“Planto flores no caminho para que não me faltem as

borboletas. Foram elas que me ensinaram que o casulo

não é o fim. É o começo."

Day Anne


28 de abr de 2011

Delicadeza de presente...




Eu sou uma devoradora de livros. Esta é uma pequena informação acerca de uma característica minha - mas, para uma pessoa sensível e observadora, um detalhe que estimulou sua forma de acarinhar-me, enviando-me delicados marcadores de páginas, companheiros que se tornarão de minhas leituras.

Mas quero falar de outras marcas que se tornam inseparáveis de nós, como a da amizade e seus gestos de carinho, as pequenas atenções que fazem a grande diferença. Como este da minha querida amiga Zizi, a quem conheci e aprendi a admirar, a quem me afeiçoei. A dona de um coração imenso e de ideologias raras. Uma alma sonhadora, que realiza.

Agradeço o carinho, e compartilho da tua alegria, querida!
Obrigada pela surpresa carinhosa!


Dia da Sogra





Visitando o Blog do meu amigo Cacá, descobri que hoje se comemora o Dia da Sogra.

Não lembro de ter essa informação, mas preciso falar de duas coisas, então: da nora que fui e da sogra que sou.

Como nora, tive um relacionamento muito bom com minha sogra. Acho que a prova final de seu bem-querer me deu ao morrer, justo no dia de meu aniversário, há 13 anos já. E sendo nora, também tive sogro, uma pessoa que me permitiu uma intimidade de filha - deixando a saudade de nossas conversas animadas e acirradas.
Eu não era unica, e se tinham alguma predileção, foram sutis, porque com as cinco tiveram um relacionamento amistoso, respeitoso e carinhoso. Tenho as melhores lembranças deles, que permanecem vivos em meu coração.

E eu agora sou sogra, o papel se inverte, por isso resolvi escrever sobre a data, falar um pouco do que, pra mim, significa esse papel, qual a função que tenho nessa família ampliada.

Hoje então é meu dia, dias antes de comemorar o Dia das Mães...
- "tá certo", penso eu, "e tenho sorte", reflito, "por ter uma nora e um genro que fazem o meu coração de mãe expandir-se."
Há alguns anos já me considero sogra - minha nora não precisou casar para ser da família - no entanto, sempre frisei que ela era como filha, e de fato assim eu sinto, pela estreita relação que temos e pela liberdade com que nos damos, envolvidas pelo afeto que nos aproximou e é alimentado por nós, tornando nossos laços ainda mais apertados fazendo-me avó pela chegada de seu primeiro filho - meu neto, que todos sabem, é o amor da vovó...rs

E recentemente me flagrei compreendendo o imenso carinho e apreço que minha mãe demonstrou uma vida toda aos genros, quando o meu, solícito e participativo se fez presente nos preparativos de uma reunião familiar que promovi. Em algum momento a ficha caiu e percebi, por diversos comportamentos dele, o quanto já é querido por mim, e o jeito de mãe com que o trato - e ele retribui.

Desta forma, com imensa alegria, declaro que, no Dia da Sogra, vejo que tenho quatro filhos!
Será que o Dia das Mães, que está próximo, vai me render mais presentes?...rsrs
Brincadeiras a parte, meu papel eu desempenho com amor, porque entendo que minha função é dar continuidade a ele, amor, que fez de uma mãe, minha sogra, e de mim, mãe e sogra - até avó já sou!-, fundindo tudo no amor que é o alicerce de todas estas relações!

Quase esqueço: FELIZ DIA DA SOGRA!!!


A visão do amor!





Esta é a família Columbus, de Ohio nos EUA, que teve sextuplos.
Precisa dizer alguma coisa que a imagem não mostre?


26 de abr de 2011

Selo Blog Pop




Esse selo é conferido aos blogs de popularidade: blogs que atingiram a aceitação do público. O selo foi criado com a intenção de promover o reconhecimento por um trabalho que agrega valor à Web.
É importante que quem receba o “Selo Blog Pop” e o aceite, siga algumas regras:
1. Exibi-lo no blog;
2. Apontar o blog pelo qual recebeu o selo;
3. Escolher outros blogs a quem deve oferecer o “Selo Blog Pop.

Este carinho foi oferecido pela minha querida Jeanne, do Blog A casa das Virtudes - que vale a pena você conhecer! Fico feliz por recebê-lo duplicado, uma vez que o Alinhavos do Tecer foi indicado pela Rê(jane), outra amiga pra lá de querida, do Blog Quando a vida dentro de mim, se tornou possível, ficando grata às duas amigas pela indicação carinhosa!

Acho difícil escolher alguns Blogs, entre tantos que são merecedores, mas, para não descumprir as regras, indico estes por entender que agregam valor à Web.

Arena das Crônicas, uma proposta espetacular.
Lost in Japan, do querido Alê
Arca do AutoConhecimento, da amiga Maria José
Despertando na Luz, da amada Tereza
Devaneios de um Marujo, do especial amigo e escritor Taddeu Vargas
Pensando em Família, da colega e amiga Norma
Porto das Crônicas, da querida amiga Tais Luso
Uai, Mundo? O Blog do Cacá, do escritor e amigo Cacá (José Cláudio)


24 de abr de 2011

Feliz Páscoa!




Contei a um amigo querido aqui da blogosfera, que não postei nada sobre a Páscoa, especificamente - apesar de seu sentido e significado ser um forte valor pra mim e minha família.
Fiz diferente: reuni ontem familiares, três gerações, e celebramos, na prática, o renascer do muito que é dito e sentido, numa reunião regada a chocolate sim, mas que deixou a todos adocicados pelo amor que nos une, pela fé que nos sustenta e o desejo de passar adiante esses valores.
Que ressurjam esperanças onde houver desânimo, e que o símbolo do renascer indique Luz a tudo que já foi escuridão.

Agora daremos seqüência à festiva reunião, confraternizando com um almoço em família, no seio do amor e com a alegria que é estarmos juntos.

Desejo para todos essa mesma sensação que inunda meu ser, cheia de gratidão por estas vivências, unificando teoria e prática.

FELIZ PÁSCOA!!

22 de abr de 2011

Hatuna Matata


Vamos aplicar hoje, amanhã e sempre???

Um lindo feriado, Hatuna Matata!!!





18 de abr de 2011

Nunca deixe de voar...



Foto By Fernanda Abreu



Boa semana!



13 de abr de 2011

Soltar...


"Soltar é o poder de colocar um fim a tudo que é destrutivo e inútil. Não segurar nada do passado no coração. É a força de dizer 'não' para a negatividade. Soltar as expectativas que os outros têm de mim e que eu tenho deles. Soltar todas as crenças à minha identidade finita. Soltar as opiniões dos outros. Soltar os comportamentos destrutivos do eu e dos outros. Soltar o que 'acho' que sei e quem eu 'penso' que sou. Soltar requer coragem, perdão, confiança e pureza. Significa que minha vida começa de uma nova maneira a partir de agora."
Caroline Ward

11 de abr de 2011

Pensando 29





Da "Série Pensamentos" no Tecendo Ideias

9 de abr de 2011

As cores do olhar


Enxergar em branco e preto é uma metáfora interessante. Um é o oposto do outro, um interfere no outro, mas altera pouco.
O colorido muda as formas, transforma-as em alegria, aumenta a intensidade, tira do mundo a monotonia, empresta vida aos objetos mínimos, torna atraente o insignificante.
A cor muda tudo.
A cor do olhar muda o significado.
Com qual cor vemos o mundo?
De que cor pintamos as dificuldades?
Que tom damos a cada pessoa?
E com quais nuances pintamos a imagem refletida no espelho, disfarçando as formas, negando a origem, pintando arestas?
E os dias cinzas, que escurecem a alma, apagam a vida e silenciam as cores?

Temos dias de aquarela, temos dias destonalizados. Todos eles são de profundos aprendizados!

Armadilhas na vida...


Esse termo ouvi da minha filha, contando que "caiu na armadilha visual" de um doce, contrariando sua decisão de evitá-los. Ecoou na minha cabeça...e os pensamentos se multiplicam numa velocidade impressionante, não é mesmo? Eu disse a ela: vou escrever sobre isso.

As armadilhas visuais ultrapassam a cara dos doces expostos nos balcões atraentes das confeitarias - uma delas é a beleza aparente dos caminhos que encontramos na caminhada da vida.
Quem já não se deixou seduzir pela paisagem perfeita que emoldura seus sonhos? Quantos (des)caminhos a gente segue, só pra descobrir que levava a lugar nenhum, ou que terminava na beira de um abismo cujo magnífico por-do-sol iludia o horizonte?
Sem setas, placas ou mapas, a gente explora a vida caindo em armadilhas, criadas pelo desejo, pela pressa, pelo desamor, pela descrença. E por ingenuidade, desinformação, por amor e pela dor. Nossas escolhas, sempre subordinadas aos próprios conceitos, ideais, sonhos e desejos, nos conduzem em direções muitas vezes opostas ao objetivo principal, distante da essência da vida, distorcendo a caminhada, retrocedendo os passos, trocando de paisagem e estragando a viagem.
Entretanto, como tudo sempre tem uma função e uma razão de ser, as armadilhas também são proveitosas, porque aparentemente são enganosas, mas podem ser faróis a iluminar a escuridão que cobre nossos anseios, revelando a luz que tonaliza o caminho dali em diante...


8 de abr de 2011

Grau zero!!!!


Feliz, muito feliz!!

Esqueci o segundo livro!


Olá, participo novamente da Campanha Bookcrossing ou "Vamos esquecer um livro?" marcada para acontecer neste dia 08 de abril.
Pra quem chega agora e não conhece a ideia, esta campanha começou assim...e a divulgação está logo aqui em cima, clique no Selinho pra ver.

"Seu Balde Está Cheio?" é um livro escrito a quatro mãos - Tom Rath trabalha com o desenvolvimento profissional através de testes e programas, enquanto que Donald Clifton, seu avô, foi considerado o Pai da Psicologia Positiva. Neste trabalho, eles oferecem estratégias que podem transformar as relações em todos os ambientes que vivemos: família, trabalho e redes sociais.
Eles lembram que, a cada momento do dia - todos os dias - nos deparamos com a seguinte escolha: podemos encher os baldes uns dos outros, ou esvaziá-los. Pra saber como, só lendo...rs

Desta vez, optei por "esquecer" um livro que considero uma boa oportunidade transformadora. Ele "saltou aos olhos" quando, parada diante de minhas relíquias, pensava em uma escolha interessante. Segui o sinal, e fotografei pra compartilhar com vocês - e desta vez, escrevi o recadinho e anexei ao livro.




Onde "o esqueci"?

Bem, pensei num lugar com grande fluxo de gente - quem precisasse dele, estaria lá. Escolhi o saguão de um hotel - deixando-o deliberadamente "oculto" entre almofada e encosto. Que o encontro seja promissor!


Você tinha essa informação?




Fica a dica de leitura...

5 de abr de 2011


"Tudo que deixarmos ir, se for realmente importante
e bom para nós, voltará!"

Taddeu Vargas

4 de abr de 2011

A ONDA...

As catástrofes abalam mais do que a estrutura física que devastam, deixando atrás de si mais do que escombros da destruição. O aspecto positivo de cada evento furioso da natureza, é a reflexão
que acompanha a imagem congelada da dor que assolou tantas pessoas - vitimando-as além de qualquer aparência cabível de descrição, como aconteceu no Japão.
Recebi esta mensagem da minha amada Rê(gina), e, apesar de não ter nada contra sonhos de conquistas materiais, viagens - eu mesma levei os meus pra Disney e tirei centenas de fotos, vou ao shopping, já assisti muito Faustão, novelas e BBB - me chamou atenção o enfoque, pós-tsunami, dos valores que temos em evidente descuido...talvez.

Compartilho o texto para avaliação de vocês próprios, unica forma que existe de construir conceitos - ainda que seja a partir de crenças e valores em comum com nosso meio familiar e redes sociais.

Boa leitura!




"ESTE MUNDO É IMPERMANENTE.

É COMO O REFLEXO DA LUZ NA ÁGUA.

TODAS AS NOSSAS REALIZAÇÕES
SERÃO DEVASTADAS PELOS
VENTOS DA MUDANÇA."

Buda



Tristes tempos os nossos, em que o individualismo exacerbado impera como regra amplamente difundida e aceita. Vidas reduzidas a minúsculas caixas – pequeninas zonas de conforto. Projetos existenciais reduzidos aos interesses próprios e aos da família imediata.
A superficialidade das conversas que ocupam as relações sociais e o nosso dia-a-dia comprova a miopia existencial que impera:
“O meu carro ‘zero’!
“O plano de saúde ‘top’ da minha família”.
“O meu salário e a minha renda.
“O apartamento maior para onde em breve pretendo me mudar.”
“O roteiro de férias da minha família! Quer ver as fotos dos meus filhos, em Orlando, com Mickey e Pateta?”
“O meu iPad 2, de última geração! Não que o outro, que havia comprado há pouco, fosse ruim, mas lançaram este e tenho que ostentar.”
“O meu tempo livre: Big Brother, Faustão, passeio no shopping, futebol e novela."
E vem a onda gigantesca sacudir as nossas rasas convicções, e remeter os olhos dos que queiram enxergar para as coisas que realmente importam. Diante das forças imponderáveis da existência, até mesmo o monte Fuji vê sua opulência perdida. Era para ser mais um dia de rotina e afazeres, como outro qualquer, não fosse a grande onda. Um breve instante, e tantos planos, projetos e existências arrasados. Viver é dançar na corda oscilante do inesperado. Não convém depositar a nossa confiança nos bens materiais, nos dias e nas horas. Tudo que é sólido se desmancha no mar. Os bens materiais não resistem às tempestades e intempéries da vida. Não convém depositar neles a nossa confiança. Impermanência – outro nome para a vida terrena. Bairros inteiros varridos num piscar de olhos. Lista contendo os nomes dos milhares de vítimas. Para os que partiram não haverá mais outonos ou primaveras, feriados ou provas na escola, manhãs de domingo ou noites estreladas.
A vida é como uma rosa que nos inebria com o seu perfume e nos dilacera com os seus espinhos. Sabedoria é empreender a travessia pelo árido deserto da existência, rumo ao oásis verdejante da essência. E de frente para o mar, absorta em pensamentos, ela pondera:
“A vida é breve demais para que a façamos pequena.”

*Um peregrino

3 de abr de 2011

Quero ter estas virtudes...






“Amar significa amar o que é difícil de ser amado,

de contrário não seria virtude alguma;

perdoar significa perdoar o imperdoável,

de contrário não seria virtude alguma;

fé significa crer no inacreditável,

de contrário não seria virtude alguma.

E esperar significa esperar quando já não há esperança,

de contrário não seria virtude alguma.”


Gilbert Keith Chesterton


Para começarmos bem a semana!!
Carinho meu, meus queridos!




"Daqui a alguns anos você estará mais arrependido pelas coisas que não fez do que pelas que fez. Então solte suas amarras. Afaste-se do porto seguro. Agarre o vento em suas velas. Explore. Sonhe. Descubra."

Mark Twain

2 de abr de 2011

Tecendo 9



Da "Série Amar é" no Tecendo Ideias


Pensando 28




Da "Série Pensamentos" no Tecendo Ideias


Meme Literário

Recebi da Malu, amiga do Blog Infinito Particular, um MEME LITERÁRIO que pede para que eu responda as perguntas abaixo. É um prazer, Malu, embora encontre bastante dificuldade nas escolhas – mas me sinto privilegiada pela chance de escolher novas indicações, uma vez que esta é a segunda vez que sou agraciada pelo Meme.

Malu quer saber:


EXISTE UM LIVRO QUE VOCÊ LERIA VÁRIAS VEZES SEM SE CANSAR?

Existem vários, mas pelo conteúdo de aprendizagem que oferece, propiciando mudanças definitivas, escolhi falar do “Amar ou Depender?”, do Walter Riso. Obtive resultados expressivos indicando-o. No âmbito pessoal, a cada releitura, um novo aspecto lampeja, oferecendo outro olhar para o tema relacionamentos, e mais compreensão e aprendizado.




SE VOCÊ TIVESSE QUE ESCOLHER APENAS UM LIVRO PARA LER PELO RESTO DE SUA VIDA QUAL ESCOLHERIA?

Que angústia escolher apenas um! Não consegui decidir-me, fiquei com uma tendência, porque sempre pode mudar, e isso me devolveu a paz...rs

O diálogo proposto na trilogia Conversando com Deus, de Neale Donald Walsch, favorece a jornada da alma, em estreita compreensão sobre inúmeros aspectos da vida, provocando intensa e profunda reflexão, transformando o homem ao apropriar-se de seu Eu, em densa conexão com o aspecto espiritual que rege a vida.





INDIQUE TRÊS LIVROS PREFERIDOS.

Tenho dezenas de favoritos, nada fácil esta escolha também. Escolhi pelo potencial que cada livro tem, de propiciar reflexões interessantes – e transformadoras.

O Efeito Sombra – Deepak Chopra, Debbie Ford e Mariane Williamson - desmistifica a negatividade do aspecto “escuro” que todos temos dentro de nós, mostrando como beneficiar-se da luz que surge ao identificar e aceitar cada comportamento sombrio – eles abrem portas para o oposto. Três autores enfocam o tema numa linguagem prazerosa e fluente.

O Poder do Agora, de Eckhart Tolle, mostra que, enquanto nos ocupamos de olhar sistematicamente para o passado e construímos planos para o futuro, deixamos de viver a única realidade que temos: o momento presente. Praticar o Poder do Agora é vivenciar os ciclos da vida livre do apego à ideia de permanência das coisas.

O Livro das Emoções, Reflexões Inspiradas na Psicologia e do Budismo Tibatano, de Bel Cesar, aborda temas que nos acometem no cotidiano, e que podem ser experienciados e vistos de uma forma mais compassiva, entendendo mais sobre si mesmo e comportamentos comuns que temos, como o medo, a raiva, as frustrações, e como a auto-estima pode ser influenciada a partir desses entendimentos. Também indica a meditação como prática para manter os estados positivos, informando sobre as ideologias orientais norteadoras de conceitos da psicologia.



Para finalizar, devo indicar blogs amigos para esta mesma tarefa. Por entender que o hábito da leitura nem sempre faz parte da vida das pessoas, deixo livre para aqueles que quiserem contribuir com suas indicações.


1 de abr de 2011

Do lado de dentro!


Quando ficamos cegos aos sinais, a oportunidade precisará de outro momento pra se manifestar, e poder ser, então, percebida. Se estivermos distraídos, ocupados demais em um processo de autocomiseração, certamente ela passará outra vez, imperceptível, solta no desejo que não se compromete com a atenção elevada.

Desapego aos pensamentos limitantes favorece o desenvolvimento da percepção aguda aos mínimos sinais, integra indivíduo e sonho, em sintonia com a presença da positividade, canal aberto para a chegada do desejado. Mas o vício do comportamento de auto-sabotagem ou de “coitadinho de mim” não é fácil de ser vencido, ilusoriamente acreditamos que assim estamos mais visíveis para receber ajuda, ficando condicionados à possibilidade vista do lado de fora, sem conexão com a única real possibilidade, que está dentro é da gente!

Como reagir a esta tendência viciante? Não é tarefa fácil desvincular-se do hábito castrador de nossos sonhos, sucumbindo prontamente à tristeza ou à sensação de desamparo diante dos momentos de conflito interno que parecem intermináveis. Mudar o foco é o princípio, somado ao intenso desejo de mudança – aceitando o desafio de superar o que anda atrapalhando a realização de nossos desejos, compreendendo que somos os responsáveis pelas ações que tanto atrapalham quanto podem favorecem alcançar o que se deseja.

Esse comprometimento consigo mesmo nos aproxima e conduz ao lado de dentro, que é onde as respostas e sentimentos vivem, ficando mais facilmente identificáveis no silêncio dessa conversa íntima. Ali também residem nossos recursos de ação, que podem ser revelados menos sutilmente no momento da meditação, estado interno de absoluta conexão interior – sem mencionar a amplitude da percepção que vamos desenvolvendo, nos devolvendo ainda mais a visão periférica do que focamos no campo do interesse.

Se as tentativas iniciais fracassarem, devemos colocá-las no índice esperado da mudança, não as transformando em componentes desestimulantes, lembrando que os velhos hábitos foram adquiridos pela repetição. Perseverar não significa que o objetivo não atingido se tornou impossível, ao contrário, é a insistência que vai permitir que aconteça. Persistir é manter permanente o desejo, procurar dentro de si!

Sugestão: acesse e reflita...