“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


18 de abr de 2010


"Compaixão é um estado tão profundo e bonito que você dá tudo de si mesmo para que o outro possa ser feliz ou sentir o que você está sentindo. O amor exerce o mesmo poder; ele age como um perfume que derrama a sua fragrância para quem quer que seja."
Extraído de uma lenda indiana


Tesouro do Blog Despertando na Luz

4 comentários:

Julio Cesar disse...

"perolas aos porcos"?

Olá Denise...
Olho para trás e quase levo um susto, pois mal posso ver a 'casinha' de onde parti. Voltando-me para frente, abaixo meu rosto e em minha mão pende meu frasco de perfume. Dou-me conta que a tanto eu o seguro, que como por dormência parecia não sentí-lo mais. Ergo-o contra a luz que assola-me frontalmente o rosto a fim de conferir seu conteúdo. Resta bastante. O suficiente para continuar minha jornada. Olho novamente para trás, num ultimo momento antes de seguir...confiro pelas manchas ao chão, que eu o deixei, eu derramei pelo caminho que percorri. Inspiro e não há como não inalar o seu aroma. Triste que não há em minha vista, outros a fazê-lo...mas não por eles, pelos que ainda ei de cruzar, continuarei seguindo, derramando, sem uma gota de arrependimento.
a ti...doces fragâncias.
Julio

Denise disse...

Ah, Julio!! E o que fazer para manter as mudanças (tãããooo sofrido alcançá-las!!) depois da partida (que bom!!) dessa “casinha” (acho que conheço o caminho), se precisamos agir para agradar ou só darmos o que recebemos de volta, ou pior, como podemos nós decidir quem é merecedor ou não? Esse juízo de valor é o ego quem faz, sabemos disso, certo? (tanto que o próprio dito popular é pejorativo...)

Eu penso assim: se eu acredito, então não dependo sequer dessa aceitação, pq importa que eu pratique aquilo que meu coração pede, sem avaliar se alcanço ou não ressonância no outro...desde que fui observando o bem que fazia às relações (e o quanto a gente aquieta a alma), sem obedecer a qualquer expectativa ou avaliação, tento manter acordada em mim essa chama...e parece que em tua viagem carrega este frasco, e que está disposto a esborrifar suas gotículas preciosas pelo caminho...quem sabe se olhar apenas à frente, que é para onde se dirige, possa inalar do aroma que manterá acesa a chama...esse fluído é que precisa tomar conta do mundo...eu e todos que acreditamos nisso, estamos querendo muito, será??...rs

Bem...pouco importa, fico com as doces fragrâncias...ou posso dizer ”ficamos”??

Vc é muito bom de metáfora, meu amigo, e a faz poetando!!!!
Muito obrigada por abrilhantar este lugar que é nosso...as idéias não ficam “soltas” se amarrarmos as pontas e desfizermos os nós...ao sabor do suco de tua preferência...combinado?
Bjo e até o próximo copo...ou xícara...rs

Julio Cesar disse...

Ai, Denise...enrubeci!...Que ternas palavras. E obrigado pela observação sobre o 'meu escrever'.
(...)
Sim...eu inalo o perfume enquanto sigo e derramo,"inspiro e não há como não inalar o seu aroma".
Aprendi com dores a não ter expectativas que não sejam sobre mim mesmo. E como disse em outro coment, o recomeço é sempre possível.
Adoro passar e tecer por aqui...um espaço refrescante mas caloroso na alma.
Aceito o suco, mas deixo-te a escolha...
Bj
Julio

Denise disse...

Que gentleman...rs

Escolhe o sabor e beberique sem pressa...refrigere sempre este lugar com a presença de tua alma nua...é muito gostoso ter (boa) companhia pra conversar!

Beijo