“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


1 de out de 2009

Sobre a alegria

























Nosso corpo é uma fronteira entre as paisagens de fora e as paisagens de dentro. Com um ele vê as coisas que passam no tempo. Com o outro ele vê o que é eterno e divino.
Em algum lugar escondido das paisagens da alma se encontram as fontes da alegria - perdidas.
Perdidas as fontes da alegria as paisagens da alma se apagam, o corpo fica como uma casa vazia. E quando a casa está vazia, vai-se a alegria.
E as paisagens de fora ficam feias.

Rubem Alves

* Presente da Tere.

Nenhum comentário: