“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


14 de nov de 2009

O retrato



Pela etimologia da palavra, já dá para compreender o significado de expormos fotos pelas nossas casas, porque as tiramos. A origem deve vir de cantos secretos da emoção, da sensibilidade que empresta sentido às imagens prontas para entrarem no arquivo memorável de imagens.
Retrato é a reprodução de uma imagem, a revelação de alguém.
Fascínio por fotos deveria então sugerir o desejo de capturar essa imagem para lhe "tirar o véu" e conhecer o escondido ou o secreto que lhe habita. Talvez esse desejo se estenda para além das lentes, e queira perpetuar o que a retina capta enquanto uma voz interna segreda ao coração.
De toda forma, seja qual forma tome ou adquira, essa imagem declara eternidade. E como lembrou Pe. Fábio de Melo, somos nós quem definimos o que vai ser eterno em nós, no nosso coração, incluindo tirar esses retratos que o tempo desbotava e agora carregam os pixels que lhes confere qualidade superior. Assim também se dá a escolha das imagens que queremos retratar, embora algumas sejam como tatuagens na alma, dispensando lentes e efeitos. O maior efeito já está feito, já foi impresso. Está retratado na emoção que mudou-se para a eternidade!

Nenhum comentário: