“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


8 de mai de 2010

Dia de duas mães muito especiais!

Neste dia em que o mundo vai florir e perfumar o ar para as muheres-mães homenagear, tenho duas especiais, a quem vou me dirigir. Antes, porém, manifesto minha alegria por poder celebrar este dia - reverenciando os filhos que me fizeram mãe: o primogênito revalidando esse amor sem igual me dando o neto que é o novo representante do amor incondicional. Mas para que ele viesse, um alguém muito especial ampliou a semente do amor, gerando essa vida que hoje a transforma na mais jovem mãe da família.




A mãe que mais abraços recebeu pela data, foi a minha, que hoje diz cheia de orgulho: sou bisavó! Esta mulher de coração enorme, origem simples, amor profundo e enorme dedicação, que fez da vida uma escola, e do aprendizado, seu legado maior. Desde muito moça submeteu-se ao amor, abrindo mão de alguns sonhos para benefício da família que formou. Dos quatro filhos que teve, três ela viu crescer, dando-lhe as normais preocupações, muitas alegrias, certamente algumas frustrações, e muitas demonstrações de amor. O sonhado menino chegou depois de mim, e veio em forma de presente de aniversário –talvez por isso não compreenda porque, dias depois, foi morar em uma nuvem do céu. Mas a perda não lhe abateu o ânimo, seguindo a caminhada com o coração partido e o passo firme. As mulheres de antes pareciam mais fortes...ou a vejo assim pela admiração que só uma filha é capaz de sentir por sua mãe? O fato é que o tempo foi mostrando aos seus filhos a força do coração abnegado de uma mulher cuja luta nunca embruteceu a alma doce, de quem todos sempre recebem uma palavra de conforto, uma atenção amorosa, um gesto de ternura, porque sua natureza não permitiria outra forma dela conviver e compartilhar a vida.

Suas virtudes apagam da minha mente os traços humanos que não são perfeitos. Perfeito é o amor que me une a ela. E é em nome dele que recorro para agradecer pela existência, pela sua paciência, pela dedicação que não cessa, pelo amor que me sustenta. E também por amor, peço que perdoe toda a indelicadeza, a intolerância, as faltas que cometi, as ausências que nem vi, as palavras que não pronunciei, o abraço que esperava e não dei, a má resposta que ofereci, o respeito que lhe faltei. Desculpe, minha mãe, por todos os momentos que te fiz esconder uma lágrima que provoquei, pelas noites do sono que te roubei, pelas decepções que por ventura causei, pela cegueira que me fez ser rude. Perdoe-me, mãe, pelas atitudes inflamadas na juventude e pela prepotência que a maturidade pensa que me concede.

Para me redimir de qualquer dor que te causei, hoje só tenho pra te oferecer meu amor de filha, meu abraço caloroso e minha gratidão eterna. Ah! Quero também te dizer que te amo, e que ser mãe é uma missão sagrada que aprendi com você. Obrigada ainda por ser um pouco mãe de meus filhos, e por estar entre nós e poder segurar nos braços o teu bisneto...não imagina a emoção que senti!

Feliz teu dia, MINHA MÃE!!





A mãe que este ano está em evidência no cenário de nossas vidas, é minha nora, mãe do tesouro que me deram como neto. Acompanhei de longe a vida se avolumar no ventre que abrigava seu primeiro bebê. O senti mexendo e o vi crescendo. Nesse período já o amava como ser, já o sentia entre nós, e quando o dia marcado pela agenda divina chegou, essa jovem mamãe foi valente para trazê-lo ao mundo. Uma lágrima rolou em sua face quando ouviu o choro de seu filho - o coração deve ter-lhe avisado que, a partir daquele instante, sua vida foi transformada, seu mundo mudou.
Desde aquele final de fevereiro, seu rosto ganhou nova expressão, e as noites longas e de pouco repouso mostraram a mãe valente que tinha aquele recém nascido. Ela já era um pouco filha, e quando agiu como tal, além do amor que sentia, ganhou minha admiração e enorme gratidão. Acompanhei as horas dos dias e das noites, encantada pela mãe que desabrochava. O cansaço nunca roubou sua disposição, nenhuma dor foi maior que sua dedicação. Nas fotos a gente olha e vê a mãe que ocupou o lugar naquele coração. Mudou a fisionomia, porque dela tomou conta esse amor sem explicação. Ao te prestar esta homenagem, quero na verdade te agradecer. Agradecer pela mulher que foi generosa com a sogra e que foi amorosa com a avó de seu filho, pela esposa que fez daquele rapaz o pai que sonhava ser, mas, mais que tudo, preciso mesmo é te dizer: estou orgulhosa da mãe que você é!

Parabéns, minha querida, festeje muito e com todo amor,
este teu primeiro de todos os pra sempre Dia das Mães!




2 comentários:

Cida disse...

Muito, muito e muito lindo!!!

Parabéns amiga, todo esse amor te inspirou. E como!

Um grande abraço prá você e que Deus embeleze e ilumine o seu dia de "duas vezes mãe".

Cid@

Denise disse...

Pois é Cida, quando fala o coração...

Obrigada pelo carinho em retribuição à minha visita ao teu (en)canto!
Leve meu carinho.
Bjos, querida!