“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


23 de abr de 2010

Tolerância



"A tolerância é a força interna que nos capacita a enfrentar e transformar mal-entendidos e dificuldades. Ela acalma os sentimentos exaltados dos outros. Se insultada, não deixa o mais leve sinal de aborrecimento. Conhecimento e insight, automaticamente, levantam o escudo protetor da tolerância. Uma pessoa tolerante é como uma árvore com abundância de frutos. Mesmo quando golpeada com varas e pedras, continua a dar seus frutos em retorno."


9 comentários:

Julio Cesar disse...

Denise...(sorry)

Sou um pé de pessego.rs...

A tolerãncia é uma virtude. Na mais profunda conceituação de Aristóteles, em que, entre outras coisas, a virtude tem como fim o bem, caracteristica primeira. A tolerancia, que trabalha unida a paciencia, é virtude que leva próximo ao autruismo...talvez por isso tão dificil de encontrar na contemporaniedade individualista e selvagem de hoje.promulgada pela alienação do sujeito em favor de que este seja um melhor "servil" ao sistema capitalista.

Lindo é o que representa a figura (se voce não trocar..haha)
um casal trabalhando para a união, sem medir forças, sem estereotipar genero. Um homem uma Mulher (não é o filme...rs...) que querem reconstruir o coração, não importando se ficaram marcas, mas que foram sujeitos dessa construção. Ilustra que a união é produto da vontade com a ação.

Lindo
Beijão
bom Sabadão.

*Mi§§ §impatia* disse...

Estou me policiando diariamente pra aprender ser mais tolerante com tudo e todos, mas é dificil.
Beijos e bom fim de semana.

Denise disse...

Nossos dias têm mostrado comportamentos de clausura, talvez como tentativa de escapar do que não "serve", indicando atitude individualista, que, por hábito ou convicção, ergue muros pretensamente protetores...mas talvez a "selvageria individualista" que vês, seja reflexo de dores que são vividas...

A tolerância principia pela compreensão do outro enquanto portadores de escudos, que atacam já na defesa...ou algo assim...em resumo - pra mim - ser tolerante é olhar com compaixão (inclusive pra si), isso já "silencia" qq julgamento...

Eu tb achei a imagem perfeita para representar o tema.
Das coisas que disse, só não entendi o pé de pêssego...rs

Ótimo sabadão chuvoso pra ti tb...rs

Denise disse...

Concordo com vc, Miss...não é fácil ser complacente,mas policia-se nesse sentido talvez seja nossa única possibilidade de exercitá-la, não é mesmo?

Bjos, ótimo fim de semana pra vc tb!

Rejane-Enajer disse...

Tolerância é conquista dos maduros.
Os maduros sofremmmm...

Denise disse...

Mas viveeeemmmm!!!...rsrsrs

(dói né?)

Socorro Noronha disse...

A tolerância não é um dom, mas sim uma qualidade que está disponível à todos nós, é só agente se colocar no lugar do outro que vamos compreendê-lo e consequentemente tolerar. Seu blog é lindo tô seguindo! bjs.

Denise disse...

Seja muito bem-vinda, Socorro! É uma alegria receber novos amigos!

Tb penso como vc, mas talvez exatamente aí esteja a dificuldade em sermos tolerantes...antes, precisamos passar para o lado do outro, ocupar-lhe o lugar, vestir sua pele...este é o maior obstáculo a ser superado, no meu entender, pq não costumamos fazer isso. E quando o fazemos, se não estivermos nus de qq resquício de conceitos nossos, essa 'compreensão' já estará "contaminada"...difícil, não é mesmo?

Esteja a vontade neste cantinho das idéias, mas com muito sentimento!
Bjo

Julio Cesar disse...

"Uma pessoa tolerante é como uma árvore com abundância de frutos. Mesmo quando golpeada com varas e pedras, continua a dar seus frutos em retorno."Brahma Kumaris

Se uma pessoa tolerante é como uma árvore que dá frutos mesmo quando golpeada...sou uma árvore que dá frutos...e sou um pessegueiro (uma analogia ao aspecto do pessego!rs...

(...)

Sou a favor dos 'muros'...melhor...de cercas (veja meu post (tag:mourôes)), mas a 'individualidade selvagem' que trato é a que vive principalmente nos grandes centros, metrôpoles, em que as pessoas convivem entre si em seus guetos domicialiares e o convivio social está em um formato reducionista. Não há uma busca e tão pouco interesse em cultivar relações. Este, inclusive é assunto da revista Vida Simples deste mês. O adjetivo 'selvagem' confere a questão de 'sobrevivência' a que o sujeito se vê hoje na vida urbana...em tudo que o rodeia o espaço configura uma 'arena' em que ou é ele ou eu. Jovens são inseridos no mercado de trabalho de forma voluptosa e antes mesmo de terem conceitos sobre relacionamento, responsabilidade e ta-ra-ra-ra... o que lhes posiciona desde cedo nesta 'sobrevivência' que vem agregar a já natural busca por seu espaço e afirmação. A "individualidade selvagem" que permeia o jovem que não sabe como lidar com a situações limitrofes e então confere-lhe o canal de vazão que também lhe é natural...a violência.
No caminho inverso, no epicentro dessa 'selva', individuos que 'guardam' valores humanos promulgam criação de 'comunidades'. A comunidade não é uma 'instituição' mentora de resgatar valores e mediar o estado de ser para que de fato não se faço uso do artífice da 'selvageria' para obter-se o espaço que lhe querem tirar?

A 'selva' pode ser um adjetivo para contextualizar um espaço onde a única lei que vigora é a do 'mais forte sobrevive'. Ninguém está por você a não ser você mesmo. Você é a sua lei e não há o outro.

Vivendo em São Paulo a 47 anos, neto de Italianos e Espanhois, acompanhei variantes de governos, modulações sociais e formação de opnião em amplo expectro. Não conheço um condomínio em São Paulo (apartamentos)em que os moradores conheçam-se entre si de fato. Eu atualmente moro em residência, e bem recentemente, morava em um municipio agragado a capital e que lá sim, (tambem morando em casa), os bairros são uma grande comunidade.

Um hipermercado não reproduz em maior escala o mesmo que acontece em mercados de médio e pequeno porte, por exemplo, em algumas localidades.

Me extendi um pouco, Denise...afinal "palavras"....rs...
mas...quis só dar uma palhinha de que não falei por mim sobre o tema...ããã...para que também minha 'imagem' não se apresente a ti de forma descontente ou ferida com o que me permeia.

Ainda com mais 2 anos de um total de 5 para a formação, 'aguas iram rolar' até 'acatar uma teoria' psicologica. No entanto, meus trabalhos atuais estão focados em TCC e Sócio-histórica, e assim, o homem enquanto objeto de estudo e o mundo em que está inserido.
No entanto, sou apenas uma 'celula' que em breve se tornará um 'girino' no mundo em que os 'grandes sapos' são: Silvia Lane, Rubens Alves, Levi Strauss, Chauí...e por aí afora. (Filosofos?Freud? Skinner? e Cia?...os deuses criadores desse universo).


Agora é minha vez, rs...
Adooooreeeeiii isso:

A tolerância principia pela compreensão do outro enquanto portadores de escudos, que atacam já na defesa...ou algo assim...em resumo - pra mim - ser tolerante é olhar com compaixão (inclusive pra si), isso já "silencia" qq julgamento...


Acho que o mínimo que possa fazer depois disso é trazer a torta doce para acompanhar o café!rs...

Beijos Denise
puxa...gostei... os neurônios ficam produzindo..produzindo...(uma hora vão produzir coisa boa...kkk)
Um bom dia prá ti...