidada. O aprendizado é o que fica - de mais verdadeiro!

Beijos