“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


31 de mar de 2010

Uma formiga me levou a orar


Outro dia, vi uma formiga que carregava uma enorme folha. A formiga era pequena e a folha devia ter, no mínimo, dez vezes o tamanho dela. A formiga a carregava com sacrifício. Ora a arrastava, ora a tinha sobre a cabeça. Quando o vento batia, a folha tombava, fazendo cair também a formiga. Foram muitos os tropeços, mas nem por isso a formiga desanimou de sua tarefa. Eu a observei e acompanhei, até que chegou próximo de um buraco, que devia ser a porta de sua casa. Foi quando pensei: - “Até que enfim ela terminou seu empreendimento.” Ilusão minha. Na verdade, havia apenas terminado uma etapa. A folha era muito maior do que a boca do buraco, o que fez com que a formiga a deixasse do lado de fora para, então, entrar sozinha.Foi aí que disse a mim mesmo: - “Coitada, tanto Sacrifício para nada.”
Lembrei-me ainda do ditado popular: “Nadou, nadou e morreu na praia.” Mas a pequena formiga me surpreendeu. Do buraco saíram outras formigas, que começaram a cortar a folha em pequenos pedaços. Elas pareciam alegres na tarefa. Em pouco tempo, a grande folha havia desaparecido, dando lugar a pequenos pedaços e eles estavam todos dentro do buraco. Imediatamente me peguei pensando em minhas experiências. Quantas vezes desanimei, diante do tamanho das tarefas ou dificuldades? Talvez, se a formiga tivesse olhado para o tamanho da folha, nem mesmo teria começado a carregá-la. Invejei a persistência, a força daquela formiguinha. Naturalmente, transformei minha reflexão em oração e pedi ao Senhor que me desse a tenacidade daquela formiga, para “carregar” as dificuldades do dia-a-dia. Que me desse a perseverança da formiga, para não desanimar diante das quedas. Que eu pudesse ter a inteligência, a esperteza dela, para dividir em pedaços o fardo que, às vezes, se apresenta grande demais. Que eu tivesse a humildade para partilhar com os outros o êxito da chegada, mesmo que o trajeto tivesse sido solitário. Pedi ao Senhor a graça de, como aquela formiga, não desistir da caminhada, mesmo quando os ventos contrários me fazem virar de cabeça para baixo,mesmo quando, pelo tamanho da carga, não consigo ver com nitidez o caminho a percorrer.
A alegria dos filhotes que, provavelmente, esperavam lá dentro pelo alimento, fez aquela formiga esquecer e superar todas as adversidades da estrada. Após meu encontro com aquela formiga, saí mais fortalecido em minha caminhada. Agradeci ao Senhor por ter colocado aquela formiga em meu caminho ou por me ter feito passar pelo caminho dela.

Sonhos não morrem, apenas adormecem na alma da gente.

Texto: Ninon Rose Hawryliszyn e Silva

8 comentários:

*Teresa Cristina* disse...

Sonhos....tenho muitos!!!!
Que a Alegria da Pascoa invada seu Coração
e o daqueles a quem ama irradiando luz para iluminar
e fazer brilhar o mundo em que vivemos enchendo-o
de Amor...Saúde...Paz!!!

FELIZ PASCOA!!!
bjss♥

Denise disse...

Obrigada, Teresa....que renasça a fé e haja paz nos corações...

Uma Páscoa abençoada para todos nós!
Bjos

Cida disse...

Muito lindo esse texto, e mais que apropriado para essa época de Páscoa.

Devemos sim, rever a nossa vida, e nos apropriarmos de bons exemplos, prá podermos sempre melhorar o nosso agir e o nosso sentir.

Tenha uma feliz Páscoa.

Bjsssss

Cid@

Denise disse...

A gente precisa renovar a fé em nossa própria força realizadora. Precisamos do renascer da esperança, de ver ressurgir em nossos corações o amor em toda sua extensão e infinitude.

Feliz Páscoa pra vc tb, querida!
Bjos

educalil disse...

Feliz Páscoa!

Denise disse...

Obrigada, Edu. Um lindo domingo junto dos teus queridos!
Bjo

Anônimo disse...

gostei da mensagem, vou repassar sua historia.

Denise disse...

Ninon Rose Hawryliszyn e Silva trazem uma preciosidade mesmo. Compartilhe!