“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


23 de abr de 2010

Pensando 1




Da "Série Pensamentos" no Tecendo Idéias


16 comentários:

Julio Cesar disse...

Bom Dia Denise...vamos a um suco?que sugeres?ótimo.2 cubos de gelo.
(...)
Diz a escritura bíblica que afia-se o ferro com o ferro.

Toda transformação envolve uma 'perda', uma 'morte' para um renovar, um renascimento. Transformar não é senão deixar de ter uma forma para adquirir outra.

Por vezes, essa transformação provém de forças externas...e por vezes sobre coisas que 'ainda' não queriamos transformada...e por Veeezes, transformações que são originárias de outras que não queremos. Consuma-se.
Chorar senão é o demostrar do fundo d´alma o quão beira o insuportável o que passamos. Derrama nossa indignação diante de algo, tão profunda que extrai-nos sem nossa vontade fluidos de nosso corpo, seja esse o chorar afetuoso, amoroso, descontente.

Recompomo-nos.

Os judeus ainda rasgavam suas vestes, sacodiam suas sandálias e cobriam-se de cinzas...

Não sente menos o que não chora.
Todos idealizam o que sente o que chora.

O resultado, vindo de forma amadurecida, produz uma nova pessoa, mais completa, mais centrada. Mais ciente do que a rodeia. Mais atenta as minimas manifestações comportamentais do outro. Novo paradigma de vida, que irá conduzir com mais segurança até uma nova 'crise'.

Sobrevivemos.

O renascimento como um ser mais completo, virtuoso, permite observar a vida e percebela de forma mais feliz, pois as cortinas vão distendendo-se, as janelas vão se abrindo...e o horizonte ganha outra dimensão para além das paredes do quarto.

Eu.
(não sei se é genético...rs)Italo-hispãnico por avós maternos e paternos, nascido no Brasil, Paulistano, já chorei muito...e conforme os anos vão passando a impressão é que as lágrimas foram se esgotando, porquê hoje meu choro é mais silencioso, comedido. Sou homem...e choro. Se houvesse um outro mais atento a quem está ao lado, com certeza já teriam visto meu soluçar alguma vez em que assim estive fragilizado.
Hoje, meu choro as vezes está no olhar ao longe...de forma petrificada... uma taquicardia que sessa por um profundo suspiro.
O que houve?
meu rosto adquiriu algumas marcas dita rugas...troquei alguns fios pretos por brancos e por nenhum (já que alguns caíram...rs)
Transformou-se o meu corpo e não para...
Mas...minha alma já não tem a mesma forma. Da antiga forma, implícito está minha essencia: Amor.

Beijão Denise
Julio

ju rigoni disse...

Sem dúvida! O importante é seguir adiante, apesar das trilhas e picadas que entrecortam o caminho...

Bjs, Denise, um bom fim de semana, e inté!

manuel marques disse...

A alegria precisa chorar, como a dor ...

Beijo e bom fds.

Denise disse...

Abrindo o "boteco cítrico"...rs
E haja suco pra irrigar este feixe de emoção que vc transparece, em cada frase que vai "tecendo a idéia" que quer construir...li, reli, emocionei e sorri...

As transformações...consumam-se!
Nós, recompomo-nos, sobrevivemos...e certamente, 'não sente menos o que não chora!'

O renascimento...lembrou-me a lenda da águia...vou postá-la...é uma lição...acerca da renovação!

Aliás Julio, se me permite, na Série Pensamentos do Blog, gostaria de incluir "Minha alma já não tem a mesma forma. Da antiga forma, implícito está minha essencia: Amor"...coisa maaauaaaaaiiiiiiss linda!!! Simples, forte, factual, sintetizou-te! Amei! (vi-me bailando entrelinhas...rsrsrs)

Uma frase tão simples, mas preciosa, desencadeando uma profunda reflexão...vindo de onde veio, não é de se estranhar esta "revolução"...

Um brinde...à boa conversa!
Bjão

Denise disse...

Oi Ju...e a cada trilha, podem surgir encruzilhadas...momento crucial, que requer redobrado cuidado, atenção e fé...a gente vai aprendendo a andar...e a seguir, pq a vida não pode parar...

Bom fim de semana pra vc tb, Ju.
Bjo...inté!

Julio Cesar disse...

Denise querida...não sei o que dizer (em agradecimento) diante desse seu pedido...
você se importaria se eu tomasse um café? o súbito acelerar de batimentos em pico quase tira-me os sentidos ao tentar retomar (exagero, mas necessário para expor-me a ti)
(imaginando esse 'bailar nas entrelinhas!...rs)

Essa é a imprevisbilidade da emoção...que toma-nos o controle...da emoção que evoca emoção no outrem.

"-li, reli, emocionei e sorri...
-E haja suco pra irrigar este feixe de emoção que vc transparece, em cada frase que vai "tecendo a idéia" que quer construir
-coisa maaauaaaaaiiiiiiss linda!!! Simples, forte, factual, sintetizou-te! Amei! (vi-me bailando entrelinhas...rsrsrs)
-Uma frase tão simples, mas preciosa, desencadeando uma profunda reflexão...vindo de onde veio, não é de se estranhar esta "revolução"..."

Vou servir-me de outro café...

hoje pela manhã, enquanto dirigia-me para a universidade, vinha pensando no texto do post para hoje...depois que postar voltarei a falar sobre ele com voce.

Beijão
boa tarde
Julio

Denise disse...

Sabe o que é, Julio? Ainda me encanto com o poder da transformação...quando penso em meu processo de mudanças significativas, percebo que a essência será mantida para sempre, pois é o que sou...mas que privilégio é olhar a vida como um velho álbum de fotos...e perceber quanta gente já se foi, a moda que mudou, as marcas do tempo, as novidades que vieram habitar este ‘agora’...é um bailar hj muito gostoso, à época, cada dia arrancava um naco de força pra seguir...em alguns, os pés chumbados da mais dura prova impediam a troca de passos curtos...sim, hj a dança é bela comparada aos ritmos dessa travessia sinuosa...

Espero que o café te tenha recomposto... só não me autorizou a publicação...rsrsrs

Em algum lugar deste blog falo sobre esse “descontrole da emoção”...rs...claro que sem essa força do Chico Xavier, que nos puxa pra uma “reunião extraordinária conosco mesmo”...rs

Até depois, quando falaremos do teu post...rs
Bjo

Denise disse...

Ah! Manuel...e como precisa! tenho lavado a alma, encontrado uma paz profunda que só acontecimentos felizes permitem...e fazem chorar de pura alegria!!

Pra vc tb, ótimos dias!
Beijo

Julio Cesar disse...

Denise disse:
"Sabe o que é, Julio? Ainda me encanto com o poder da transformação...quando penso em meu processo de mudanças significativas, percebo que a essência será mantida para sempre, pois é o que sou"

Pois Denise...eu também me encanto comigo mesmo!rs... Olha...não, deixa para outro momento...

As pessoas temem demais em mudar, acho que como profissional sabe disso..., não foi diferente para mim, mas eu tinha uma vantagem diante de todas as desvantagens aparentes: sempre vi possibilidade em tudo. Não me escondo diante de desafios. E não por inconsequencia, mas por determinação. É a flexibilidade que nos mantem em um ponto e permite alcançar outro e entender que chegará o momento que uma das 'pontas' terá que se 'desconectar'.
Pode usar o meu texto sim...autorização totaaaaaal...
Já publiquei o post, sobre palavras e sentimentos. Acabei não desenvolvendo como eu queria, como imaginára enquanto caminhava, ...mas a fisiologia de minha memória de curto prazo foi decisiva. Reverberei o que pude e o quanto pude. Espero estar coeso e claro e sem 'derrapadas'...rs...
mas ficoooou looongo!rs...
preciso até ver em que post comentára contigo sobre isso porque diz respeito a algo que citou.
Vou ter que ir logo logo...finda a tarde...
Tenho 'sessão de cinema' em casa: Interiores-W.Allen, Brazos..Almodovar, Quando os sinos dobram...Alguem tem que ceder e Melhor impossível (acredite, ainda não assisti esse filme!)..ah, tenho ainda uma palestra de Vigotsky...Não, não verei todos hoje...rs...
Se o tempo ajudar e eu conseguir um tempinho, passo por um Cyber e vejo se posto algo.
Fica aqui, desde já, um bom final de semana para ti, se onde estiver não houver chuva (ou terá que articular-se...rs)

Beijão

Chegando em casa, a primeira coisa que farei será beber um café quente!rs...citamos tanto que fiquei com agua na boca!

Denise disse...

Talvez nossas resistências às mudanças se devam ao fato de que precisamos "encarar" partes nossas de que não gostamos, abandonar velhos vícios de comportamento (destrutivo muitas vezes, mas o único que conhecemos em nós), e esse contato é doloroso, pq nessa hora ninguém carrega nossas faltas, nossas inabilidades, as limitações são nossas, e todos esses sentimentos de "inadequação" interna mexem com feridas antigas, muitas já cicatrizadas, outras que lutamos muito e achávamos que estavam "zeradas", surgem tal qual fantasma abanando seus lençóis...essas dores, tão humanas, nos afastam da realidade existencial que nos machuca...

Mas, queiramos ou não, as mudanças acontecem - muitas à nossa revelia mesmo! - pq ao deitarmos não somos mais a mesma criatura que acordou...tem um dia inteiro nesse intervalo de vida...

Gente...filosofia domingueira ninguém merece...rs...vou tomar uma caneca de café fumegante - tá fresquinho o dia...rs...e espero que tenha saboreado um delicioso café!

Bjo

Julio Cesar disse...

Bom Dia Denise...Linda segunda feira e obrigado pelas considerações em cada comentario e em cada post lá no Vendo e Sentindo e Iris.

Nossa, estava rolando a página de recados aqui... e relendo... sorry por levar-te a filosofia ao domingo...melhor mesmo é a Luz maravilhosa do Sol, poder sair e ver o verdejante contrastando com o azul resplandecedor e revigorante do céu. O sentimento de liberdade, de vida que dá, não?
Então, se 'fritei-te' um pouco neste domingo (eu até tentei, fui a lan...mas...fechada...e confesso, meio preguiça...não quis ir a outra, até porque já escrevera tanto, não acha? lhe deixei uns 'n' comentarios tecendo pelo blog. Bom, sim...bom.
Então, hoje...que cheguem a ti lírios e pássaros, que se ainda não os notou (caso não esteja chovendo) que os perceba, que em algum momento do dia de hoje penses 'como não havia notado isso antes! para algo que te vais esbarrar.
Que o que é próprio as flores, perfume, cor e alegria, possam ser alvo de ti hoje.
Que o que é próprio do dia confira a voce hoje: um dia maravilhoso de vida.
Bj
Julio

Denise disse...

Ninguém impõe a ninguém coisa alguma, não nos dias atuais...então, sossega pq o domingo chuvoso combinava com café e filosofia, ok?

Lírios...adorei a escolha da flor (o "boteco" merece dedicada e renovada decoração...rs). Conhece seu significado?
Adoro pássaros tb, seu canto e sua liberdade...obrigada pelos mimos, que as aves pousem na varanda do "boteco" e presenteiem a platéia com seus gorjeios...assim o dia fica perfumado, colorido e alegre, mesmo chuvoso.

A beleza da vida a gente cria de dentro pra fora, só assim é capaz de apreciar tudo que cerca e a infinita beleza das coisas...

Obrigada, tá??...enquanto ferve a água, troco as canecas...rs

Julio Cesar disse...

Oi...
Significado?...hum..fui ao velho google...e há um para cada cor, mas o lírio em sí é representante da fertilidade. Confere?
ããã...que bom que o significado foi algo positivo!rs...deu uma arrepiada quando perguntou. Que bom que gostou...e que bom que há um significado de 'vida' inserido neles(as).
bjnhos

Denise disse...

Fertilidade e pureza...mas não precisava ficar tenso, vc acha mesmo que eu te colocaria em "saia justa" ou situação delicada?

Mas mesmo se desconhecemos o significado, o que importa é a natural beleza que nos rouba a atenção e mantém cativos. É que, por "coincidência" naqueles dias falei sobre os lírios com uma amiga, então fiz a "conexão" com a oferta de teu mimo...bjos pra vc tb.

Julio Cesar disse...

"mas não precisava ficar tenso, vc acha mesmo que eu te colocaria em "saia justa" ou situação delicada?"

...assim vou me apaixonar... achei melhor falar antes que alguem comente que estou me perfumando mais, mais centrado...mais isso...e....rs... que só fico no celular...rs...

bjs linda

Denise disse...

Julio?...rssssssssssssss

Há quem tenha tempo de "botar reparo" nas mudanças da gente, sem dúvida, mas...vc ainda se importa com isso, meu querido??...não creiooo...rsrs

Bjão!