“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


2 de ago de 2008

O retorno de Sua Excelência, o Amor.



O amor não vem sob encomenda.Ele não transpõe a barreira da solidão, encerrando a prece desesperada. Não é resposta a uma súplica.
O amor não trás rosto permanente. Não tem nome definido. Definitiva, só sua existência.
Ele se acomoda em qualquer vão, plácido.
Repousa no coração sempre, e, primaveril, floresce exalando deliciosos perfumes, derramando sua exuberância tal qual a profusão de cores da estação.
Quase sempre silencioso, ele é vermelho, intenso.
Parece adormecer para não morrer. Entra em reclusão, mas não esbarra no perigo abismal, pois se desloca no tempo para retornar, vigoroso.
Parece outro, mas é o mesmo numa roupagem nova.
Às vezes reaparece sem aviso prévio, porque não erra o caminho.
O período de seu recolhimento é aquele hiato de que precisamos. De que ele necessita.
O amor precisa de (c)alma. De silêncio.
Renovado, ele desperta.
E devolve vida e sentido.

♥ Denise

Nenhum comentário: