“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


18 de mai de 2010

Doar


”Geralmente doamos apenas para aqueles que doam algo para nós. Quando alguém nos dá amor ou felicidade, nós também somos inspirados a compartilhar bons sentimentos. Então pensamos que, a menos que a gente receba, fica difícil doar. Porém, precisamos ter a meta de não deixar ninguém partir de mãos vazias. Isso significa que deveríamos dar-lhes uma experiência de amor ou felicidade ou o que eles precisarem naquele momento. Quando temos essa meta, somos capazes de dar mesmo sem ter recebido.”

12 comentários:

Fernanda disse...

amor desinteressado hoje tá difícil!!! bjs. lindo o blog.

Denise disse...

Se há interesse, é amor Fernanda?...

Obrigada pela visita, e pelo elogio, é sempre bom ver carinhas novas por aqui.
Beijos

Marliborges disse...

É exatamente essa a linguagem do amor que o Mestre nos ensinou: "Amai-vos uns aos outros". A meta é o amor. Bjssssssss

Denise disse...

Marli, querida, que gostoso vc partilhando teus pensamentos!
Sim, o amor é a meta. E o único caminho possível é o coração do homem.

Bjo carinhoso

Rejane-Enajer disse...

Maravilhosa, acho que vou selecionar seus comentários e levar para o meu Blog 'Ele e elas escreveram...você escreve demais criatura- quisera eu ter esse dom viu? eu além de não ter talento para expressar minhas idéias sou muito objetiva - daí já viu né? é fala seca!!kkkkkkkkkkkkkkkkk
Um bjãoooooooooooo

Denise disse...

Rê, tua passagem por aqui sempre deixa um rastro de humor, a marca do carinho e da generosidade. Obrigada queridona, mas tirando teu exagero, sobra somente o que sinto e penso...rs

Bjo enorme.

REGINA GOULART SANTOS disse...

Denise, minha querida.
Que maravilha de texto e pensamento.
Doar requer pureza de sentimentos, para que seja entendido como amor verdadeiro, e que se faz de forma incondicional.
Saber demonstrar sentimentos nobres mesmo para aqueles que à princípio não são capazes de perceber isso, é um tanto quanto frustante...mas é um exercício e tanto da linguagem do amor sincero, em todas as formas que se apresenta.
O melhor de tudo isso, é que a gente acaba se sentindo bem com essa prática, mesmo não recebendo exatamente o que se esperava...e não raro, faz um bem e tanto para nossa alma!

Obrigada por sua visita, que me deixou muito feliz.

Beijos mil

Denise disse...

É isso, Regina - a linguagem do amor é poderosa. Um exercício árduo - somos tão falíveis e imperfeitos!! -que é desafiador, pq estamos acostumados à trocar (toma lá, dá cá), doar para o outro apenas receber parece uma utopia, um gesto altruísta muito questionado - como se fosse possível sermos juízes das pessoas! Bem, eu acredito na força do amor, presente em cada gesto, e mesmo sendo unilateral, beneficia, como vc disse, ambas as partes. Isso é amar sem a condição da obrigatoriedade da reciprocidade. Fácil? não mesmo, por isso uma conquista valiosa a cada vez que superamos a necessidade do retorno...acabamos descobrindo, cedo ou tarde, que esse amor é o que fortalece, preenche, dá sentido à vida.

Tua presença aqui me encheu de alegria, me fez começar melhor o dia. Obrigada, querida!
Bjo enorme!

Julio Cesar disse...

não...não dava para partir sem escrever neste aqui (passei primeiro no abaixo...rs)

liiindooo...e penso a mesma coisa, ainda que precisei reconfigurar-me nessa questão, a algum tempo atras, porque doava muuuuuito...rs..mas é uma longa história incabivel aqui...quem sabe por um email...(me escreva então!endereço está no blog!rs...-sobre esse pensamento neste exato instante...sou sim!kkkk...)
então...
bebendo este delicioso chocolate quente que está a doar-me...digo que ha vida é trocas, por muitas vezes, ao não há interelação, certo? mas...é preciso cuidado para não 'virar uma empresa', como muitos tem feito. Amor não é palpavel, ainda que possa possibilitar palpar por amor. Não dá para acondicioná-lo...trancá-lo... sufocá-lo... é por natureza livre. Quem o tem de fato...e sabe de sua natureza...assim o faz. Ontem, lendo um conto de Saramago (A ilha desconhecida) uma frase logo no início deixou-me em reflexão o dia todo e ainda estou...diz:
"Gostar é a melhor maneira de ter, ter é a pior maneira de gostar", onde o personagem se referia ao outro quanto a posse e gostar.
Enfim... o amor, como disse em outro post seu, está em perfeição na forma platônica, metafísica, e aí, humanamente, adaptamos, ou tentamos, para a forma humana carnal...e tentamos a isso adequar outros valores (gozado é que hoje vinha traçando um pensamento para um post...nessa balada..."Cinderela"...verás breve). Assim 'líquidos' mede-se em volume e peso, não em medidas métricas, assim também 'substâncias' da alma, metafísicas, sentimentos, subjetividades e tal...não se adequam a nossa 'limitação tridimensional' de espaço...e com isso a nossa forma que pensamos ser a única correta de se viver. Se fossemos mais virtuosos e altruístas todos ganhariam...
mas antes que isso vire uma tese...
dispesso-me com um beijo querido desejando-te um ótimo dia, com tudo que possas receber de mim ofertado-lhe de bom grado. Leve, não será usurpado. A ti dou...de pleno acordo, para que transforme, amplie e multiplique esse sentimento que tenho para contigo.
beijos

Tati Pastorello disse...

Me faz lembrar de um de meus filmes favoritos, onde o personagem principal deseja "amar e ser amado em retribuição". Claro que melhor ainda seria amar sem esperar retorno. mas se estendemos a mão primeiro, mesmo que esperando uma mão em retribuição, já é um grande avanço, não acha?
Beijos.

Denise disse...

Vc tem se mostrado bastante reflexivo, não é Julio? fazendo ponte entre os assuntos, correlacionando - típico de quem está atento, e ponderando questões.
Concordo com vc, virtudes e atitudes altruístas transformariam o mundo!

Vou aguardar "Cinderela"...enquanto absorvo tua carinhosa "doação", só mesmo um ser precioso para me proporcionar a oportunidade de transformar, ampliar e multiplicar o sentimento que doa de 'bom grado"...obrigada querido, retribuo com o mesmo afeto!!!
Beijo GRANDE!

Denise disse...

Acho sim Tati, embora eu pense que esse desprendimento não seja adquirido antes que a gente 'derrape' muitas vezes nas tentativas...mas só assim angariamos as chances de conseguir.

Que bom compartilhar tuas opiniões. Obrigada por estar sempre por aqui.
Bjos