“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


24 de mar de 2010

Pelo retrovisor...




Retrovisor nos mostra o que ficou para trás.

Mostra com clareza: se vou pra frente,

coisas ficam para trás.


Na música "Amém", composta por Fernando Anitelli, encontrei inspiração e base para reflexão breve.
Ela fala da ótica invertida, que mostra a vida já vivida, os lugares por onde já andamos, paisagens que ficam, mas não são mais o cenário onde a vida acontece. O passado é fiel depositário do alicerce da atual construção, somos resultado de dias felizes, de feridas sangrando, de alegrias inesperadas, de crianças nascendo e dores morrendo.
Acumulamos festejos e lágrimas, insatisfações e mágoas, tormentos e paz, lucidez e escuridão. Guardamos afetos, escolhemos amigos, estudamos e desaprendemos, descobrimos novos rumos, mudamos a direção. Erramos e acertamos, julgamos e perdoamos, cometemos erros e excessos, quase desistimos, renovamos as forças, adoecemos e nos curamos, cultivamos ressentimentos, nos entregamos aos tormentos, mas também ganhamos paz.
Somos escultores imperfeitos, produtos de nós mesmos, por isso o olhar a esse tempo passado deveria ser benevolente e amoroso com o aprendiz.
Espelhos mostram a gente de fr ente. Sem retoques. Retrovisores nos mostram ontem. Sem retorno, mas com mudanças possíveis na rota à frente.
Para trás fica a aurora da vida que já foi, e no palco do agora - único momento que existe - está o prenúncio do crepúsculo perfeito onde descansará a alma que cresceu.

Amém!






13 comentários:

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá, gostei do seu post, do seu blog...Espectacular....
Beijos

Julio Cesar disse...

Denise...tudo bem? obrigado pelo comentário em Vendo e Sentindo. É um grande prazer tê-la como seguidora e muito mais como amiga, mais que colega (veja o post Jardim secreto de 19 de novembro de 2009 com a tag 'amigos' e vai compreender o que digo).
(...)
Muito bonito seu blog... e igual beleza pela presença de borboletas, esse ser tão 'frágil', de curta existência, e de uma beleza natural impar. Ser que nos permite a tantas analogias...

Fique com Deus....

...eu também estarei por aqui.

Julio Cesar

Mari disse...

Denise,
Perfeita a reflexão minha amiga!
Eu um tempo atrás teimava em viver o passado, como se com isso fosse possível trazê-lo de volta! A gente aprende, com dor, mas aprende que o que foi não volta, mudam as paisagens da vida da gente...Amèm!
Beijos

Denise disse...

Seja muito bem-vindo, Fernando.
É um prazer tê-lo por aqui! A gente gosta nos outros, daquilo que temos de bom em nós...e admiramos o que nossa sensibilidade é capaz de apreciar.
Beijo

Denise disse...

Tudo bem, Julio Cesar. E feliz, pela tua chegada até este "pedacinho de mim..."

Li seu post e sinto como vc esta realidade virtual, fruto dos novos tempos, novos hábitos e tecnologia. A gente se afastou muito das relações - familiares, amigos, do trabalho - e essa rede social sofreu alterações que estão sendo "corrigidas" pela força das necessidades de hoje, novos conceitos e rumos.
Que bom quando cruzamos com "iguais", pois o entendimento disso já existe.
O outro aspecto que vc abordou me lembrou um pensamento que venho tendo quando ando por aí, navegando por tantas emoções...sobre nossos seguidores - e nós, também seguidores. O número de carinhas deve aumentar, penso eu, quando há empatia, simpatia pelos assuntos e amigos nossos em comum (que naturalmente indicam seus amigos), ressonância com nossos sentimentos, além de gosto musical, do visual caprichado e, o principal, conteúdo em sintonia com a gente. Nem sempre vejo isso acontecendo, e nunca senti a mesma "agonia" da espera que vc contou...rs...agora mesmo abri aqui e descobri que ganhei 3 seguidores, num mesmo dia - o que me deixa feliz, pq chegaram para acrescentar mais do que rostos com que vou me identificando e aprendendo a querer bem.
Seja então, muitíssimo bem-vindo neste espaço sempre pronto a receber novos amigos. Gosto de cultivá-los neste jardim...rs...onde as borboletas estão esvoaçando...rs

GRANDE abraço de boas-vindas!

* Lindo o texto da Lisa!

Denise disse...

Viver é mudar a cada dia, né Mari??...é poder escolher em qual tempo quer estar.
O aprendizado mostra onde está a porta de saída...basta levantar os olhos para encontrar o novo caminho, né, querida??
Bjão pra ti!!

Ana Lúcia Porto disse...

Oi Denise,

Gostei da comparação do espelho e do retrovisor... É sempre bom estarmos atentos, olhando para frente, numa caminhada.

Beijos e obrigada pela presença nestes dias. Eu havia agradecido a todos, logo abaixo de seus comentários, sobre a festa. Portanto, ficou escondido...
Ana Lúcia.

Denise disse...

Despreocupe-se Ana Lúcia, fico feliz com sua presença aqui, e por ter chegado em clima de festa lá no "Entre um café e um bate papo".

Eu funciono assim, sabe...vejo, observo, ouço, leio...e a vontade de escrever aparece...um reflexo a reflexão...rs

bjos

neli araujo disse...

Oi, Denise!

Muito linda tua reflexão!

Fui atrás de um hai-kai meu:

Ao olhar pelo
Espelho retrovisor,
Meu mundo parou!

Ou seja, não podemos olhar para trás, caso contrário a vida para!

beijinhos

Neli

Denise disse...

Oba! Está aqui já...rs

É isso, aquela fração de minuto que desviamos o olhar para o retrovisor, perdemos de vista o que estava à frente...temos que cuidar das aproximações pelos lados e pela traseira do carro onde trafega nossa vida, mas conduzi-lo com a máxima segurança possível, para frente. Se tiver muito nevoeiro...e cuidado redobrado for pouco, o mais indicado é parar uns instantes...e seguir quando voltar a segurança no avanço do caminho...

Essa metáfora vai longe, dá nova crônica...rsrs

Bjosss

Julio Cesar disse...

ah...obrigado pela atenção...

Julio Cesar disse...

Obrigado Denise...

vou sentar-me a essas sombras refrescantes, dividindo-me entre mirar o distante e meditar sobre as citações...

Um grande abraço.
Julio Cesar

Denise disse...

As inquietações provocam os questionamentos, e estes nos conduzem a novos caminhos, invariavelmente.
A mente que se abre a novas idéias, como tão bem disse Einstein, jamais volta ao tamanho original...por isso desejo que a sombra seja suficientemente amena para permitir esse "passeio" transformador...

Abraço grande pra vc tb!!