“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


31 de jan de 2010

Me entrego...


Não sei se acontece com você, mas muitas vezes eu topo com uma palavra, um pensamento ou uma frase que tem efeito imediato em mim, me colocando em sintonia com sua provável intenção de mensagem, e nessa busca "viajo" por lugares que minha mente visita sem censura, divagando sobre como senti quando voltei minha atenção, o que quiseram dizer, para onde me levará essa nova pegada que estou a seguir...
Não me furto a esse prazer, não recuso o convite, me permito. E nessa andança voluntária, muitas vezes descubro coisas que nem pensei ou esperei. Me surpreendo, me angustio, me amedronto, me alegro, me identifico. Me perco e me encontro.
Temos tanta pressa que desprezamos o tempo...o tempo de recolhermo-nos, abrigando nossas inúmeras questões, tantas dúvidas, imensas incertezas, incluindo aí os clarões de equilíbrio, mostrando que já tivemos caminhos escuros, demos passos que não repetiremos - porque aprendemos - mas nos encontramos no hoje que, de alguma forma, superou o ontem. Isso é ultrapassar as dificuldades, sobrevivendo aos desesperados dias de dor, encontrando nosso lugar num mar de emoções que prometiam atirar-nos num abismo sem precedentes.
Quando nos conectamos com nossa essência profunda, enxergamos tudo que é, sem precisarmos de nada que lhes sirva de verdade maior. Essa, a profunda vibração de nossa alma dispara em algum lugar que os sentidos encontrem, leiam e tomem para si. Meditar é mediar esse encontro.

Este texto nasceu do comentário ao post anterior. Minha amiga Adelia veio iluminar com o farol de sua sensibilidade, essa percepção que já dormitava em mim, e estava pronta para compartilhar. Obrigada querida, pelo incentivo ao impulso secreto que só fez pegar carona nas tuas palavras carinhosas.
Meu afeto a você também!

4 comentários:

RESILIÊNCIA disse...

Denise

Lindo esta reflexão...um grande abraço

Regina Rozenbaum disse...

Denise linda de viver!
Acontece comigo também. Demoro um tempo, nada cronológico, para sentir os efeitos da palavra...e como uma LUZ poderosa ilumina o que estava confuso, fora de lugar, sem solução... Me entrego então!
Beijuuss ILUMINADOS n.c.
Regina
www.toforatodentro.blogspot.com

P.S. Amo de viver essa "chuva de flores" no seu blog.

Denise disse...

O convite à reflexão é o eco de nossos desejos, não há como ignorá-lo, não é Ari?
Obrigada pela visita.
Boa semana!

Denise disse...

Pois penso que aconteça com muita gente, Regina, mesmo quando não nos damos conta...pq o processo é ininterrupto...coisa boa exercitar os neurônios...aprender "a ler" nossos sentidos. É o começo da conexão com tudo de mais incrível que há em nós!!!

Se gosta tanto das florinhas, pq não as "rouba" com minha permissão???...rsrsrs

Que haja muita Luz em tua semana, com dias recheados de momentos teus!
Bjos