“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


23 de abr de 2010

Dentro de um abraço


Aonde é que você gostaria de estar agora, neste exato momento? Fico pensando nos lugares paradisíacos onde já estive, e que não me custaria nada reprisar: num determinado restaurante de uma ilha grega, na beira de diversas praias do Brasil e do mundo, na casa de bons amigos, em algum vilarejo europeu, numa estrada bela e vazia, no meio de um show espetacular, numa sala de cinema vendo a estreia de um filme muito esperado, e principalmente, no meu quarto e na minha cama, que nenhum hotel cinco estrelas consegue superar a intimidade da gente é irreproduzível.
Posso também listar os lugares onde não gostaria de estar: num leito de hospital, numa fila de banco, numa reunião de condomínio, presa num elevador, em meio a um trânsito congestionado, numa cadeira de dentista.
E então? Somando os prós e os contras, as boas e más opções, onde, afinal, é o melhor lugar do mundo?
Dentro de um abraço.
Que lugar melhor para uma criança, para um idoso, para uma mulher apaixonada, para um adolescente com medo, para um doente, para alguém solitário? Dentro de um abraço é sempre quente, é sempre seguro. Dentro de um abraço não se ouve o tic-tac dos relógios e, se faltar luz, tanto melhor. Tudo o que você pensa e sofre, dentro de um abraço, se dissolve.
Que lugar melhor para um recém-nascido, para um recém-chegado, para um recém-demitido, para um recém-contratado? Dentro de um abraço nenhuma situação é incerta, o futuro não amedronta, estacionamos confortavelmente em meio ao paraíso.
O rosto contra o peito de quem te abraça, as batidas do coração dele e as suas, o silêncio que sempre se faz durante esse envolvimento físico: nada há para se reivindicar ou agradecer, dentro de um abraço voz nenhuma se faz necessária, está tudo dito.
Que lugar no mundo é melhor para se estar? Na frente de uma lareira com um livro estupendo, em meio a um estádio lotado vendo seu time golear, num almoço em família onde todos estão se divertindo, num final de tarde de frente para o mar, deitado num parque olhando para o céu, na cama com a pessoa que você mais ama?
Difícil bater essa última alternativa, mas onde começa o amor, senão dentro do primeiro abraço? Alguns o consideram como algo sufocante, querem logo se desvencilhar dele. Até entendo que há momentos em que é preciso estar fora de alcance, livre de qualquer tentáculo. Esse desejo de se manter solto é legítimo, mas hoje me permita não endossar manifestações de alforria. Entrando na semana dos namorados, recomendo fazer reserva num local aconchegante e naturalmente aquecido: dentro de um abraço que te baste.

Fantástica Martha Medeiros

6 comentários:

Julio Cesar disse...

Marta Medeiros...isso fala por si só.

Mas...abraço...nossa. Isso é o que é. Eu queria muito um agora...como o quero em muitos momentos do meu dia. Fazem-me falta tanto quanto a agua! Sim, pois vocês é que não percebem como ela se resseca sem abraços...

Se houvesse a possibilidade de pedir um lugar para estar, com certeza meu pedido seria estar dentro de um abraço de uma pessoa que me ame (e que a amo). Tudo o que a Marta exprimiu sobre o abraço faço minhas as palavras...

ah...abraço não se compra. Tem recheio mas não é churros!. Não tem preço.

Sim...hoje eu queria, muito estar no meio de um abraço.

Para essa ausência, somente um café, Denise...
bjs

Denise disse...

Bom, sou loca pelas duas "coisas": o que Martha escreve e...abraço! Não conheço melhor remédio. Fala-se, inclusive, de um estudo que revelou que precisamos de 8 abraços por dia pra sermos felizes e não adoecermos.
Well...quanta gente com alta resistência - emocional e fisiológica - existe nesse mundo, não??

Quem me conhece sabe o quanto gosto e vou logo abraçando mesmo - tomando/dando o "remedinho"...rs

Sinta-se abraçado...carinho nunca é demais! E não nego o café, de "brinde"...rs
Bjos

Julio Cesar disse...

Que booom que voce é louca pelas duas coisas!
hum...8 por dia? vejamos:
Um quando acorda-se lado a lado.
Dois...antes do breakfast(depois do asseio!rs)
Tres antes de sair de casa ou de separar-se no caminho ao trabalho.
Quatro ao chegar em casa (ou pega-la no trabalho)
Cinco. uma 'roubadela' na cozinha enquanto prepara-se o jantar.
Seis, talvez antes, durante ou depois do banho.
Sete, assistindo a um filme ou outro progrma na tv, na cama.(o sete pode trocar de ordem com o sei)
Oito. (esse vem em dobro) primeiro:antes de dormir, aquele todo especial, que finda o dia. Segundo: em conchinha.

aaa....e ainda tem os outros que acrescentam-se, caso almoçem juntos...os filhos, os pais...os amigos...

Os oito primeiros é que me estão difíceis!rs...
(...)

Há sim, estudos que comprovam o valor do abraço (creio que tenhho artigo sobre o tema) fisiologicamente e também do toque na pele.
De qualquer modo, ainda que não houvesse beneficio fisiológico, para mim os psicologicos são incríveis. Nada tão afetuoso, carinhoso e envolvente que um abraço.

hmmmmmmm...aperta....
(ops..não muito que há muito suco!)

Denise disse...

Impagável vc!!!!!...rsssssssss
"Os oito primeiros é que me estão difíceis!rs..."

Pois é, dizem que um olhar vale por mil palavras (eu concordo!), mas o abraço é uma forma espontânea e gostosa de mostrar o afeto, o reconhecimento, a saudade...as almas parecem "colar-se" num abraço 'bem dado'...que não precisa ser apertado...rs

Bjo

Julio Cesar disse...

rs...gostou, né...rs....

então... o abraço cola as almas de tal forma que as vezes elas não se desgrudam, mesmo separando os corpos!... e as vezes nem houve abraço de fato!

...tá frio...mas agora esquentou 'barbaridade'...um suco para baixar a temperatura!...
e ganhar folego.
bj e bj...claro

Denise disse...

Almas afins, irmãos de alma, corações unidos pelo bem querer...são tantas definições - fico com o representam, apenas...e abraço esta idéia, e as almas, pq não?...rs

Bjão