“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


30 de mar de 2010

Maturidade

Não, a maturidade não avaliza tudo. mas ela tem olhos mais benevolentes. Talvez seja prima irmã da esperança, e assim, dilate mais o poder do perdão.
Quando jovens, achamos que sabemos tudo. Vivendo o suficiente para ter o que olhar pelo retrovisor (crônica do dia 24 de março recente), acabamos compreendendo que tínhamos as mãos cheias de sonhos, muita energia para por em prática todos os conceitos do mundo, menos aqueles chatos, que nossos pais e avós teimam em manter vivos. Mais tarde, a gente entende que muitos olhares vazios que surpreendemos nos rostos cheios de marcas do tempo, mostravam a solidão de idéias que não podiam ser compartilhadas, talvez cada lágrima teimosa que não era escondida a tempo só quisesse dizer que o coração estava apertado, mas na verdade o que queria era o aperto de um abraço, um afago silencioso, cúmplice do sentimento que nem nome tinha, mas estava lá sinalizando o descaminho daquele instante.
O jovem é atento a tudo que lhe interessa - alguns maduros também! - mas tem uma desatenção dolorida com as palavras que expressa. Já presenciei muita tristeza saltando de olhos marejados, inclusive de passagem por algum espelho...
Mas a maturidade que carrega em seu regaço a bonificação da tolerância, da prudência contida na madureza dos anos vividos, olha com amor para a rudeza do espírito rebelde, incompleto, imaturo, e lhe confere esse amor acima da própria dor.
É provável que esse mesmo sentimento possa ser visto diante de outro espelho, quando dos mesmos olhos ardentes de agora, escorra a mesma calada tristeza que, em um dia distante, roubou o sorriso de um rosto querido.
A maturidade é como o fruto que amadurece e se torna mais doce. Saboreia, esparrama amor.
A juventude é a ante-sala da bondade. Dela jorram emoções, machuca corações. Mas um dia aprende, amadurece, e ganha olhos de amor. Estes sabem ver. E perdoar.

8 comentários:

manuel marques disse...

"A adversidade é um trampolim para a maturidade ..."

Beijo.

Denise disse...

rs...vc sempre dizendo muito em poucas palavras, Manuel.

Não por acaso, crescer é uma arte...

Beijo

Jeanne disse...

Maravilha Denise, magnífico texto.
todas as fases são importantes, inclusive os erros inevitáveis da juventude, frutos dos impulsos e da exuberância pela vida.
Mas a maturidade é tudo isto.
Beijos

RESILIÊNCIA disse...

Denise


Maturidade...são esses seus sentimentos, são suas palavras e esta infinita sensibilidade que tens em tirar da alma toda essa beleza, toda essa ternura e colocar no papel suas emoções. um grande abraço.

Denise disse...

Grata por suas observações carinhosas, Ari. É mesmo verdade que vemos no outro muito de nós..,não por acaso me emociono diante de seus textos encharcados dos mais lindos sentimentos.
Que bom poder devolver-te as mesmas sensações!

Abraço forte, meu amigo...

Denise disse...

Sim, Jeanne. Nenhuma etapa deve ser queimada. Os ciclos da vida se abrem e fecham, per si...e todos compõem nossa história.

Gostoso ter vc por aqui...gosto muito de tuas observações...e do carinho que vejo inserido nas palavras que deixa, a mimar meu espírito sereno...

Bjo pra ti!

robert disse...

Maturidade é a melhor fase da vida!

Denise disse...

Seja muito bem-vindo, Robert!!

A melhor fase da vida...acho que é sempre a que a gente está vivendo...a unica que existe de fato, né?

Bjos